OBESIDADE E TRANSPLANTE CARDIOLÓGICO PAUTAM REUNIÃO DO CONSELHO CIENTÍFICO DA AMB

Duas doenças que acometem uma parcela significativa da população brasileira pautaram a reunião do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB) desta terça-feira (23). O encontro contou com a presença do presidente da AMB, Lincoln Ferreira, e do diretor científico da entidade, Antônio Carlos Chagas, além de representantes de sociedades de especialidades.

Os participantes ampliaram os conhecimentos sobre implante transcateter de válvula aórtica, apresentado por Fábio Sandoli de Brito Jr., coordenador do serviço de cardiologia intervencionista do Hospital Sírio Libanês; e sobre políticas de prevenção e tratamento da obesidade, abordados por Maria Edna de Melo, diretora do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (Sben).

“A cardiologia e a endocrinologia são duas especialidades extremamente atuantes na comunidade científica brasileira e são muito importantes para levantar discussões que interferem diretamente na qualidade da saúde dos pacientes” destaca Antônio Carlos Chagas.

Políticas retrógradas e falta de diagnóstico
Quando o assunto é a prevenção da obesidade, o Brasil ainda caminha a passos lentos. A doença acomete cerca de 30 milhões de brasileiros e é subdiagnosticada. “Se uma pessoa é obesa e morre vítima de doenças como insuficiência cardíaca, diabetes ou hipertensão, o que desencadeou isso foi a obesidade, resultado da combinação entre pré-disposição e um ambiente que facilita o desenvolvimento da doença”, ressalta Maria Edna de Melo.
Enquanto no Brasil há um tímido avanço na rotulagem frontal de alimentos com alto teor de açúcar, em países como o Chile as recomendações da Organização Mundial de Saúde já são seguidas para frear a obesidade:
• Regulamentação da alimentação no ambiente escolar;
• Proibição da publicidade infantil;
• Taxação de bebidas açucaradas;
• Rótulos frontais, com alertas sobre os componentes nutricionais dos alimentos;

A diretora do departamento de obesidade da Sben sugere, inclusive, que as sobretaxas sejam expandidas para alimentos nutricionalmente pobres e altamente energéticos, como macarrões instantâneos e salgadinhos de milho. “Isso repercute nos hábitos alimentares e é comprovadamente contribui para a redução do consumo de refrigerantes e aumento da ingestão de água”, pontua Maria Edna de Melo.

Por enquanto, ainda estamos na contramão deste processo: os projetos que proíbem a publicidade infantil continuam engavetados no Congresso Nacional, não há leis específicas para regulamentar a alimentação escolar e as empresas de bebidas recebem subsídios da ordem de R$ 7 bilhões por ano.

Menos invasivo, mais eficaz
A reunião do Conselho Científico da AMB também abordou as inovações no tratamento de Estenose Aórtica, que normalmente acomete pacientes idosos. Estudos realizados nos últimos dez anos mostraram que o implante transcateter de válvula aórtica apresenta resultados no mínimo tão bons quanto a cirurgia tradicional.

“O paciente ganha com a realização de uma cirurgia minimamente invasiva, tempo de internação menor, recuperação e retomada das atividades normais mais rápidas. Assim, esse passou a ser o padrão ouro para pacientes com doença valvar aórtica”, explica Fábio Sandoli de Brito Jr.

O procedimento começou a ser testado em pacientes com risco cirúrgico alto ou que nem eram elegíveis para a cirurgia tradicional. Depois, foi avaliado em cenários de menor complexidade e mesmo os pacientes com baixo risco se beneficiaram dos resultados.
Apesar dos benefícios, a expectativa é que apenas 1.500 implantes transcateter sejam realizados no Brasil este ano. Ainda não há reembolso para o procedimento nos sistemas público e privado e o custo para o paciente é alto. Além disso, é uma intervenção que requer treinamento e experiência médica para obter os resultados demonstrados nos estudos.

Outra questão ainda precisa ser estudada: a durabilidade das próteses transcateter. Isso faz com que a indicação para o tratamento se restrinja a pacientes com mais de 70 anos. O coordenador do serviço de cardiologia intervencionista do Hospital Sírio Libanês, entretanto, se monstra confiante sobre o futuro do tratamento.

“Esse é um caminho sem volta. Assim como aconteceu com os stents coronários, extremamente caros há algumas décadas, não tenho dúvidas de que, no futuro, os implantes transcateter serão democratizados e vão estar disponíveis para o grande número de pacientes que necessitam desse tipo de tratamento”, destaca.

Foto: Gabriela Costa/Timbro Comunicação

PERSPECTIVAS DA MEDICINA PARA 2019, IMUNOTERAPIA 2.0 E DIRETRIZES PAUTAM REUNIÃO DO CONSELHO CIENTÍFICO

A reunião do Conselho Científico da AMB é um momento importante para atualizar os conhecimentos sobre os avanços da Medicina atual. No encontro desta terça-feira (26) não foi diferente. O diretor científico da AMB, Antonio Carlos Palandri Chagas, recebeu pesquisadores renomados para tratar de assuntos diretamente relacionados com o futuro da atividade médica. O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, também esteve presente.

“As apresentações nos trouxeram ricas reflexões sobre a formação atual do médico e como aplicar a tecnologia neste contexto, sobre o futuro da imunooncologia e sobre lições de como as diretrizes devem ser empregadas na prática profissional do médico”, destaca Chagas.

MEDICINA 2019

O cardiologista e professor da Universidade de São Paulo, Protásio da Luz, dividiu com os participantes uma apresentação sobre “Avanços e perspectivas para a Medicina em 2019”. Ele abordou inovações nas áreas de genética, fisiologia, tratamentos de problemas na flora intestinal e como a Big Data pode ser usada em sistemas de gerenciamento de informações médicas.
Protásio da Luz sintetiza o que, para ele, permeia esse e outros assuntos importantes para os avanços na medicina. “De maneira geral, o futuro está ligado à medicina de precisão, a uma profunda mudança no ensino médico, à medicina translacional e à prevenção e promoção da saúde como estilo de vida. O pesquisador pode e deve estar preocupado com fenômenos bioquímicos, o médico precisa gostar e cuidar de gente”, ressalta.

IMUNOTERAPIA ONCOLÓGICA

“Imunoterapia 2.0 – avanços terapêuticos” foi o tema da palestra de Rodrigo Munhoz, oncologista e vice-presidente para ensino da Oncologia da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica. As técnicas de tratamento imunoterápicos consistem na administração de medicamentos que estimulam o sistema imunológico e incentivam o organismo a identificar e combater células tumorais.

“Temos observado resultados significativos e que indicam a imunoterapia como um tratamento muito eficiente. A interação entre o sistema imunológico e o câncer geram efeitos antitumorais positivos e animadores. Desta forma, a imunoterapia já se configura como um novo pilar do tratamento oncológico, juntamente com a cirurgia, a quimio e a radioterapia”, reforça Rodrigo Munhoz.

DIRETRIZES

Já o coordenador do Projeto Diretrizes da AMB, Wanderley Bernardo, falou sobre diretrizes baseadas em evidências. Ele reforçou a necessidade atual de estabelecer padrões, apresentou a metodologia de desenvolvimento de diretrizes e destacou que essa responsabilidade é da AMB, com apoio científico das sociedades de especialidades.

“Para a construção de padrões responsáveis, as diretrizes baseadas em evidências devem seguir três parâmetros: revisão sistemática da literatura, contextualização e recomendações, respondendo a perguntas como qual é o benefício, o dano, nível de certeza e para quem é aplicável”, completa Wanderley Bernardo.

Foto: Gabriela Costa

REUNIÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO DA AMB ENCERRA COM BOAS EXPECTATIVAS

A reunião do Conselho Deliberativo da AMB realiza reunião nesta sexta-feira (15), no auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), em Porto Alegre, encerrou com entusiasmo da diretoria da AMB e dos presidentes e representantes das Federadas e Sociedades de Especialidades, com as discussões da pauta, como o Projeto Diretrizes.

A reunião também contou com a presença de Mayra Pinheiro, Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Ministério da Saúde. Ela falou sobre a Carreira de Médico de Estado, trouxe diversos assuntos de interesse dos participantes, além de se comprometer a dar andamento às demandas apresentadas.

CARREIRA DE MÉDICO DE ESTADO É TEMA DA REUNIÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO

O Conselho Deliberativo da AMB realiza reunião nesta sexta-feira (15), no auditório da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), em Porto Alegre. Na pauta central está a carreira de Médico de Estado.

Lincoln Ferreira, presidente da AMB, Antônio Jorge Salomão, secretário-geral, Alfredo Cantalice, anfitrião e presidente da AMRIGS, e Eduardo Trindade, recém-empossado presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (CREMERS) compõem a mesa de abertura.

Presidentes e representantes das Federadas da AMB e das Sociedades de Especialidade filiadas iniciaram as atividades apresentando os resultados dos trabalhos nas regiões e especialidades e trazendo sugestões para a pauta da AMB.

À tarde, Lincoln Ferreira apresentará o status da atuação da AMB sobre carreira de Médico de Estado e Wanderley Bernardo, Coordenador do Programa Diretrizes da entidade, vai falar sobre Diretrizes Médicas Baseadas em Evidências.

ENCONTRO ENTRE PESQUISADORES BRASILEIROS E PORTUGUESES DEBATE BIOÉTICA EM SC

A ética na medicina esteve na pauta de discussões da AMB nesta quinta-feira (14). O presidente da entidade Lincoln Ferreira participou, em Florianópolis (SC), do II Encontro Luso-Brasileiro de Bioética, com o tema “Integridade e aprimoramento moral na pesquisa biomédica”. A diretora de assuntos parlamentares da AMB Débora Cavalcanti também esteve presente.

O evento, que ainda terá o segundo dia de palestras nesta sexta-feira (15), é promovido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e reúne pesquisadores brasileiros e portugueses, da Universidade do Porto. Temas como pesquisas em seres humanos no âmbito da genética médica, biomédica em animais, influência da indústria de fármacos e aprimoramento humano e moral estão sendo debatidos no encontro.

Lincoln Ferreira compôs a mesa na solenidade de abertura do encontro. Outros nomes importantes no segmento também estiveram presentes no evento, como Carlos Vital Tavares Corrêa Lima, presidente do CFM; José Hiran da Silva Gallo, diretor e coordenador da Câmara Técnica de Bioética do CFM; Rui Nunes, diretor do Programa Doutoral em Bioética da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP); Dirceu Greco, presidente da Sociedade Brasileira de Bioética; e Marcelo Neves Linhares – Presidente do CRM-SC.

O presidente da AMB destaca a oportunidade ímpar de debater questões relativas à bioética com pesquisadores renomados do Brasil e de Portugal. “Todos os dias, os desafios da atividade médica nos propõem novas discussões sobre bioética, que devem ser constantes e estar sempre atualizadas. Essa troca de informações com pesquisadores de outros países é extremamente importante para ampliarmos horizontes e trazermos novas perspectivas para o debate sobre o tema”, reforça.

Débora Cavalcanti reforça que “a Câmara Técnica de Bioética do CFM está de parabéns pela iniciativa, que contou com a presença de pesquisadores de referência no assunto, como os professores portugueses Paulo Maia e Cristina Nunes, além de vários outros nomes que têm muito a contribuir para a ampliação do debate sobre o assunto”.

A programação completa do II Encontro Luso-Brasileiro de Bioética, que já está com as inscrições encerradas, pode ser consultada no site do CFM.

Fotos: Débora Cavalcanti

BIOÉTICA EM PAUTA 

 

A integridade e o aprimoramento moral na pesquisa biomédica serão tema de encontro entre pesquisadores brasileiros e portugueses a partir de amanhã (14).

O presidente da AMB Lincoln Ferreira vai participar da solenidade de abertura do II Encontro Luso-Brasileiro de Bioética, que será realizado em Santa Catarina.

A programação completa do II Encontro Luso-Brasileiro de Bioética, que já está com as inscrições encerradas, pode ser consultada no site de eventos do Conselho Federal de Medicina (CFM): http://www.eventos.cfm.org.br/.

#AMB #Bioética #CFM

DIRETORA DA AMB PARTICIPA DE ALMOÇO-DEBATE COM MINISTRO DA SAÚDE

A diretora da AMB, Carmita Abdo, participou, nesta segunda-feira (11), de um almoço-debate com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com o tema “Projeto de Saúde para um novo Brasil”. O evento aconteceu no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo, e foi promovido pelo Lide Global, grupo de líderes que tem como objetivo incentivar e promover as relações empresariais e discutir temas econômicos e políticos de interesse nacional.

Durante o encontro, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, apresentou para uma plateia de empresários do setor as ações que pretende implementar para aprimorar a saúde pública brasileira. Dentre os assuntos abordados em seu discurso estão a informatização do sistema, a reestruturação da Atenção Primária, a regionalização da saúde, o aprimoramento do programa Mais Médicos e a ação integrada nos hospitais federais para promoção de melhorias de gestão e, consequentemente, da qualidade do atendimento prestado à população.

Ele também prometeu para os próximos dias a publicação de um novo organograma do Ministério, e um projeto para lançar bases para a criação de um instituto nacional de genética humana. Colocou como meta do governo, ainda, criar um prontuário eletrônico para todos os brasileiros com dados da saúde pública e da saúde suplementar.

O ministro da Saúde explicou aos empresários os problemas no orçamento do ministério, que é metade do tamanho da demanda. Mandetta falou também da telemedicina, que segundo ele, merece ter uma análise mais aprofundada. Demostrou ainda bastante preocupação com a formação médica e com o nível dos cursos de medicina no País. Uma questão que precisa ser resolvida o quanto antes.

Para a diretora da AMB, Carmita Abdo, “o ministro Mandetta demonstrou amplo conhecimento dos nossos problemas e da situação precária da Saúde de nosso pais. Apresentou muita clareza e coerência em sua fala, disponibilidade em dialogar com as entidades médicas e vontade de resolver. As questões de que ele tratou estão bastante alinhadas com a Pauta da AMB, qual seja: priorizar dignas condições de trabalho, estrutura e segurança profissional para os médicos, além de trabalhar para que a Medicina e a Saúde no Brasil alcancem a atenção e a seriedade que merecem“.

NOVA DIRETORIA DA AMERESP TOMA POSSE

Nova diretoria da Ameresp: Leandro Ryuchi Iuamoto, Artur Violante Sapia, Davi Jing Jue Liu, Eduardo Hiroshi Tizakawa e Attilio Galhardo

Em solenidade realizada na sede da Associação Médica Brasileira (AMB), a nova diretoria da Associação dos Médicos Residentes do Estado de São Paulo (Ameresp) tomou posse nesta sexta-feira (8). As eleições foram realizadas no dia 24 de novembro de 2018 e o mandato teve início oficialmente em 1 de fevereiro de 2019, com duração de 12 meses.

O novo presidente da Ameresp, Davi Jing Jue Liu, destaca que o olhar da nova diretoria vai estar atento ao impacto das novas tecnologias na atividade médica, especialmente na rotina dos residentes.

“Estamos em uma fase de transição de conceitos e adaptação a novas tecnologias e, neste às contexto, a residência médica continua sendo o padrão ouro de formação do médico de excelência. Além de lutar pela qualidade dos programas, que sempre será nossa bandeira, vamos trazer a perspectiva da inovação para o cotidiano dos residentes, que dedicam anos valiosos em uma experiência de imersão em um ofício. O residente não está sozinho, a Ameresp e as outras associações estão juntas por uma especialização de qualidade”, ressalta Davi Jing Jue Liu.

Qualidade para o presente e para o futuro

 

Guilherme Andrade Peixoto, José Luiz Bonamigo Filho e Davi Jing Jue Liu

Guilherme Andrade Peixoto, que presidiu a Ameresp até 31 de janeiro deste ano, avalia que vai haver continuidade na defesa do principal objetivo da entidade: a melhora da qualidade dos programas de residência. “Nosso gasto de energia mais significativo foi com a vistoria dos programas e com o nível do ensino. O principal objetivo da Ameresp é atuar na qualidade da formação dos 18 mil residentes do Estado de São Paulo. Sabemos que temos força e espaço para continuar fazendo isso”, reforça.

José Luiz Bonamigo Filho, diretor que representou a AMB na cerimônia de posse, destaca que associações como a Ameresp fazem com que o residente se engaje no associativismo. “Esse trabalho é muito importante para formar representações. É por este caminho que os residentes podem pleitear programas cada vez mais qualificados. Fui presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes e nosso vice-presidente, Diogo Leite Sampaio, também. Esse é um exemplo vivo de como o trabalho de associações como a Ameresp é importante para formar lideranças que vão lutar pelo futuro da atividade médica”, ressalta Bonamigo.

Homenagens

 

José Luiz Bonamigo Filho representa o presidente da AMB Lincoln Ferreira na entrega do prêmio Irene Abramovich

A cerimônia também abriu espaço para homenagear quem contribuiu ativamente com o trabalho da Ameresp nos últimos tempos. Um dos homenageados com o prêmio Irene Abramovich foi o presidente da AMB, Lincoln Lopes Ferreira, representado pelo diretor José Luiz Bonamigo Filho durante a homenagem.

“O Lincoln sempre foi um grande incentivador e apoiador das associações médicas, especialmente dos residentes. A abertura que o trabalho da Ameresp encontra nele e na AMB, de forma geral, é extremamente importante para continuarmos avançando nas discussões relativas à residência médica”, ressalta Guilherme Andrade Peixoto.

Além do presidente da AMB, também receberam o prêmio Rosana Leite de Melo, presidente da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), o advogado César Augusto Jaeger Bento Vidal e a própria Irene Abramovich, representada por Paula Yoshimura Coelho.

Conheça a nova diretoria:

Presidente
Davi Jing Jue Liu

Vice-presidente
Artur Violante Sapia

Secretário Geral
Eduardo Hiroshi Tizakawa

1° Tesoureiro
Leandro Ryuchi Iuamoto

2° Tesoureiro
Attilio Galhardo

Diretores Adjuntos
Canuto Leite de Almeida Junior
Lucas Mota Suman
Giovanni Demartino
Humberto Villefort Silva Chaves
Cristiano Novack Amaral Pereira

PRESTAÇÃO DE CONTAS E ORÇAMENTO SÃO APROVADOS EM ASSEMBLEIAS

PRESTAÇÃO DE CONTAS E ORÇAMENTO SÃO APROVADOS EM ASSEMBLEIAS

 

O Relatório Anual da Diretoria da AMB e a prestação de contas da atual diretoria, incluindo o relatório de auditoria e o balanço patrimonial, foram aprovados nesta terça-feira (30/10) na Assembleia Ordinária de Delegados da AMB e logo após, por unanimidade, na Assembleia Geral da AMB. Também foi aprovada a proposta orçamentária para o exercício de 2019, assim como o valor da contribuição associativa no valor de R$ 24,50 ao mês. As reuniões aconteceram na sede da Associação Médica de Minas Gerais.

LINCOLN COMEMORA DIA DO MÉDICO COM BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE SANTOS

A Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos prestou homenagem aos médicos neste dia 18/Outubro, com um almoço na própria instituição.

Dentre os convidados estavam comemorando com os colegas da entidade e o presidente da SBP, Ademir Pestana e diretores, Lincoln Ferreira, presidente da AMB, Dr. Valter Makoto, secretario adjunto de Saúde de Santos e Dr. Mario Cardoso, ex-presidente da AMB.

“Ficamos gratos pelo convite e afetuosa recepção. É importante estamos presentes em momentos como este, compartilhando com os colegas que escolheram, como nós, mais do que uma profissão – uma missão, nossa visão e a crença de que somente unidos enquanto categoria e com nossas e entidades representativas, conquistaremos as condições que nos permitam ampliar e qualificar o atendimento a saúde no Brasil”.