Ciclo de Debates sobre Redução de Danos no Tabagismo

A Sociedade Brasileira de Toxicologia vai realizar no dia 8 de junho de 2017, a partir das 14h, o Ciclo de Debates sobre Redução de Danos no Tabagismo, conforme programação em anexo.

O evento será realizado  na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) – Auditório Maria Aparecida Pourchet Campos, localizado na Avenida Prof. Lineu Prestes, 580 – Butantã, São Paulo (SP)

Inscrição: Gratuita pelo site:  https://www.sbtox.org/ciclo  

I Colóquio Acadêmico Federação Brasileira de Academias de Medicina/Conselho Federal de Medicina/Academia de Medicina de São Paulo da AMSP

Quinta-feira (13/07/2017)

14h – Sede da AMB – Reunião da Diretoria da Federação Brasileira de Academias de Medicina – FBAM

 18h –   Sede da AMB – Reunião com Dr. Carlos Vital Tavares Corrêa Lima e Presidentes das Academias

_______________________________________________________________

Sexta-feira (14/07/2017) – Tema: Ensino Médico – AMB

8h – Abertura:

Acadêmico José Roberto de Souza Baratella

Presidente da Academia de Medicina de São Paulo

Acadêmico José Hamilton Maciel Silva

Presidente da Federação Brasileira de Academias de Medicina

Doutor Carlos Vital Tavares Corrêa Lima

Presidente do Conselho Federal de Medicina

 Professor Doutor Sigisfredo Luis Brenelli 

Diretor Presidente da Associação Bras. Educação Médica

Doutor Florentino de Araujo Cardoso Filho

Presidente da Associação Médica Brasileira

Doutor Mauro Gomes Aranha de Lima

Presidente do Conselho Regional de Medicina do Est.de São Paulo

Doutor Florisval Meinão

Presidente da Associação Paulista de Medicina

Doutor Eder Gatti Fernandes

Sindicato dos Médicos de São Paulo

8h30min às 9h – Conferência: Coordenador Ac. José Hamilton Maciel Silva

– A posição do Governo Federal perante o Ensino da Medicina

Ministro da Educação – José Mendonça Bezerra Filho (20’)

9h – 10h30 Mesa redonda I: Coordenador Ac. Antonio Carlos Gomes da Silva (SP)

– O médico e a medicina de ontem e de hoje Ac. José Luiz Gomes do Amaral (SP) (20’)

– Como calcular com credibilidade o número de médicos necessários para uma comunidade? – Ac. Cláudio do Carmo Chaves (AM) (20’)

– A situação atual do ensino médico – Ac. Antônio Celso Nunes Nassif (PR) (20’)

– Discussão (30’)

10h30  – 11h – Intervalo

11h – 12h30 – Mesa Redonda II – Coordenador – Ac. Arary da Cruz Tiriba

– O ensino da ética Ac. Nelson Grisard (SC) (20’)

– Metodologia de Ensino: a experiência com PBL na Faculdade de Medicina de Marília – Prof. Dr. Ivan de Melo Araújo Marília – SP

– Metodologia de Ensino: Tradicional (20’) Prof. Dr. Nildo Alves Batista (SP)

-Discussão (30’)

12h30 – 14h – Almoço

14h – Mesa Redonda III – Coordenador Ac. Dario Birolini

– O Ensino da Técnica Cirúrgica: das limitações ao uso de animais aos novos Recursos.

– A importância da pesquisa no Ensino de Graduação – Ac. Adauto Dutra Moraes Barbosa (RJ)

– O uso de simulação e do laboratório de habilidades no ensino e na evolução discente – Prof. Dr. Sigisfredo Luis Brenelli (RJ) (20’)

-Discussão (30’)

15h30 – 16h – Intervalo

16h – 17h30 – Mesa Redonda IV – Coordenador Ac. José Carlos de Souza Trindade (SP)

– Avaliação dos graduandos: o que fazer com os reprovados?

Ac. Lúcio Flávio Gonzaga Silva (CE) (20’)

– Avaliação dos Egressos: O que fazer com os reprovados? Prof. Dr. Bráulio Luna Filho (CRM-SP) (20’)

– Avaliação das Escolas Médicas Prof. Dr. Milton de Arruda Martins (SP) Discussão (30’)

17h – 18h – Conferência: Arte na História da medicina

18h – Brinde de boas vindas

______________________________________________________________________

20h30 – Jantar por adesão Barbacoa

______________________________________________________________________

Sábado (15/07/2017) – AMB

9h – Fala das Federadas

_____________________________________________________________________

Inscrição: R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) – participantes do programa e acadêmicos com mais de 75 anos estão isentos de inscrição.

 

NEM TODAS AS VAGAS DO MAIS MÉDICOS SÃO OFERECIDAS A BRASILEIROS.

 

Ministério da Saúde alega falta de interesse de médicos brasileiros, em algumas regiões, para retomar convênio com Cuba e trazer mais 950 cubanos ainda em junho. Associação Médica Brasileira rebate que não há falta de interesse e sim impedimentos e restrições nas inscrições de brasileiros.

O Ministro da Saúde retomou o acordo com Cuba para a vinda de cubanos, comprometendo-se a punir Municípios promovam, apoiem ou incentivem a permanência de profissionais intercambistas cooperados, o que foi publicado no Diário Oficial de sexta-feira e que prevê a exclusão de participação no programa do município que assim proceder, inclusive impedindo de futuramente aderir a qualquer forma de recebimento de profissionais médicos promovido pelo Ministério da Saúde.

Para a continuidade da vinda de cubanos o ministro também alega a falta de interesse de brasileiros a determinadas regiões e ainda, recentemente, abriu a possibilidade dos contratos serem realizados com os próprios municípios.

Absurdamente o Ministro novamente se equivoca. Desde o início do programa a prioridade deve ser dada a médicos com CRM no Brasil (formados no país ou com revalidação do diploma), mas isto não vem ocorrendo, por falhas nos sistemas e por não oferecimento das vagas em todos os municípios a brasileiros.

Assim, antes mesmo do anúncio do Ministro, sobre o retorno de médicos cubanos para o Programa Mais Médicos a AMB protocolou duas questões junto à justiça:

-No dia 16/05/2017, junto ao STF pedido de urgência na designação de sessão de julgamento para apreciação da medida cautelar da ADI 5035, já que há mais de 3 anos o processo está com o relator, o Ministro Marco Aurélio.

– No dia 15/05/2017, na Justiça Federal 1ª. Região (Distrito Federal), Ação Civil Pública, com pedido de liminar, para garantir a prioridade de preenchimento as vagas do Mais Médicos para brasileiros formados no Brasil, denunciando problemas que impedem ou dificultam a inscrição.

 AMB REQUER URGÊNCIA AO STF EM AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE DO MAIS MÉDICOS.

A ADI 5035 foi protocolada em agosto de 2013 e ainda não foi designada sessão de julgamento do pedido cautelar e no dia 16/05/2017) a AMB protocolou junto ao STF pedido de urgência na designação de sessão de julgamento para apreciação da medida cautelar, já que há mais de 3 anos o processo está com o relator, o Ministro Marco Aurélio.

Histórico:

A Associação Médica Brasileira (AMB), após a divulgação da MEDIDA PROVISÓRIA Nº 621, DE 8 DE JULHO DE 2013, depois convertida em lei, entrou com a ADI 5035, sustentando que a medida provisória incorria em vícios de inconstitucionalidade, mantidos na LEI Nº 12.871, DE 22 DE OUTUBRO DE 2013 que sucedeu a MP.

As motivações para a ADI e a inconformidade da AMB com a ausência de sessão de julgamento, mesmo após audiência pública ter sido realizada nos dias 25 e 26/11/2013, tem como principais motivos os inúmeros prejuízos a um dos maiores interesses públicos resguardados na Constituição Federal: a saúde pública digna e de qualidade à população brasileira, pois o Programa Mais Médicos, em suas premissas e sua posterior execução, possibilitaram a desproporcional e irracional situação de profissionais atuantes no Mais Médicos:

  • Estrangeiros, sem formação profissional.
  • Estrangeiros, quando médicos, com dispensa da revalidação de diploma, obrigatoriedade em qualquer país sério do mundo para avaliar conhecimentos, habilidades e atitudes dos médicos formados no exterior e verificar se as competências são equivalentes às exigências brasileiras.
  • Estrangeiros com a dispensa de comprovação de proficiência na língua portuguesa.
  • Estrangeiros ocupando espaços onde anteriormente havia médicos brasileiros, que foram demitidos. Prefeituras substituíram médicos brasileiros por médicos cubanos, para trocar a fonte de recursos de pagamento da esfera municipal para a federal, em função da situação orçamentária dos municípios.
  • Estrangeiros, na grande maioria cubanos, recebendo menos de 1/3 dos valores devidos, para que o restante fosse encaminhado à OPAS e à Cuba.
  • Médicos brasileiros tendo suas inscrições dificultadas pelo o sistema, sendo rejeitadas ou não concluídas. Fato este que ainda está presente e que fez com que a AMB entrasse com nova ação, desta vez na Justiça Federal do Distrito Federal.

DESCOBERTA DE IMPEDIMENTOS E DIFICULDADE NA INSCRIÇÃO DE BRASILEIROS NO MAIS MÉDICOS LEVARAM A AMB A ENTRAR COM NOVA AÇÃO

A Associação Médica Brasileira (AMB) protocolou em 15/05/2017, na Justiça Federal 1ª. Região (Distrito Federal), Ação Civil Pública, com pedido de liminar, nº 22133-60.2017.4.01.3400, após ter tomado conhecimento de fato gravíssimo na execução pelo Ministério da Saúde do “Projeto Mais Médicos para o Brasil”, previsto no artigos 13 da Lei 12.871/2013, em relação a médicos brasileiros formados no Brasil: que impede ou dificulta a inscrição e impede a opção para todos os municípios do país. A AMB também recebe denúncias sobre atrasos nos pagamentos dos contratados.

A lei e o regulamento posterior são bastante claros ao priorizar a contratação de médicos com formação no Brasil e somente após, havendo vagas, abrir a possibilidade de inscrição de médicos formados no exterior. Mas fato é que a dificuldades impostas aos brasileiros se chocam com esta definição, conforme relatos recebidos pela AMB.

Problemas Nas Inscrições:

Os problemas vão desde erros de sistema que chegam ao ponto de, mesmo o candidato estando devidamente inscrito, tal inscrição é cancelada.

Dentre as falhas do sistema, constantemente são apresentadas incompatibilidades com os dados do Conselho Federal de Medicina (CFM) e dos Conselhos Regionais respectivos, de modo que quase todo cadastro efetuado por médico devidamente registrado em qualquer Conselho de Medicina Brasileiro de algum modo apresenta erro, inclusive informações como a de que os números de CRMs estariam cancelados ou inválidos, o que não era verdade. Tal fato não é novo e foi amplamente noticiado à época, que inclusive mencionou que a Polícia Federal estaria abrindo investigação para apuração de eventual fraude no Programa Mais Médicos.

No caso específico do Edital SGTES/MS nº 3, de 19 de abril de 2017, algumas das inscrições realizadas apresentaram erros, ao ponto de que, mesmo estando devidamente inscritos conforme cláusula 3 do edital, médicos não tiveram sua inscrição devidamente validada na Portaria nº 118, de 10 de maio de 2017 (divulgação).

Impedimento de inscrição de Brasileiros para todos os Municípios do país

A AMB constatou que a forma de seleção de inscrição é baseada apenas nos Perfis do CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde) para os médicos formados no Brasil ou com diploma revalidado.

Não foi dada opção de se candidatar a todas as vagas existentes ao médico de formação nacional, ou seja, a forma de contabilização do DATASUS faz com os médicos brasileiros aptos sejam jogados para apenas algumas poucas localidades, de modo que sobram médicos, mas estes mesmos não podem ocupar as demais vagas em aberto em outras localidades, mesmo que queiram.

Do modo como está programado o sistema do DATASUS, acabam sobrando médicos em algumas regiões – já que o próprio sistema os obriga a se candidatar naquela localidade – enquanto em outras localidades acabam “sobrando” vagas.

Os médicos estrangeiros não passam por nenhuma restrição de perfil.

Atrasos nos Pagamentos

Além disso, a AMB tem sido procurada pelos médicos que estão contratados, sobre constante atraso no pagamento de salários e bolsas aos médicos do Programa Mais Médicos, sendo que para apuração deste fato está sendo proposta ação coletiva.

DIA MUNDIAL DA SAÚDE DIGESTIVA É CELEBRADO DIA 29 DE MAIO COM ATIVIDADES NO BRASIL

 

Federação Brasileira de Gastroenterologia, que é filiada da Organização Mundial da Saúde, promove ações do Dia Mundial da Saúde Digestiva celebrado dia 29 de maio, que neste ano tem como tema a Doença Inflamatória Intestinal.

A Doença Inflamatória Intestinal (DII) cuja prevalência e incidência no Brasil tem sido crescente na última década será o tema do Dia Mundial da Saúde Digestiva de 2017, a ser celebrado no dia 29 de maio. A data faz parte do calendário global de ações da Organização Mundial de Saúde, da qual a Federação Brasileira de Gastroenterologia é filiada e, portanto, também estará envolvida nesta campanha de conscientização da população sobre o tema através de seu Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB). Este grupo formado ha 14 anos por médicos e profissionais de saúde envolvidos em pesquisa e na assistência de pacientes com DII tem como objetivo realizar educação continuada nas diferentes especialidades envolvidas no atendimento de pacientes com DII, desenvolver diretrizes e consensos norteadores de ações no diagnostico e tratamento da doença, e estimular o desenvolvimento de pesquisa nesta área.  O GEDIIB desenvolve anualmente diferentes ações  nacionais durante o mês de maio , denominado de Maio Roxo, em conjunto com Associações de pacientes e outras Sociedades afins.

O que é a DII

A DII se caracteriza pela presença de um processo inflamatório crônico do trato digestório , em especial no intestino, órgão  responsável pela digestão de alimentos, absorção de nutrientes e água, e eliminação dos resíduos não aproveitados pelo organismo através das fezes. Os tipos principais de DII são a  Doença de Crohn (DC) e a Retocolite ulcerativa (RCU). A DC pode acometer qualquer segmento do trato gastrointestinal de forma descontinua , e a RCU  afeta apenas o cólon de forma continua por diferentes extensões intestinais. Seus sintomas principais e clássicos são:  Diarréia crônica, dor abdominal tipo cólica recorrente, presença de sangue nas fezes, perda de peso, febre, e parada de crescimento em crianças e adolescentes. Fadiga, anemia,  constipação e manifestações extraintestinais como problemas articulares, ou dermatológicos também podem estar presentes.

Até o momento a DII não tem cura, sendo que seu tratamento tem como objetivo controlar os dos sintomas, manter o estado nutricional do paciente, evitar internações e cirurgias, e reduzir o impacto da doença na qualidade de vida do paciente. Segundo o GEBIID, o diagnostico precoce, assim como a implementação de tratamento adequado , principalmente nos primeiros anos de doença, são fundamentais para estes pacientes e para o Estado, pois os custos do tratamento  podem ser  bastante onerosos para a rede de saúde pública.

“O impacto da DII na saúde pública brasileira ainda carece de informações e dados precisos sobre a doença no Brasil, tais como a estimativas de prevalência e incidência  avaliações econômicas de custos diretos (exames, drogas, serviços médicos, hospitalizações) e avaliações econômicas de custos indiretos (aposentadorias precoces, absenteísmo) gerados pela doença”, diz a Dra Cyrla Zaltman, presidente do GEBIID.

Mais informações sobre DII podem ser obtidas no site oficial do Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB).  http://gediib.org.br/

ABORL-CCF promove II Combined Meeting

Expoentes brasileiros da laringologia, cirurgia de cabeça e pescoço, medicina do sono e otorrinolaringologia pediátrica estarão reunidos para a 2ª edição do Combined Meeting, evento promovido pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF), que será realizado no Centro Fecomércio de Eventos, em São Paulo, de 2 a 4 de junho.

Durante os três dias de evento os profissionais convidados irão discutir nada mais nada menos do que o estado da arte destas quatro especialidades. “Os trabalhos serão conduzidos em sala única, o que possibilita uma ampla abordagem de importantes tópicos com graus de profundidade e complexidade crescentes. Como sempre, procuramos elaborar uma grade científica densa, abrangente e em absoluta sintonia com as dificuldades cotidianas enfrentadas por todos nós”, afirma o criador do evento, Dr. Sady Selaimen.< /o:p>

Na oportunidade serão promovidas discussões de casos, mesas redondas e apresentação de trabalhos científicos. “O objetivo maior do encontro é trazer os principais nomes de cada subespecialidade e suas contribuições no universo acadêmico e profissional”, complementa Dr. Sady Selaimen.

 

Serviço.

O que: II Combined Meeting;

Quando: 2 a 4 de junho de 2017;

Onde: Centro Fecomércio de Eventos;

Endereço: Rua Doutor Plínio Barreto, 285 – Bela Vista

Realização: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF);

Mais informações: http://www.aborlccf.org.br/2combined/default.asp

Telefone para contato: (11) 5053-7502

AMB contra a corrupção

“A delação premiada desta semana comprova o que mais temíamos. A corrupção é doença que ataca quase todos políticos brasileiros, sem distinguir partido, viés ideológico, idade ou posição nos poderes.

Além de reforçar evidências e indícios de que os últimos governos se locupletaram por meio de propinas, esta delação mostra que corrupção é continuada, mesmo depois da troca de governo, utilizando caminhos e agentes semelhantes aos usados anteriormente.

Infelizmente, esta delação chega em momento crítico para o Brasil, justamente quando nossa economia começava dar sinais de recuperação. Quando começávamos a ter esperança de colocar o país e a economia nos trilhos, depois de tantos anos de desmandos, gastanças e, claro, corrupção, que corroeram a saúde financeira do Estado brasileiro e poder de compra dos brasileiros. Justamente quando andávamos com reformas da previdência e trabalhista, tão importantes para desenvolver o mercado de trabalho e garantir aposentadoria justa para próximas gerações. E vitais para equilíbrio financeiro das contas públicas.

Em contrapartida, ver o presidente ser alvo de inquérito é prova de que alguns membros de nossas instituições estão cumprindo seus papéis e investigando.

A Associação Médica Brasileira (AMB) espera que todos fatos sejam apurados com agilidade e, doa a quem doer, responsáveis sejam exemplarmente punidos, independentemente de ideologia político-partidária. Também rogamos por maior transparência na apresentação dos fatos para que cada cidadão possa fazer juízo do que acontece nesse condenável submundo.

Chega de tanta corrupção. Precisamos, à luz de nossa Constituição, passar o Brasil a limpo.”

ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA ASSINA ACORDO COM A CHINA.

 

Beijing /China: O Dr. Florentino Cardoso assinou hoje pela manhã um acordo, MOU (Memorandum Of Understanding), entre AMB e Associação Médica Chinesa (CMDA – Chinese Medical Doctors Association), que prevê intercâmbio, troca de experiências e de trabalhos entre as entidades. O acordo estava sendo negociado há três meses.

Este intercâmbio é de grande importância para a AMB, pois fortalece nossa instituição e amplia sua visibilidade e importância, tanto no cenário nacional, quanto internacional.

A China hoje conta com mais de 2,7 milhões de médicos, tem mercado em franca expansão e crescendo além das fronteiras do próprio país.

Ainda em Beijing o Dr. Florentino participará do CCS2017 – Décima Reunião Anual da Associação Médica Chinesa de Cirurgiões, onde na manhã do dia 20/5 receberá o título de membro honorário da entidade em virtude de suas realizações na área médica.

Continuando sua programação, ainda no dia 20/5, no CCS2017, o Dr. Florentino fará palestra sobre “Formação do Cirurgião Geral no Brasil” e no dia seguinte outra conferência em Macau, China, sobre “Erro Médico”.

Sobrice 2017

Sobrice 2017, o maior encontro nacional dedicado inteiramente a procedimentos minimamente invasivos e guiados por imagens, vai se realizar em São Paulo, de 06 a 08 de Julho.

A Radiologia intervencionista está evoluindo rápida e continuamente, explorando novas áreas, mostrando sua força de inovação que sempre foi seu DNA e consolidando-se em alguns territórios já explorados. Cada vez mais pautada pela geração de dados e evidências do seu valor para o paciente.

O desafio do Congresso Sobrice 2017 é ser o seu portal de acesso para manter-se a par de todas essas mudanças e novidades , um desafio também de criar durante esse evento um ambiente de interação entre todos os profissionais e empresas envolvidos no dia a dia da intervenção num fórum abrangente para a educação e intercâmbio de experiencias.

Mais informações: http://congressosobrice.com.br/

AMB promove o Congresso Internacional de Saúde Baseada em Evidência – CISBE 2017

Durante os dias 17 a 19 de agosto, a Associação Médica Brasileira (AMB) promoverá o Congresso Internacional de Saúde Baseada em Evidência (CISBE) 2017. Acontecerá na cidade de Fortaleza, no Centro de Eventos do Ceará.
Além das conferências, os participantes terão oportunidade de apresentar os trabalhos que estão desenvolvendo para especialistas, discutindo seus resultados, melhorando, desta forma, a qualidade de sua produção científica.
O encontro será uma oportunidade impar para estreitamento de laços com membros de instituições e entidades ligadas a medicina, que contribuem para melhorias importantes nas condições de saúde e na expectativa de vida da população, pois participarão médicos, estudantes, pesquisadores, professores, gestores, líderes da área da saúde, estudantes em nível de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado) com conhecimentos em medicina, gestão, políticas públicas e especialistas de várias universidades e institutos de pesquisa, assim como renomadas instituições.
A participação poderá ser presencial, online ou os dois e há preços diferenciados para sócios da AMB, médicos residentes e acadêmicos.

Para saber mais e realizar sua inscrição acesse: http://cisbe.amb.org.br/

 

 

 

TRIBUNAIS DECIDEM QUE ENFERMEIROS NÃO PODEM ATUAR COMO MÉDICOS

 

 

As decisões suspendem os efeitos de Resolução do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen 529/2016) que definia a atuação de enfermeiros em áreas restritas da cirurgia plástica, da cirurgia vascular e da dermatologia e estética.

Foram duas ações:

Uma teve como autores a Associação Médica Brasileira (AMB), a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBAVC) junto ao TRF da 5ª. Região.

Outra foi protocolada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), na Justiça Federal do Distrito Federal.

Na ação da SBD, em sua decisão, o Excelentíssimo Senhor Juiz Federal, Dr. Itagiba Catta Preta Neto, esclarece: “Como visto ao enfermeiro foram outorgadas atribuições típicas do profissional da medicina, como anamnese e prescrição de tratamento, prescrição e aplicação de substâncias no corpo humano, intervenção no sistema linfático e outras que, em regra e princípio, fogem à alçada dos enfermeiros.”

Na ação da AMB a decisão da Excelentíssima juíza, Dra. GISELE MARIA DA SILVA ARAUJO LEITE, vai além da suspensão da resolução, pois também determina que “o réu se abstenha de editar nova norma que trate da atuação de Enfermeiros em cirurgia plástica, cirurgia vascular, dermatologia e estética, como noticiado em seu sítio eletrônico”.

A Dra. Gisele ainda, deixou de designar a Audiência de Conciliação, pois considerou que “o objeto da causa não admite a autocomposição. Sendo assim, determino apenas a CITAÇÃO da parte requerida para apresentar defesa, no prazo legal, oportunidade em que deverá especificar as provas que pretende produzir.”

Além disso a Dra Gisele, destaca que “considerando que se discute, na presente ação, a tutela da saúde da população, especialmente a parcela que se submete aos tratamentos referidos na inicial, determino igualmente a intimação do Ministério Público Federal para se manifestar no feito, na condição de fiscal da lei e no prazo de 15 (quinze) dias, após a apresentação da contestação e respectiva réplica”.

Por ter tido como autora a AMB esta ação distribuída no TRF da 5ª. Região tem efeito vinculante Nacional, conforme nos esclarece o Dr. Carlos Michaelis Jr., coordenador jurídico da AMB.

Para o Dr. Florentino Cardoso, Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB) “A AMB sempre estará na defesa do paciente, em especial no que se refere a recorrente invasão de não médicos buscando atuar em áreas restritas pela Lei do Ato Médico, colocando em risco qualidade dos procedimentos e principalmente segurança do paciente. Atuamos e atuaremos sempre que necessário, em conjunto com CFM e sociedades de especialidades, em todas esferas, administrativas ou jurídicas. Os motivos não são corporativistas, estão fundamentados em razões científicas, clínicas e acadêmicas, para que somente médicos especialistas estejam habilitados a realizar determinados procedimentos.”

Clique nos links abaixo para visualizar:

Cofen – CFO

Cofen – AMB – SBCP – SBACV