TAMANHO FAMILIA

A edição 1409 do Jamb está com o dobro do tamanho tradicional. Foram necessárias 64 páginas para contar tudo que aconteceu na AMB nos últimos meses.

A situação de grande parte das 2.100 Santas Casas brasileiras é um dos assuntos desta edição.

A matéria de capa relembra os passos do atendimento médico que salvaram a vida do presidente Jair Bolsonaro.

Veja também: Mulheres na medicina; A verdadeira história do programa Mais Médicos; Diretor da AMB assume a presidência da World Medical Association (WMA).
https://amb.org.br/jamb/

#JAMB #AMB #JornaldaAMB

PRESIDENTE DA AMB PASSA A INTEGRAR CONSELHO DA WMA

Durante a 212ª Sessão do Conselho World Medical Association (WMA), que está sendo realizada em Santiago (Chile) deste hoje (25/04/2019), Lincoln Lopes Ferreira foi anunciado como membro do Conselho da entidade. Lincoln, além de presidente da AMB, é vice-presidente da Confederação Médica Ibero-Latina-Americana e do Caribe (Confemel).

Presentes à reunião ainda se encontram Dr Miguel Roberto Jorge, presidente eleito da WMA e 1º Tesoureiro da AMB; Eduardo Nagib Gaui, Diretor de Relações Internacionais da AMB e Antonio Jorge Salomão, Secretário-Geral da AMB. Pelo Brasil, ainda acompanharam a sessão, Nivio Lemos Moreira Junior e Juracy Barbosa, representantes da AMB na Junior Doctors Network, da WMA.

#WMA #AMB

OBESIDADE E TRANSPLANTE CARDIOLÓGICO PAUTAM REUNIÃO DO CONSELHO CIENTÍFICO DA AMB

Duas doenças que acometem uma parcela significativa da população brasileira pautaram a reunião do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB) desta terça-feira (23). O encontro contou com a presença do presidente da AMB, Lincoln Ferreira, e do diretor científico da entidade, Antônio Carlos Chagas, além de representantes de sociedades de especialidades.

Os participantes ampliaram os conhecimentos sobre implante transcateter de válvula aórtica, apresentado por Fábio Sandoli de Brito Jr., coordenador do serviço de cardiologia intervencionista do Hospital Sírio Libanês; e sobre políticas de prevenção e tratamento da obesidade, abordados por Maria Edna de Melo, diretora do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (Sben).

“A cardiologia e a endocrinologia são duas especialidades extremamente atuantes na comunidade científica brasileira e são muito importantes para levantar discussões que interferem diretamente na qualidade da saúde dos pacientes” destaca Antônio Carlos Chagas.

Políticas retrógradas e falta de diagnóstico
Quando o assunto é a prevenção da obesidade, o Brasil ainda caminha a passos lentos. A doença acomete cerca de 30 milhões de brasileiros e é subdiagnosticada. “Se uma pessoa é obesa e morre vítima de doenças como insuficiência cardíaca, diabetes ou hipertensão, o que desencadeou isso foi a obesidade, resultado da combinação entre pré-disposição e um ambiente que facilita o desenvolvimento da doença”, ressalta Maria Edna de Melo.
Enquanto no Brasil há um tímido avanço na rotulagem frontal de alimentos com alto teor de açúcar, em países como o Chile as recomendações da Organização Mundial de Saúde já são seguidas para frear a obesidade:
• Regulamentação da alimentação no ambiente escolar;
• Proibição da publicidade infantil;
• Taxação de bebidas açucaradas;
• Rótulos frontais, com alertas sobre os componentes nutricionais dos alimentos;

A diretora do departamento de obesidade da Sben sugere, inclusive, que as sobretaxas sejam expandidas para alimentos nutricionalmente pobres e altamente energéticos, como macarrões instantâneos e salgadinhos de milho. “Isso repercute nos hábitos alimentares e é comprovadamente contribui para a redução do consumo de refrigerantes e aumento da ingestão de água”, pontua Maria Edna de Melo.

Por enquanto, ainda estamos na contramão deste processo: os projetos que proíbem a publicidade infantil continuam engavetados no Congresso Nacional, não há leis específicas para regulamentar a alimentação escolar e as empresas de bebidas recebem subsídios da ordem de R$ 7 bilhões por ano.

Menos invasivo, mais eficaz
A reunião do Conselho Científico da AMB também abordou as inovações no tratamento de Estenose Aórtica, que normalmente acomete pacientes idosos. Estudos realizados nos últimos dez anos mostraram que o implante transcateter de válvula aórtica apresenta resultados no mínimo tão bons quanto a cirurgia tradicional.

“O paciente ganha com a realização de uma cirurgia minimamente invasiva, tempo de internação menor, recuperação e retomada das atividades normais mais rápidas. Assim, esse passou a ser o padrão ouro para pacientes com doença valvar aórtica”, explica Fábio Sandoli de Brito Jr.

O procedimento começou a ser testado em pacientes com risco cirúrgico alto ou que nem eram elegíveis para a cirurgia tradicional. Depois, foi avaliado em cenários de menor complexidade e mesmo os pacientes com baixo risco se beneficiaram dos resultados.
Apesar dos benefícios, a expectativa é que apenas 1.500 implantes transcateter sejam realizados no Brasil este ano. Ainda não há reembolso para o procedimento nos sistemas público e privado e o custo para o paciente é alto. Além disso, é uma intervenção que requer treinamento e experiência médica para obter os resultados demonstrados nos estudos.

Outra questão ainda precisa ser estudada: a durabilidade das próteses transcateter. Isso faz com que a indicação para o tratamento se restrinja a pacientes com mais de 70 anos. O coordenador do serviço de cardiologia intervencionista do Hospital Sírio Libanês, entretanto, se monstra confiante sobre o futuro do tratamento.

“Esse é um caminho sem volta. Assim como aconteceu com os stents coronários, extremamente caros há algumas décadas, não tenho dúvidas de que, no futuro, os implantes transcateter serão democratizados e vão estar disponíveis para o grande número de pacientes que necessitam desse tipo de tratamento”, destaca.

Foto: Gabriela Costa/Timbro Comunicação

AMB ENVIA CARTA À REDE GLOBO PARA FALAR SOBRE O REVALIDA

Em ofício enviado à Rede Globo de Televisão, nesta quarta-feira (17/04), o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Lincoln Lopes Ferreira, expressa a preocupação da entidade com a abordagem adotada pela novela Órfãos da Terra, em cena de 15 de abril, em que cita a impossibilidade de o personagem Faruk revalidar o diploma de medicina.

No ofício endereçado ao Sr. Carlos Henrique Schroder, Diretor Geral da Rede Globo de Televisão e aos senhores Silvio de Abreu, Diretor de Teledramaturgia da Rede Globo, e às autoras da novela, Thelma Guedes e Duca Rachid, a AMB explica a importância da revalidação dos diplomas, sendo uma das formas o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas (Revalida), para o acompanhamento da qualidade do atendimento médico prestado, independente da faculdade ou país onde o médico tenha se formado.

Ofício 036 – Rede Globo de Televisão

CONHEÇA OS REPRESENTANTES DA FRENTE PARLAMENTAR DA MEDICINA

A nova Frente Parlamentar Mista da Medicina (FPMed), criada em fevereiro deste ano no Congresso Nacional com o objetivo de tratar dos principais assuntos e projetos de lei relacionados à Medicina, aos médicos e à Saúde da população brasileira, divulgou nesta semana sua Mesa Diretora e os nomes dos coordenadores regionais. A FPMed já conta com mais de 240 parlamentares entre deputados e senadores, muitos deles inclusive médicos.

O presidente da Frente Parlamentar da Medicina, deputado federal (PP-RO), e médico oftalmologista, Hiran Gonçalves, tem como 1º vice-presidente da Frente, o deputado federal (PSB – PR), Luciano Ducci, que também é médico (pediatra), e como 2º Vice-presidente, a senadora Mara Gabrili (PSDB-SP).

Conheça os membros da Mesa Diretora da Frente Parlamentar da Medicina e dos cinco coordenadores regionais no site da AMB: (link)

IMPORTANTE ESCLARECIMENTO SOBRE O PAPEL DA MAMOGRAFIA NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA

 

 

A Associação Médica Brasileira apoia a nota de esclarecimento publicada ontem conjuntamente pelo Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR), pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e pela Federação Brasileira das
Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).
Importante informar a população sobre o carácter decisivo da mamografia na prevenção do câncer de mama, em resposta a vídeos publicados recentemente na mídia eletrônica (Youtube), que disseminam de maneira irresponsável
informações distorcidas sobre a detecção e diagnóstico deste tipo de câncer.

Leia a nota completa no site: link

CONTRA O CÂNCER DE MAMA

Tratamentos inovadores, novas tecnologias e medicamentos para o câncer de mama foram o foco de discussão do 22º Congresso Brasileiro de Mastologia, organizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), que comemora 60 anos.

O evento reuniu, de 10 a 13 de abril, no Rio de Janeiro, 11 pesquisadores internacionais, além de especialistas brasileiros de renome. A Diretora de Assuntos Parlamentares da AMB, Débora Cavalcanti, representou a entidade na solenidade de abertura.

“Gostaria de parabenizar o presidente da SBM. Antonio Luiz Frasson, pela brilhante gestão e por ter conseguido a união da nossa sociedade em prol da mastologia brasileira. Enfatizo, também, o apoio que nosso presidente Lincoln Ferreira tem dado às causas da especialidade”, destacou Débora Cavalcanti.

Entre os temas abordados estão a evolução da cirurgia do cancro da mama, o perfil patológico e genômico, a evolução do tratamento sistêmico adjuvante e o tratamento de pacientes de alto risco.

 

REUNIÃO DAS COMISSÕES DE ASSUNTOS POLÍTICOS DAS ENTIDADES MÉDICAS NACIONAIS EM BRASÍLIA

As Comissões de Assuntos Políticos das Entidades Médicas Nacionais, se reuniram nesta quinta-feira (11/04) para análises de projetos que estão tramitando no Congresso Nacional e são de interesse da medicina, dos médicos e da saúde da população brasileira. Foi apresentado um balanço muito positivo das reuniões realizadas nesta quarta-feira (10/04) na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Os parlamentares, que após entenderem os posicionamentos das entidades médicas sobre seus projetos, se comprometeram em aprofundarem estudos para alterarem as redações de seus projetos.

Na reunião do dia 11 estiveram presentes além da AMB, CFM, representantes da Fenam, FMB, AEMED-BR, ABLAM.

A Comissão de Assuntos Políticos da AMB (CAP AMB), conforme estatuto da entidade, é uma comissão permanente, que se reúne com as comissões da demais entidades mensalmente há quase duas décadas.

A CAP AMB é constituída por três membros titulares e três suplentes, hoje composta da seguinte forma:

Membros titulares:
Presidente: Débora Eugênia N. Cavalcanti (PB), Diretora de Assuntos Parlamentares da AMB
Secretário: José Luiz Dantas Mestrinho (DF)
Fernando Genschow (DF)

Membros suplentes:
Etelvino Trindade (DF)
Ognev Cosac (DF)
Paulo Lazaro (SP)

Assista alguns vídeos da reunião.

 

Milena Palma, presidente da AEMED-BR

Assessor Parlamentar da AMB, Napoleão Puentes Salles

Nemesio Tomasella, do CFM

Priscilla Costa, presidente da ABLAM

Fotos e vídeo: Jorge Gutierrez/Timbro

INSTITUTO DA PRÓSTATA

São Paulo ganhou um novo centro de diagnóstico e tratamento de doenças da próstata. Idealizado pelo Hospital Moriah e dirigido por Miguel Srougi, o Instituto da Próstata, foi inaugurado essa semana e contou com a presença do secretário-geral da AMB, Antonio Jorge Salomão.

“O instituto significa uma grande inovação para humanizar o diagnóstico de doenças da próstata. Por meio do projeto, uma nova tecnologia de pulsão está sendo implementada no Brasil, sob coordenação de Victor Srougi, e representa mais conforto para os pacientes”, destaca Salomão.

Na ocasião, também foi realizado o I Simpósio Moriah de Doenças da Próstata, que debateu temas como incontinência urinária, prevenção de ressecção transuretral de próstata e de hiperplasia prostática, além de inovações da biópsia e tratamentos de câncer de próstata no consultório.

Foto: Facebook – Hospital Moriah

#AMB #InstitutodaProstata

AMB SE REÚNE COM DEPUTADOS PARA ACELERAR TRAMITAÇÃO DAS PAUTAS MÉDICAS

A semana foi dedicada à abordagem das demandas médicas junto aos parlamentares no Congresso. O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, juntamente com membros das Comissões de Assuntos Políticos das Entidades Médicas Nacionais, se reuniu com vários deputados federais em Brasília para tratar de assuntos pertinentes à atividade médica que estão em tramitação na Câmara.

Também participaram das reuniões Mauro Cesar Viana de Oliveira, vice-presidente Nordeste da AMB; Napoleão Puentes, assessor parlamentar da AMB; Jorge Sale Darze, presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam); Fernando Claudio Genschow, membro da CAP AMB e presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura; Ognev Cosac, presidente da Associação Médica de Brasília (AMBr) e membro da CAP AMB; e Casemiro dos Reis Junior, presidente da Federação Médica Brasileira (FMB).

Defesa do ato médico

Com o deputado Fred Costa, o assunto foi o PL 1559/19, que dispõe sobre o reconhecimento da área de Estética e Cosmetologia e/ou Saúde Estética aos profissionais da Saúde (biólogos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, fonoaudiólogos e cirurgiões-dentistas), de autoria do parlamentar.

Os participantes esclareceram ao deputado as graves implicações potenciais aos pacientes, quando determinados procedimentos exclusivamente médicos são realizados por profissionais de outras áreas. O resultado pode ser o surgimento de intercorrências, sequelas, muitas vezes irreparáveis, e que podem até ameaçar a vida dos pacientes.

Estiveram presentes na reunião, além da AMB e do CFM, representantes da Fenam, FMB, AEMED-BR, ABLAM, Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com o presidente da AMB, Lincoln Ferreira, “ficou acordado com o Deputado que o projeto ficará suspenso, de maneira que nossas entidades possam prover os fundamentos técnicos, científicos e legais (Lei 12842/13 – Ato médico) para subsidia-lo na tomada de posição”.

Mais punições contra agressão

Já com os deputados Hiran Gonçalves, presidente da Frente Parlamentar da Medicina, e Marina Dias, a discussão foi sobre o PL 6749/2016, de Goulart (PSD/SP), que tramita de forma conjunta com o PL 7269/201, de Sinval Malheiros (PTN/SP), no Congresso. O tema é o aumento da punição para agressores de médicos e demais profissionais da saúde em horário de trabalho.

A ideia é ter penas mais duras para crimes de lesão corporal, contra a honra, ameaça e desacato. A matéria já passou pela da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) e agora aguarda inclusão na ordem do dia no plenário da Câmara dos Deputados.

Propostas para a atividade médica

O PL 1584/2019, do deputado Dr. Jaziel, que fixa o piso salarial dos médicos também foi tema de reunião no Congresso e foi discutido com o deputado Dr. Frederico. O PL foi encaminhado na última quarta-feira (10) para apreciação da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF).

O deputado Jaziel (PR/CE), também recebeu o presidente da AMB e os membros da Comissões de Assuntos Políticos das Entidades Médicas Nacionais. “Discutimos sobre a realização de um seminário para avaliação da Tabela SUS, sobre os PLs referentes aos exames de proficiência, as relações de trabalho do médico como Pessoa Jurídica e sobre a falta de amparo legal ao projeto que trata da perícia médica multidisciplinar’, detalhou Lincoln Ferreira.

Sobre CAP AMB

A Comissão de Assuntos Políticos da AMB (CAP AMB), conforme estatuto da entidade, é uma comissão permanente, que se reúne com as comissões da demais entidades mensalmente há quase duas décadas. A CAP AMB é constituída por três membros titulares e três suplentes, hoje composta da seguinte forma:

Membros titulares
Presidente: Débora Eugênia N. Cavalcanti (PB), Diretora de Assuntos Parlamentares da AMB
Secretário: José Luiz Dantas Mestrinho (DF)
Fernando Genschow (DF)

Membros suplentes:
Etelvino Trindade (DF)
Ognev Cosac (DF)
Paulo Lazaro (SP)

Fotos: Jorge Gutierrez/Timbro