Padronização de embalagens é tema do Dia Mundial sem Tabaco

iStock_000007307714

 

O 31 de maio marca o Dia Mundial Sem Tabaco. Neste ano, a Organização Mundial da Saúde (Opas) ressalta a importância da adoção das embalagens padronizadas para os cigarros.

O diretor da Comissão de Combate ao Tabagismo da Associação Médica Brasileira, Antônio Pedro Mirra, explica a relevância do tema: “A padronização das embalagens dos produtos de tabaco visa reduzir o seu apelo, tornando-as iguais, segundo um padrão definido pelo governo, mantendo apenas o nome de marca e as advertências sanitárias”.

As mudanças seriam desde a forma, tamanho, modo de abertura até as cores e fontes, mantendo apenas a marca. No Congresso Nacional, tramitam dois projetos de lei no Senado e outro na Câmara nos Deputados.

cartaz-dia-mundial-sem-tabaco-2016-a4

 

STF CONCEDE LIMINAR SOLICITADA PELA AMB CONTRA A “PÍLULA DO CÂNCER”

Medida Cautelar na ADI 5501 (Ação Direta de Inconstitucionalidade), concedida pela Plenária do Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira, suspende os efeitos da lei que liberava a fabricação e utilização da fosfoetanolamina, conhecida como “pílula do câncer”.

A Associação Médica Brasileira (AMB), representada por Carlos Michaelis Jr., coordenador Jurídico da entidade, fez sustentação oral hoje no plenário do STF durante a votação da ADI 5501 – AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE, onde enfatizou que a AMB não é contra a substância fosfoetanolamina, mas sim à sua liberação sem que se cumpram requisitos legais e constitucionais de zelo para com o paciente. “A substância fosfoetanolamina não teve sua comprovação de eficácia, sua definição para quais tipos de câncer poderá ser utilizada e seus efeitos colaterais avaliados, colocando em risco aqueles que procuram desesperadamente a cura do câncer e podem com isto estar diminuído sua expectativa de vida, por utilização de substância que não foi avaliada de acordo com normas brasileiras, sem comprovação científica, e não preenchendo critérios internacionalmente aceitos para dizer que é medicamento, e colocar à disposição da população. Também poderia provocar abandono de tratamentos cientificamente aceitos”, argumentou Carlos Michaelis Jr durante a sessão.

“Tínhamos confiança na decisão do Supremo Tribunal Federal, para corrigir essa distorção” comenta Dr. Florentino Cardoso, presidente da AMB. “Na nossa visão a lei teve apoio devido ao clamor popular, e objetivo político para angariar simpatia da população, que pelo desespero, permitiu utilização da sustância fosfoetanolamina sem observar benefícios e riscos a que estariam sendo submetidos pacientes portadores de câncer. Como utilizar substância que não teve eficácia e efeitos colaterais avaliados e comprovados? Poderiam até abandonar tratamentos reconhecidos cientificamente.”, complementa.

Para a presidente a ANMR (Associação Nacional de Médicos Residentes), Naiara Balderramas, que esteve presente à a sessão do STF, a sensação depois da votação foi de alívio: “Como médica e futura oncologista, eu agradeço imensamente a iniciativa magistral da ação da AMB. O meu esforço diário em oferecer sempre os melhores tratamentos, com ética e sinceridade aos pacientes, foi defendido hoje pela AMB com louvor! Figo orgulhosa em ser representada assim!”.

Desde que a Lei 13.269 foi sancionada, vinha sofrendo severas críticas da Associação Médica Brasileira (AMB), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Conselho Federal de Medicina e Sociedades de Especialidades Médicas. “Ao sancionar a lei, a presidente afastada ignorou completamente todas orientações e alertas científicos das entidades médicas e Anvisa”, comentou à época Dr. Florentino, da AMB. “Felizmente, com esta decisão temos segurança de que pacientes não estarão expostos ao desconhecido, nem a eventuais contraindicações e efeitos colaterais de substância sobre a qual não temos comprovação de eficácia, qual dose recomendada, toxicidade etc.”, concluiu Florentino.

 

Imersão em Pneumologia é a programação de junho da SBPT

imersao pneumologia

O curso de Imersão em Pneumologia acontece nos dias 17 e 18 de junho, em Natal/RN, no Hotel Serhs.  Promovido pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e TIsiologia, o curso tem cadastro na Comissão Nacional de Acreditação, contando pontos para os especialistas participantes.

Mais informações sobre programação e inscrição estão disponíveis pelo site http://www.sbpt.org.br/imersao2016/.

São Paulo sedia simpósio internacional de medicina intensiva

anuncio-samg

 

Entre os dias 9 e 11 de junho, palestrantes de diversos países estarão reunidos na capital paulista para debater os principais temas da especialidade.
O evento acontece na sede da Fecomércio, no bairro da Bela Vista, em São Paulo. Já os sete cursos pré-congresso disponíveis na programação se darão no Instituto de Ensino e Pesquisa – IEP, também no mesmo bairro.
O evento está cadastrado na Comissão Nacional de Acreditação e contará pontos para a obtenção do Certificado de Atualização Profissional, disponibilizado pela AMB.
Mais informações sobre o simpósio estão disponíveis em: http://www.simisirio.com.br.

NOTA DE ESCLARECIMENTO AOS MÉDICOS

A ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA, A SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA E COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES, esclarecem:

A certificação e emissão de Título de Especialista em Cirurgia Plástica é competência do Ministério da Educação e Cultura (MEC), para aqueles que concluíram programa de Residência Médica credenciado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e também da Associação Médica Brasileira (AMB) em conjunto com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

O Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC) não reconhece e não avaliza a emissão de qualquer documento com viés certificador em cirurgia plástica, ou emitidos isolada e inadvertidamente com a rubrica do CBC. Possui reconhecida e instituída “Seção de Cirurgia Plástica”, que tem por finalidade, única e estatutária, a integração científica com a SBCP. Novas regulamentações serão adotadas nas “Seções Especializadas” no intuito de reavaliar seus membros e identificar eventuais títulos emitidos sem o respaldo do Decreto nº 8.516 de 10 de setembro de 2015;

O intitulado "Projeto MAE" (Mutirão da Autoestima), que irregularmente ostenta o símbolo do CBC, não é aprovado e reconhecido pelas sociedades envolvidas (SBCP e CBC), por não possuir nenhum vínculo institucional e científico. Medidas legais estão sendo adotadas.

AMB, CBC e SBCP reiteram que o exercício ético da cirurgia plástica é uma prerrogativa de médicos portadores de Título de Especialista na área, visando a segurança da população.

ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA