FLORENTINO CARDOSO RECEBE PRÊMIO INTERNACIONAL POR SUA CONTRIBUIÇÃO NA CIRURGIA ONCOLÓGICA

Dr. Florentino Cardoso recebe a honraria da “Gusi Peace Prize Foundation”, em Manila, Filipinas, que é a principal instituição humanitária, de caridade e respeito pela vida e dignidade humana da Ásia.

Nesta quarta-feira, em Manila, o Dr. Florentino Cardoso, ex-presidente da Associação Médica Brasileira (AMB) e atual presidente da Confederação Médica Ibero-Latina-Americana e do Caribe (CONFEMEL) foi homenageado com o Prêmio da “Gusi Peace Prize Foundation” pela sua contribuição na cirurgia oncológica. A honraria concedida ao Dr. Florentino, de repercussão internacional, mostra seu prestígio no campo da Cirurgia Oncológica e da humanização da saúde, assim como reconhece sua destacada atuação em busca de melhorias para a saúde da população. Dois dias antes, também na capital Filipina, participou como conferencista no 3° Fórum Médico Internacional do Pacífico SINO-ASIA, com o tema: Novas tecnologias na saúde: como incorporar.

O prêmio é um reconhecimento ao trabalho de Dr Florentino, na assistência, ensino e gestão em saúde, bem como a todo seu trabalho nos últimos seis anos como presidente da AMB.

Fiquei muito honrado com tão importante prêmio. Enaltece os médicos brasileiros, nossa Medicina e nosso Brasil querido”, falou Dr Florentino logo após a cerimônia.

Sobre o Prêmio da Gusi Peace Prize Foundation

A Fundação Gusi Peace Prize tem sede na capital das Filipinas, Manila, é o principal órgão de premiação da Ásia e um dos principais do mundo atualmente. Ao reconhecer exemplos mais brilhantes daqueles que trabalham para alcançar a paz e o respeito pela vida e a dignidade humana, o prêmio traz as melhores realizações, ideais e valores humanos. O objetivo é reconhecer a excelência e distinção a indivíduos ou grupos em todo o mundo, que se distinguiram ou que contribuíram para realização da paz e respeito à vida e dignidade humana, distinguindo-se algumas categorias: Academia, Pesquisa e Descoberta Científica, Fisiologia ou Medicina, Química, Física, Jornalismo, Filantropia ou Humanitarismo, Economia, Excelência Cinematográfica, Artes Cênicas, Artes Visuais, Tecnologia e Engenharia, Religião, Política, Alívio da Pobreza, Literatura, Patrimônio Cultural, Internacionalismo, Arquitetura, Arqueologia, Ecossistema e Biodiversidade e Biologia.

A Fundação “Gusi Peace Prize” homenageia seu fundador, Gemeniano Javier Gusi, que lutou com bravura na Segunda Guerra Mundial contra a opressão japonesa ao seu povo, tornou-se político e popular por sua luta pelos direitos humanos. Apoiado por sua esposa, Madame Teodora Sotejo Gusi,  realizou várias obras de caridade, ajudando mães, crianças, esposas maltratadas, doentes e desempregados, pobres, privados e humilhados da sociedade em todo território Filipino. Para saber mais sobre o trabalho da entidade, acesse: http://gusiinternational.org/

3° Fórum Médico Internacional do Pacífico SINO-ASIA

Dr. Florentino Cardoso também foi conferencista do tema: “Novas tecnologias na saúde: como incorporar”, compartilhando seu vasto conhecimento e experiência sobre inovação em saúde no 3° Fórum Médico Internacional do Pacífico SINO-ASIA, em Manila, Filipinas, no dia 20 de novembro, também promovido pela Associação Médica Filipina, que é membro da World Medical Association (WMA), co-fundadora da Confederação da Associação Médica da Ásia e Oceania (CMAAO) e das Associações Médicas do Sudeste Asiático das Nações (MASEAN).

INSTITUTO DARÁ SUPORTE À FRENTE PARLAMENTAR DA MEDICINA

A AMB, representada por seu Presidente, Lincoln Lopes Ferreira, e vice presidente, Diogo Leite Sampaio, esteve em reunião hoje à tarde, em Brasília (DF), para dar continuidade ao processo de apoio para a recém criada Frente Parlamentar da Medicina (FPMed), lançada em sessão solene de homenagem ao Dia do Médico (18/10/2017) na Câmara de Deputados.

 

O passo foi importante, pois é no Congresso que são decididas as principais questões de interesse dos médicos, da Medicina e da Saúde, pois é  fundamental uma organização de grupo de parlamentares que estejam cientes das demandas e comprometidos com elas.

 

A reunião de hoje, com o Deputado Mandetta e outras entidades médicas, teve o objetivo de concluir trabalho de criação de um Instituto para dar suporte à FPMed, assegurando infraestrutura e acompanhamento necessários ao funcionamento.

 

O que é Frente Parlamentar?

As frentes parlamentares são associações suprapartidárias, constituídas por iniciativa de parlamentares que, independentemente de partido político, formam agrupamentos para atuar de forma unificada na defesa de objetivos que aprimorem determinado tema, sendo compostas por pelo menos 178 deputados e 30 senadores.

NEUROWEBINAR DA SBN TEM ALTERAÇÃO DE HORÁRIO

22/11/17 – A partir desta semana, o neurowebinar será das 21:00 as 22:30 horas, horário de Brasília.

O tema do Webinar dessa semana será “Princípios da Neuromodulação”, com apresentação do Dr. Alexandre Novicki Francisco (PR) e moderação da Dra. Mariangela Barbi Gonçalves (RJ).

A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia – SBN realiza aulas por videoconferência pela Plataforma de Webinar, com isso atingindo o objetivo de ensino à distância (EAD). Para um país como o Brasil, com suas dimensões continentais ferramentas de EAD são fundamentais para a difusão do conhecimento aos diversos estados e municípios.

Além da propagação do conhecimento, a plataforma proporciona a aproximação e integração dos associados da SBN, já que além da aula, ao final é reservado espaço para a participação interativa dos palestrantes e dos espectadores.

Para participar, basta acessar o portal da SBN: www.portalsbn.org, na hora do evento, sem necessidade de senha de acesso.

 

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS RESIDENTES (ANMR) ELEGE NOVA DIRETORIA.

A ANMR realizou no dia 19 de novembro  de 2017 a eleição de sua diretoria executiva, durante a realização do 51º Congresso Nacional de Médicos Residentes (CNMR).

Para presidente foi eleito  Dr. Juracy Barbosa, goiano, 34 anos, formado no ano de 2014 em Brasília, pela Faculdade de Medicina do Planalto Central  e atualmente médico residente do 3º ano em Ortopedia e Traumatologia  pelo Hospital das Forças Armadas ( HFA) em Brasília, cidade que reside desde 2009.

Juracy Barbosa tem bastante história no associativismo médico brasileiro. Ainda durante sua graduação, no ano de 2010, foi idealizador e fundador da Associação dos Estudantes de Medicina do Distrito Federal (AEMED – DF), entidade que, através  da inteiração com outros estudantes médicos brasileiros, culminou com a fundação da Associação dos Estudantes de Medicina do Brasil (AEMED – BR) no ano de  2012, na cidade de Belo Horizonte. Além disso consta em sua história participação efetiva juntos às entidades médicas do Brasil, em diferentes pautas e projetos. Na ANMR foi diretor adjunto no ano de 2016 e na gestão 2017 exerce o cargo de secretário geral da instituição.

Juracy, que assumirá em 02/01/2018, considera que a ANMR teve importantes vitórias nas últimas gestões e que os novos desafios renovaram a disposição de toda a diretoria eleita para enfrentá- los  com  firmeza. Neste cenário já adianta os principais objetivos da gestão 2018, no intuito de garantir a formação padrão ouro dos médicos especialistas do Brasil:

  • Melhoria das condições de trabalho e de aprendizado dentros dos hospitais de ensino.
  • Defesa intransigente quanto ao cumprimento da legislação vigente que rege a residência médica no Brasil.
  • Reajuste no valor da bolsa.
  • Luta contra o assédio moral e profissional, ainda existentes em muitos serviços e promoção de ajuda e suporte adequados aos médicos residentes vítimas de abusos.
  • Atuação junto às entidades médicas e à CNRM na luta e na defesa de quaisquer assuntos de interesse dos médicos residentes do Brasil.

DIRETORIA EXECUTIVA ELEITA PARA A GESTÃO DA ANMR 2018:

Presidente – Juracy Barbosa  (DF)

Vice presidente – Douglas Muniz Barbosa (SC)

Secretário Geral – Francisco de Assis Coelho (RJ)

1º Secretário – Euler Nicolau Sauaia Filho (CE)

1º Tesoureiro – Guilherme Andrade Peixoto (SP)

2º Tesoureiro – Mario Melo Jr (PE)

Diretora de Comunicação – Pauline Elias Josende (RS)

 

51º CONGRESSO NACIONAL DOS MÉDICOS RESIDENTES ACONTECE NO RIO DE JANEIRO

 

Iniciou ontem ( 17) o 51º Congresso Nacional dos Médicos Residentes, juntamente com o 1º Congresso dos Médicos Residentes do Rio de Janeiro e o 1º Congresso Estadual dos Médicos Jovens do Rio de Janeiro, no auditório do Cremerj.

Diogo Leite Sampaio (MT), 1º Vice-Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), representa a entidade, já que iniciou no movimento médico no Rio de Janeiro como presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado e logo após ocupou o mesmo cargo na Associação Nacional de Médicos Residentes, experiência que contribuiu para ser representante da AMB na Comissão Nacional de Residência Médica desde 2012, onde já foi representante pela própria ANMR nos anos de 2005 e 2006.

No congresso estão sendo abordados dentre outros temas: ASPECTOS PRÁTICOS DA RESIDÊNCIA: O QUE O RESIDENTE PRECISA SABER: diretos dos residentes e bioética na pratica diária do residente: dilemas e aspectos legais; CARREIRA MÉDICA E OS VÍNCULOS TRABALHISTAS e EMPREENDEDORISMO MÉDICO.

Durante o evento será comemorado o aniversário e 50 anos da ANMR.

Além de médicos residentes, participam estudantes de medicina.

Saiba mais em: https://www.cremerj.org.br/eventos/exibe/930

MORATÓRIA NA ABERTURA DE ESCOLAS MÉDICAS

A Associação Médica Brasileira (AMB) expressa seu total apoio à moratória decretada pelo Ministério da Educação, que proíbe a criação de novas escolas de medicina no país por um prazo de cinco anos. A medida foi um dos pleitos levados pela AMB ao ministério, em reuniões realizadas no mês de outubro. O objetivo é solucionar um problema grave: a má formação de médicos oriundos de escolas de medicina abertas sem condições mínimas necessárias para a formação de profissionais qualificados para atender a população de maneira adequada.

“Formar médicos custa caro. Formar maus médicos custa muito mais caro. E por um longo período. Médicos mal formados são mais inseguros, solicitam exames desnecessários, não utilizam os tratamentos apropriados, não seguem os protocolos corretos, aumentando o tempo de internação dos pacientes e de intervenção médica sem real necessidade. Sobrecarregam o sistema de saúde, principalmente o público, que carece de mecanismos de gestão, precarizam a prevenção dos agravos e, pior, colocam em risco a vida dos brasileiros”, afirma Lincoln Ferreira, presidente da AMB. “Agora é fundamental que o decreto seja assinado pelo presidente da República, com a agilidade que o tema merece”, alerta Lincoln. A moratória na abertura de novas escolas médicas é um passo importante para a resolução dos problemas de qualidade na formação desta área. Não é uma demanda da classe médica. É uma demanda de todos os que se debruçam sobre o assunto e avaliam os riscos de criar escolas sem a garantia capacitação correta de seus profissionais.

Outros passos precisam ser dados na sequência, visando garantir a preparação de bons médicos. “Precisamos cancelar os editais lançados durante o governo anterior e que ainda estão em andamento. Eles foram concebidos com os mesmos vícios que causaram os problemas que temos visto em diversas escolas inauguradas recentemente”, avalia o presidente da AMB.

Também é fundamental resolver a situação das faculdades já abertas nos últimos anos e que estão operando sem as condições necessárias para a formação de profissionais competentes. Estes estabelecimentos precisam ser avaliados constantemente, assim como seus alunos, de forma seriada. Para Lincoln Ferreira, “as escolas que não estão atuando dentro de um determinado padrão de qualidade precisam sofrer sanções e readequações”. E acrescenta: “Não podemos permitir a existência de médicos de primeira e de segunda classe. A população precisa ter certeza de que, se um médico está formado e com um diploma, ele tem totais condições de atendê-la, independentemente de onde tenha estudado”. Esta fiscalização de controle de qualidade é uma bandeira de longa data da AMB, inclusive para médicos formados antes da abertura indiscriminada de novas escolas.

Mercado da educação médica
Há bons cursos de medicina inaugurados nos últimos anos, mas, na maioria dos casos, as novas escolas médicas têm sido criadas por interesses políticos ou econômicos de alguns grupos e sem uma visão estratégica sobre o atendimento à população.

Cidades escolhidas para este fim, às vezes muito distantes de uma capital, onde não existem médicos qualificados e habilitados sequer para atender à população, quanto mais para exercer a docência e formar outros médicos. Aulas com professores inexperientes e sem a competência necessária obviamente gerarão profissionais despreparados. Há registros, inclusive, de escola de medicina que teve aulas transferidas para o período noturno por não haver professor para dar aula durante o dia.

A estrutura física também deixa muito a desejar. Em várias dessas escolas não há hospital universitário, sendo aceitos convênios com a rede pública de saúde (hospitais e outras unidades), entidades que não têm a vocação para o ensino, deixando descoberto importante aspecto do ensino médico: a convivência, orientada desde cedo, para casos reais.

SBEM ALERTA: AUMENTA O NÚMERO DE MULHERES COM DIABETES

 

A campanha nacional do Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, terá como foco neste ano o tema “Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável“. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) busca alertar para o crescente número de mulheres com a doença, que chega a 199 milhões atualmente e pode alcançar, em 2040, a marca de 313 milhões.

 

Atualmente, o diabetes é a 9ª causa principal de morte das mulheres no mundo todo, causando mais de 100 milhões de vítimas anualmente. E não para por aí. Mulheres com diabetes tipo 2 têm dez vezes mais chances de desenvolver doenças cardiovasculares. Já mulheres com diabetes tipo 1 têm um risco aumentado de aborto precoce ou de ter um bebê com má formaçãoUma em cada sete gestantes é afetada pelo diabetes gestacional – metade dessas mulheres vai desenvolver diabetes tipo 2 no período entre cinco a dez anos após o parto.

 

O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população em 2006 para 8,9% em 2016. Uma pesquisa realizada nesse ano de 2017 pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigital), e divulgada pelo Ministério da Saúde, mostra que as mulheres registraram mais casos da doença – o público feminino passou de 6,3% para 9,9% no período, enquanto os homens tiveram índices de 4,6% e 7,8%.  

 

SOBRE DIA MUNDIAL DO DIABETES

A data foi estabelecida pela Organização Mundial de Saúde, em 1991, em resposta às preocupações crescentes com a doença. O objetivo é divulgar a todos os interessados a importância de se colocar em discussão esse problema de saúde pública tão importante. Além disso, a ideia é chamar a atenção da grande população para o problema e sobretudo diagnosticar, tratar e dar a devida atenção e assistência aos pacientes. 

 

AÇÕES PELO BRASIL

Durante o mês, acontecerão ações em todo o Brasil para conscientizar a todos sobre a importância do diagnóstico e tratamento do diabetes, com atendimento e esclarecimento ao público. Confira as atividades por região em: www.diamundialdodiabetes.org.br/atividades.

 

 O QUE É DIABETES?

O Diabetes mellitus (DM) não é uma única doença, mas um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresenta em comum a hiperglicemia, ou seja, a elevação da glicose no sangue. Esse aumento de açúcar no sangue pode acontecer por causa de defeitos na ação da insulina, na secreção de insulina no organismo, ou em ambas as situações (ação e secreção).

 

Os alimentos sofrem digestão no intestino e se transformam em açúcar, a chamada glicose, que é absorvida para o sangue e é utilizada pelos tecidos como energia. Mas para transformar a glicose em energia é necessária a presença da insulina — substância produzida nas células do pâncreas. Quando a glicose não é bem utilizada pelo organismo ela se eleva no sangue, o que chamamos de hiperglicemia.

 

DIABETES TIPO 1

Também conhecido como diabetes insulinodependente, compreende os subtipos idiopático (tipo 1A), autoimune (tipo 1B), diabetes infanto-juvenil e diabetes imunomediado. Neste tipo de diabetes, a produção de insulina do pâncreas é insuficiente, pois suas células sofrem o que chamamos de destruição autoimune. Os portadores necessitam de injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores normais. Se as doses de insulina não são aplicadas diariamente, há risco de complicações graves, incluindo a morte. O diabetes tipo 1, embora ocorra em qualquer idade, é mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens.

 

DIABETES TIPO 2 

Chamado também de diabetes não insulinodependente, é o diabetes do adulto e corresponde a aproximadamente 90% dos casos. Ocorre geralmente em pessoas obesas com mais de 40 anos, embora na atualidade também seja visto com maior frequência em adultos jovens, em virtude de maus hábitos alimentares, sedentarismo e estresse da vida urbana. No diabetes tipo 2 a insulina está presente no organismo, porém sua ação é dificultada pela obesidade, o que é conhecido como resistência insulínica, uma das causas de hiperglicemia. Por ter poucos sintomas, na maioria das vezes, permanece por muitos anos sem diagnóstico e sem tratamento, o que favorece a ocorrência de suas complicações no coração e no cérebro entre outros órgãos.

 

SINTOMAS DO DIABETES

Aproximadamente metade dos portadores de diabetes tipo 2 desconhece sua condição, uma vez que a doença apresenta poucos sintomas. O diagnóstico precoce é importante para evitar as complicações da doença. Quando presentes, os sintomas mais comuns são: urinar diversas vezes, sede excessiva, aumento do apetite, perda de peso — em pessoas obesas a perda de peso ocorre mesmo estando comendo muito —, cansaço, vista embaçada ou turvação visual e infecções frequentes, sendo as mais comuns às infecções de pele.

 

No diabetes tipo 2 esses sintomas, quando presentes, se instalam de maneira gradativa e, muitas vezes, passam despercebidos pelas pessoas. Ao contrário, no diabetes tipo 1, os sintomas se instalam com rapidez. Quaisquer que sejam os sintomas, um médico deve ser procurado imediatamente para realização de exames que esclarecerão o diagnóstico.

 

QUEM PODE TER DIABETES?

A maioria, próximo a 90% dos portadores de diabetes, é do tipo 2, pouco sintomática, podendo passar despercebida e retardar o diagnóstico e o tratamento, além de favorecer a ocorrência de complicações. A presença de uma ou mais das seguintes condições sugerem a possibilidade de diabetes: familiares próximos portadores de diabetes, idade maior que 45 anos, excesso de peso ou obesidade, pressão alta, colesterol elevado e mulheres com antecedentes de filhos nascidos com mais de 4kg.

CONTROLE DO DIABETES REDUZ O RISCO DE UM INFARTO OU AVC EM 20%

O alerta é da Sociedade Brasileira de Cardiologia que promove campanha nacional, em 14 de novembro.

Mais de 16 milhões de brasileiros têm diabetes e muitos ainda negligenciam o tratamento e as recomendações médicas. A Sociedade Brasileira de Cardiologia – SBC faz um alerta, em 14 de novembro, no Dia Mundial do Diabetes já que a doença é o terceiro maior fator de risco para os problemas cardiovasculares, como infarto e derrame (AVC). O Brasil é o quarto país com a maior incidência mundial, perdendo apenas para os Estados Unidos, Índia e China.

O diretor da SBC, Celso Amodeo, lembra que os diabéticos precisam controlar a glicemia regularmente, tomar a medicação, quando indicada, fazer atividade física e ter uma dieta equilibrada. “Quanto mais cedo o diagnóstico, mais rápido se iniciará o tratamento e assim os riscos de eventos cardiovasculares vão diminuir”, destaca o cardiologista. “E a prevenção é a melhor forma de combater o diabetes e suas consequências”, completa.

Existem três tipos de Diabetes: 1, 2 e Gestacional, sendo o tipo 2 o mais comum. “A glicemia ótima é abaixo de 100 e a hemoglobina glicada deve estar entre 5,5 a 6,4%. Acima desse nível alguém já é considerado diabético e a pessoa deve procurar um médico”, orienta diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular da SBC, Weimar Sebba Barroso. “Reduzir em 1% a hemoglobina glicada faz com que a pessoa consiga diminuir o risco cardiovascular em 20%. É muito significativo”, alerta Barroso.

A SBC distribuirá folhetos informativos, que também estarão no site da entidade (www.cardiol.br) e serão multiplicados em mídias sociais, com os sete passos para uma vida mais saudável: praticar exercícios físicos; manter o peso, evitando a obesidade; alimentar-se com pouco sal, sem frituras e com mais frutas, verduras e legumes; reduzir o consumo de álcool; abandonar o cigarro; evitar o estresse; e ter mais tempo para a família, os amigos e o lazer.

XX CONGRESSO BRASILEIRO DE UROLOGIA PEDIÁTRICA, ESTÁ SENDO REALIZADO EM SÃO PAULO (SP), DE 13 A 16 DE NOVEMBRO.

 

 

Com ampla programação, presença de especialistas internacionais e transmissão de cirurgias, de hoje (13) a 16 de novembro, a Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica (Cipe) promove em São Paulo (SP), o XX Congresso Brasileiro de Urologia Pediátrica. Além de conferências, mesas redondas e discussão de temas livres, o evento será integrado pela transmissão de cirurgias ao vivo.

Por ser um tema atual e controverso em muitos aspectos, nos campos clínico cirúrgico, psicológico e legal, na manhã do dia 13, após a abertura oficial do evento, distúrbios do desenvolvimento do sexo serão abordados em duas mesas redondas. Mas a programação também abrangerá muitos outros campos da cirurgia pediátrica urológica, como videolaparoscopia urológica, disfunção miccional, tumores, hipospadia e transplante renal pediátrico, entre outros temas.

Dois convidados internacionais têm presença confirmada: Drs. Marc-David Leclair (chefe do departamento de Cirurgia e Urologia Pediátrica do Hospital Universitário de Nantes, na França) e Israel Franco (urologista pediátrico, pesquisador e diretor do Yale-New Haven Children’s Bladder and Continence Program, nos EUA).

Cirurgia com transmissão simultânea

No dia 16 de setembro, será oferecida aos participantes uma atividade extra (sem custo adicional): o Dr. Marc-David Leclair realizará cirurgia raríssima de Correção de Pênis Intravesical em Extrofia de Cloaca, com transmissão ao vivo. A operação será efetuada das 8h às 12h, nas dependências do Hospital Infantil Sabará (Av. Angélica, 1.987, também no bairro de Higienópolis).

Os interessados devem confirmar antecipadamente sua presença pelo e-mail contato@luminaeventos.com.br, pois as vagas são limitadas.

Veja em http://www.cburologiapediatrica.com.br/ informações detalhadas sobre o congresso.

 

Serviço

Evento: XX Congresso Brasileiro de Urologia Pediátrica

Data: De 13 a 15 de novembro de 2017, das 8h às 18h

Local: Hospital Samaritano (Rua Conselheiro Brotero, 1.486 – Higienópolis – São Paulo – SP)

 

Evento: Correção Cirúrgica de Pênis Intravesical em Extrofia de Cloaca, com transmissão ao vivo

Data: 16 de novembro de 2017, das 8h às 12h

Local: Hospital Infantil Sabará (Av. Angélica, 1.987 – Higienópolis – São Paulo – SP)

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE PERNAMBUCO REALIZARA O 43° CONGRESSO MÉDICO ESTADUAL DE PERNAMBUCO DE 23 E 24 DE NOVEMBRO.

A Associação Médica de Pernambuco, em sua função de aperfeiçoamento científico, atualização e capacitação dos médicos e estudantes de medicina, realizará o 43° Congresso Médico Estadual de Pernambuco, que acontecerá entre os dias 23 e 24 de novembro deste ano na sede da AMPE, na rua Oswaldo Cruz, nº 393, Boa Vista Recife-PE, e com as inscrições exclusivamente pelo site , onde também está a programação preliminar, https://doity.com.br/43-congresso-medico-estadual-de-pernambuco-e-1-congresso-pernambucano-do-medico-residente 

O evento contará também com a parceria com a Associação Pernambucana dos Médicos Residentes que realizará seu 1º Congresso Pernambucano do Médico Residente.

A conferência de abertura: DISFORIA DE GÊNERO, será ministrada pela Dra. Carmita Abdo, Presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria e 1ª. Secretária da Associação Médica Brasileira.

O evento contará com palestrantes e conferencistas, estaduais e nacionais com alto nível técnico e experiência profissional que certamente nos trarão excelentes contribuições, através de um programa com mais de 20 áreas temáticas que abrange do estudante ao mais conceituado profissional.

Submissão de trabalhos:

A submissão deve ser feita até o dia 14/11, exclusivamente pelo site do evento, e só será possível submeter quem estiver inscrito no congresso.