Sepse mata mais que infarto e câncer de mama e intestino. Profissionais se reúnem em São Paulo para discutir o tema

post-facebookO Brasil tem uma das mais altas taxas de mortalidades por sepse do mundo. Alguns
estudos epidemiológicos mostram que os índices brasileiros são maiores do que os de
países economicamente semelhantes, como a Argentina.

Nos dias 7 e 8 de abril, o ILAS – Instituto Latino Americano de Sepse, como sede noBrasil, organizará o XII Simpósio Internacional de Sepse, em São Paulo, no Centro de Convenções Frei Caneca.

O encontro reunirá os mais importantes nomes nacionais e internacionais para falar sobre o tema e para apresentar as novas estratégias para a mudança do cenário brasileiro e em outros países. Serão mais de 60 convidados nacionais e cinco internacionais.

Sepse no Brasil – A alta taxa de mortalidade e morbidade por sepse em nosso país é devido a uma série de fatores. Acredita-se que o pouco conhecimento da população sobre a doença e a dificuldade dos profissionais de saúde em diagnosticar rapidamente a síndrome sejam razões importantes que devem ser trabalhadas.

Dados de estudos epidemiológicos brasileiros, coordenados pelo Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), apontam que cerca de 17% dos leitos de UTIs em nosso país são ocupados por pacientes com sepse grave; e a taxa de mortalidade chega a alcançar 55% dos pacientes que apresentam sepse nas UTIs brasileiras. Na última década, a taxa de incidência da doença aumentou entre 8% e 13% em relação à década passada, sendo responsável por mais óbitos do que alguns tipos de câncer, como o de mama e o de intestino.

“A sepse é uma doença cujas características e sintomas são muito inespecíficas e cujo econhecimento e internação precoces fazem toda a diferença no tratamento, pois as primeiras horas são importantíssimas para o tratamento com antibioticoterapia e reposição volêmica”, explica Dr. Luciano Azevedo, presidente do ILAS.
Crianças, idosos e pessoas com sistema imune deficiente, como pacientes com HIV ou com câncer, estão no grupo de maior risco. “A sepse pode começar com uma infecção, como a pneumonia ou uma infecção urinária, que se não tratada adequadamente pode evoluir e levar ao óbito”, esclarece Dr. Luciano.

Informações sobre o XIII Fórum Internacional Sepse: www.forumsepse.com.br

Prêmio Eric Roger Wroclawski

instituto-albert-einstein-colegios-e-escolas-santa-cruz-do-capibaribe-iae

Prezado (a) Sr.(a),

Estamos anunciando o Prêmio Eric Roger Wroclawski em sua versão 2016. Desde 2006, a einstein – revista científica vem premiando anualmente artigos originais na área da saúde, distribuídos em categorias: Medicina Cirúrgica, Medicina Clínica, Saúde Multiprofissional, Ciências Básicas/Medicina Experimental e Gestão e Economia em Saúde. Os trabalhos serão selecionados entre os artigos aceitos para publicação em nossa revista no período de 01/07/2015 até 30/06/2016.
Dessa forma, estamos convidando todos os profissionais que atuam na área da saúde a enviarem seus artigos à einstein – revista científica, por meio de submissão pelo sistema eletrônico (http://apps.einstein.br/revista/)

 

Paulo Roberto Corsi assume presidência do CBC

Em seu discurso logo após ser empossado como novo presidente do CBC (Colégio Brasileiro de Cirurgiões), o TCBC Paulo Roberto Corsi lembrou que a campanha começou pela indicação de membros do Capítulo de São Paulo, com apoio de colegas de vários estados. “Em nome desse grupo denominado inovação agradeço os colegas que nos apoiaram e nos elegeram. As principais metas do CBC sempre serão o desenvolvimento da cirurgia a formação e a educação continuada dos cirurgiões”.

_DSC4247
Representando a AMB, esteve presente o presidente da entidade, Dr. Florentino Cardoso.

A mesa  diretora da Sessão Solene do dia 15 de janeiro foi composta pelo presidente do CBC ( 2014/2015), TCBC Heládio Feitosa de Castro Filho, o presidente eleito TCBC Paulo Roberto Corsi ( 2016/2017), o ECBC Guilherme Eurico Bastos Cunha, representando o Conselho Superior, o governador para o Brasil do American College of Surgeons e 1º vice-presidente do CBC, ECBC Savino Gasparini, o presidente da Associação Médica Brasileira e vice-presidente do Setor II, TCBC Florentino de Araújo Cardoso Filho, o presidente do CREMERJ, Pablo Vasquez, o diretor do  Sinmed-RJ, Rogério Barros e Oswaldo Luis Machado, representando o Ministério da Saúde.

O TCBC Heládio Feitosa de Castro Filho fez uma retrospectiva das realizações de sua gestão, destacando as ações políticas em defesa do cirurgião e de toda a classe médica, o sucesso dos congressos regionais e do XXXI Congresso Brasileiro de Cirurgia, realizado em Curitiba, além da implementação de ações de modernização como a plataforma digital da Revista do CBC e o novo site da entidade. “Quando nos propusemos a essa empreitada e tivemos êxito em uma disputa saudável, ética e respeitosa, trouxemos a proposta intitulada Modernização como sendo a bandeira que iríamos conduzir ao longo de dois anos de gestão. Nesse aspecto estavam contempladas várias ações em vários cenários que se nós pudéssemos resumir em uma única palavra seria convergência para os cirurgiões assumirem o seu papel de formuladores das políticas e ações necessárias à sociedade brasileira. O nosso Diretório manteve essa ideia nos múltiplos cenários em que atuamos”.

Prêmio CBC 2015
A vice-presidente do Setor I do CBC, Adriana Daumas, lembrou em seu discurso de saudação ao ECBC João Bosco Lopes Botelho que o Prêmio CBC 2015 foi entregue a um colega Emérito do CBC que dedicou seus mais de 40 anos de cirurgia ao estado do Amazonas. “Professor João Bosco, como carinhosamente é conhecido, foi responsável pela criação do serviço cirurgia de otorrinolaringologia e cirurgia cérvico-facial, não apenas na Universidade Federal do Amazonas, mas também na Universidade Estadual, no Hospital Adriano Jorge”, informou.

– É uma honra indescritível receber esse Prêmio – declarou o homenageado. Trabalhar em Manaus e fazer pesquisa na Floresta da Amazônica às vezes é complicado. Contudo a minha construção na cirurgia que transmito aos meus alunos da graduação, residência, do mestrado e doutorado ao longo de 40 anos é que o cirurgião é moldado na consciência do não. Não à morte, não à doença. Não tem hora, não tem tempo, não tem instituição. Nós nos moldamos às necessidades sociais. O rito da vida pode ser mudado pelo cirurgião. É essa a estrutura do não, embora a cirurgia esteja ligada ao sim da vida”, assim descreveu o ECBC em seu discurso ao receber o prêmio CBC.

O principal prêmio do CBC
Concedido ao cirurgião brasileiro, Membro Titular ou Emérito do CBC que, pelo acervo de atividades desempenhadas na sua vida profissional, tenha contribuído para o ensino, progresso e desenvolvimento da Cirurgia no Brasil. Em reunião conjunta, os Membros do Conselho Superior e do Diretório Nacional, após análises dos nomes propostos pelos Capítulos e o Núcleo Central, nos termos do Regulamento próprio, que constará de diploma e medalha, escolherão o vencedor, que receberá o prêmio na sessão solene de encerramento das atividades do ano. Os Capítulos só poderão enviar apenas 01 (hum) nome de cirurgião, que pertença ao seu Capítulo.

As metas do novo Diretório anunciadas pelo novo Presidente
“Essa diretoria estará dedicada ao fortalecimento dos capítulos estaduais, através do apoio direto e a criação de um programa nacional de aperfeiçoamento do cirurgião. Será necessário expandir a utilização da Internet e das redes sociais para divulgação do conhecimento qualificado. Fontes confiáveis continuam sendo um fato limitante da atualização pela Internet, que acumula conceitos inadequados. Essas ferramentas, associadas a aplicativos específicos deverão apresentar um crescimento explosivo nos próximos anos. O CBC também ampliará o seu papel na representação dos seus integrantes em parceria com a AMB e Conselho Federal de Medicina. A internacionalização do CBC, a integração com outras sociedades de especialidade e o exercício da responsabilidade social serão aprimorados. Essa entidade tem trabalhado em prol dos médicos e da medicina em todas as esferas possíveis.  A instituição tem um histórico em defesa da saúde dos brasileiros sempre voltada para a adoção de políticas dignas e éticas”.

Ramb entre as 10 revistas mais acessadas em 2015 no Scielo

Divulga ciência (2)

No penúltimo dia de 2015, o blog Divulga Ciência publicou o “Ranking SciELO com as dez revistas com mais downloads no ano passado”. A Revista da Associação Médica Brasileira (RAMB) foi a primeira revista nacional na área de medicina e saúde, com 4.296.427 acessos, e segunda melhor colocada no ranking geral, atrás apenas da revista Estudos Avançados, do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), que teve 4,5 milhões de acessos ao longo de 2015.

As 354 revistas indexadas no Scielo atingiram um total de 191 milhões de acesso ao longo de 2015 e somente as dez revistas melhores colocadas foram responsáveis por mais de 35 milhões de acessos. Vale ressaltar que nos meses de janeiro, fevereiro e julho, a Ramb liderou o ranking, ultrapassando 180 mil, 213 mil e 258 mil acessos, respectivamente. Confira a nota do Divulga Ciência em http://wp.me/p5zFTh-Cm.

“Esse resultado, aliado ao aumento no fator de impacto da RAMB para 0,933, aferido no ano passado, que a insere entre as 20 revistas brasileiras mais citadas, sinaliza que nossas ações no sentido de consolidar a Revista da Associação Médica Brasileira dentre as mais importantes publicações científicas do país estão no caminho certo”, avalia o editor-chefe da Ramb, Carlos Vicente Serrano Jr.

18 International Conference on Pharmaceutical Medicine e 38 Brazilian Congress Of Pharmaceutical Medicine

 

 

 

 

A Associação Brasileira de Medicina Farmacêutica (SBMF) realizará o 18th International Conference on Pharmaceutical Medicine e 38th Brazilian Congress of Pharmaceutical Medicine entre 18 e 19 de abril de 2016 na cidade de São Paulo.

As inscrições já estão abertas!

Mais informações no link do evento: http://www.icpm2016.com

 

inicio

Clique na imagem para saber detalhes do evento!

Órteses e próteses no Fantástico

A reportagem do Fantástico (TV Globo) de 6/1/15, que teve a participação da AMB, denunciava um perverso esquema de corrupção envolvendo profissionais das mais diversas áreas (inclusive médicos) na burla do SUS, dos planos de saúde e de pacientes. Felizmente, a luz jogada sobre o tema fez com que muitas ações fossem tomadas. CPIs na Câmara e no Senado foram criadas e regras ainda mais claras e rígidas foram definidas para evitar que criminosos se apropriem indevidamente do dinheiro que deveria ajudar a salvar vidas.

Nova reportagem do Fantástico, exibida no último domingo (3/1/16), mostra os resultados práticos alcançados pela mobilização da sociedade em torno da moralização no segmento de órteses e próteses. “O Brasil tem médicos qualificados e éticos, que trabalham com fortes evidências científicas e indicam com precisão os melhores procedimentos aos pacientes. Punir os maus médicos é a melhor forma de proteger a classe e valorizar o trabalho e a imagem dos bons médicos. E de garantir qualidade e respeito aos pacientes”, afirma Florentino Cardoso, presidente da AMB.

Para Florentino, os pacientes precisam ter segurança e tranquilidade na hora de realizar procedimentos complexos. E só realizar com profissionais que possam lhes oferecer esta tranquilidade. “Procurem médicos da sua confiança e, quando desejarem, tenham uma segunda opinião (de outro médico). Tirem todas as dúvidas. Somente realizem um procedimento quando se sentirem seguros com a indicação e com a equipe médica que fará o procedimento”, orienta o presidente da AMB.

Emílio Zilli, diretor de Defesa Profissional da AMB, ratifica a confiança que a entidade tem na ética, na competência e na qualidade da medicina brasileira, e reafirma o compromisso da mesma em permanecer atenta e vigilante à proteção ao bom médico, a boa prática médica e ao atendimento aos pacientes. “Repudiamos veementemente quaisquer atos ilícitos que, mesmo existindo em total minoria, não podem macular de forma alguma a dignidade e a honra da totalidade dos profissionais de saúde brasileiros seja por sua prática ou pela generalização, sempre injusta, por vezes atribuída à imensa maioria dos bons profissionais. A correta indicação de órteses e próteses salva vidas, não pode ser comprometida pela má prática!

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/01/vitimas-da-mafia-das-proteses-sofrem-com-lesoes-irreversiveis.html

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/01/mafia-das-proteses-coloca-vidas-em-risco-com-cirurgias-desnecessarias.html

Abaixo, seguem os links das matérias do Fantástico deste domingo e do início de 2015.

http://g1.globo.com/fantastico/edicoes/2016/01/03.html#!v/4714037

 

 

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/01/mafia-das-proteses-coloca-vidas-em-risco-com-cirurgias-desnecessarias.html