Galeria de Presidentes

Galeria de Presidentes

Florentino de Araújo Cardoso FilhoFlorentino de Araújo Cardoso Filho
2011 – 2014 / 2014 – 2017

As duas gestões da Diretoria presidida por Florentino Cardoso à frente da AMB foram marcadas por intensas lutas em defesa dos médicos, da Medicina e da Saúde da população. A atuação junto ao Congresso Nacional foi intensa, levando a conquistas de aprovações de leis importantes: Super Simples; substituição de Decreto Presidencial e com isso fortalecimento da independência das entidades Médicas no que tange às definições da formação de Especialistas Médicos; Ato Médico; contratos e reajustes anuais aos prestadores de serviços dos planos de saúde e a definição de denominação “médico” no diploma de Medicina. Defendendo a Lei do Ato Médico foi incansável judicializando e/ou apoiando inciativas de judicialização movidas por outras entidades, pelo exercício ilegal da medicina, promovido por conselhos de outras categorias ligadas à saúde. Fomentou a formação médica e valorização do Título de Especialista e Certificados de Área de Atuação além de intensa atuação na revisão da CBHPM e sua utilização pelos planos de saúde e gestões para utilização no SUS. Apesar da firmeza de atuação, algumas de suas lutas ainda não obtiveram o resultado desejado e espera que tenham frutos colhidos na próxima gestão: ação no STF contra o Mais Médicos; Carreira Médica de Estado e abertura e manutenção somente de Escolas Médicas de Qualidade. Foi um trabalho árduo, de uma Diretoria coesa, dedicada, que contou com forte ajuda de Sociedades de Especialidades e Federadas da AMB. A união da classe e foco no trabalho coletivo sempre trará bons resultados. Florentino agradece a todos da Diretoria que terminou o mandato, aos dedicados funcionários da AMB e todos colegas que conviveu nas Sociedades de Especialidade e nas Federadas.

José Luiz Gomes do AmaralJosé Luiz Gomes do Amaral
2005 – 2008 / 2008 – 2011

Durante seu mandato, o Brasil teve destacada atuação internacional: sediou a revisão da Declaração de Helsinque (2008), o uso de placebo em pesquisa médica associada ao tratamento (2010), e o Seminário Internacional de Resiliência Médica (2010), Conferência Doutores do Ambiente (2009). Em 2012, foi eleito por aclamação para presidir a Associação Médica Mundial (WMA). Ainda no âmbito internacional, Amaral presidiu também a Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP), em março de 2010, além de ter representado o país na Confederação Médica Latino-Americana e do Caribe (Confemel) e no Fórum Iberoamericano de Entidades Médicas. Em sua gestão, foi criado do Jamb Cultura, além de implementadas diversas ações sociais, como o projeto SOS Haiti e AMB Solidariedade.

Eleuses Vieira de PaivaEleuses Vieira de Paiva
1999 – 2002 / 2002 – 2005

Durante suas duas gestões consecutivas, concretizou-se a parceria entre a AMB e o Conselho Federal de Medicina em importantes atuações como a elaboração e a implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos, a regulamentação do ato médico, o Projeto Diretrizes e o Certificado de Atualização Profissional para especialistas, entre diversas outras.

Mario da Costa Cardoso FilhoMario da Costa Cardoso Filho
1991 – 1995

Foi um dos presidentes eleitos com maior número de votos: conseguiu na média mais de 85% dos votos válidos em todo o País. Deu seqüência ao trabalho do presidente Nassif, priorizando a valorização do CH, implantação da THM e ensino médico.


Antonio Celso Nunes NassifAntonio Celso Nunes Nassif
1987 – 1991 / 1995 – 1999

A principal preocupação de sua primeira gestão foi a valorização profissional do médico. Na seguinte, foram publicadas as edições de 1988 e de 1990 da THM. Ensino médico foi outro frente de luta de Nassif, que culminou com a publicação do documento “Propostas da AMB para Cursos de Graduação em Medicina”, resultado de um Fórum Nacional realizado em Aracaju, em 1989.

Nelson ProençaNelson Proença
1983 – 1987

Foi responsável pela reformulação do Jornal da Associação Médica Brasileira – JAMB, que depois de 25 anos como tablóide passou a ser editado e impresso em modelo standard. Também ampliou e reformou a atual sede da entidade, na Rua São Carlos do Pinhal, em São Paulo.


Mário Barreto Corrêa LimaMário Barreto Corrêa Lima
1981 – 1983

Conseguiu aprovar por unanimidade a atualização dos estatutos da época. Também durante sua gestão foi criado o Conselho Científico da AMB, no qual estão representadas todas as Sociedades de Especialidade filiadas.


Pedro KassabPedro Kassab
1969 – 1981

Foi o presidente da AMB com maior número de mandatos: dirigiu a entidade por seis vezes, de 1969 a 1981. Durante sua segunda gestão, em maio de 73, é que a atual sede da AMB, em São Paulo, foi adquirida.


Fernando Megre VellosoFernando Megre Velloso
1965 – 1969

Assumiu a presidência no dia 30 de outubro de 1965, durante a realização do IV Congresso da AMB, em Porto Alegre. Foi o sétimo presidente da entidade. Em abril de 1967, editou a primeira versão da Tabela de Honorários Médicos da AMB, que inicialmente não foi aceita pelo Departamento Nacional de Previdência Social.


joseluisfloressoaresJosé Luis Tavares Flores Soares
1963 – 1965

O fato marcante de sua gestão foi a desfiliação da Associação Médica da Guanabara do quadro de Federadas da AMB. Foi, também, na gestão de Flores Soares que a Associação Médica Brasileira deu início às reformas estatutárias, em setembro de 64, quando já contava com um quadro associativo de 20 mil médicos.


Sebastião de Almeida Prado SampaioSebastião de Almeida Prado Sampaio
1961 – 1963

Suas principais lutas foram equacionar os problemas da assistência médica previdenciária; melhorar a qualidade do ensino médico e equilibrar a distribuição de médicos pelo País.


Antonio Moniz de AragãoAntonio Moniz de Aragão
1959 – 1961 

Manteve estreito relacionamento com as autoridades governamentais. Em sua gestão, a principal preocupação da entidade foi a assistência médico-hospitalar.


Iseu de Almeida e SilvaIseu de Almeida e Silva
1957 – 1959

Eleito por chapa única, sua gestão foi marcada pela luta em prol dos interesses da classe e constantes apelos ao governo pelo aumento do valor da então chamada Unidade de Serviço.


Hilton RochaHilton Rocha
1955 – 1957

Foi empossado no dia 5 de novembro de 1955, durante a Assembléia de Delegados realizada em Recife, Pernambuco.


Alípio Corrêa NetoAlípio Corrêa Neto
1951 – 1955

Dirigiu a AMB inicialmente como presidente provisório, depois como presidente efetivo. Com pulso firme, mas conciliador, o professor Alípio estruturou a AMB, que ganhou prestígio, reuniu a classe e a fortaleceu.