AMB PARTICIPA DO XII FÓRUM IBERO-AMERICANO DE ENTIDADES MÉDICAS

 

 

 

A Associação Médica Brasileira (AMB) representou os médicos brasileiros no XII Fórum Ibero-Americano de Entidades Médicas (FIEM), realizado na cidade de Acapulco no México, no final de junho. O Colégio de Médicos do México foi o anfitrião desta edição.

Pela AMB, participam do evento os membros da diretoria: Débora Eugênia Braga Nóbrega Cavalcanti, Antonio Jorge Salomão e Miguel Roberto Jorge, que também é presidente eleito da Associação Médica Mundial (WMA).

Com o slogan “Unidos pela Saúde na Ibero-América” e contando com a presença de cerca de vinte organizações médicas, o fórum debateu as perspectivas das Associações Médicas na América Latina, os desafios tecnológicos, a saúde do médico, as novas tendências em políticas de saúde, os honorários profissionais e a relação médico-paciente em telemedicina, entre outros temas.

Participação da AMB

No primeiro dia de fórum, a diretora de Assuntos Parlamentares da AMB, Débora Cavalcanti, representou o presidente da AMB, Lincoln Ferreira, na reunião administrativa da Sessão de Negócios, onde apresentou os problemas relacionados à profissão médica no Brasil.

“Debatemos sobre a necessidade da defesa do Ato Médico no Brasil, em função das constantes tentativas de outras categorias profissionais em querer realizar procedimentos exclusivamente médicos, o que pode causar sérios danos à população; sobre o Exame Revalida; e sobre o trabalho que vem sendo realizado na Comissão de Assuntos Políticos da AMB e das demais entidades médicas”, destaca Débora Cavalcanti.

Já o Secretário-Geral da AMB, Antonio Jorge Salomão, representou o presidente da AMB na mesa redonda que debateu as Políticas Sanitárias no Brasil. “Em um país como o nosso, numeroso e cheio de contrastes socioeconômicos, é muito desafiador construir políticas públicas sanitárias. Tivemos avanços importantes nos últimos anos, como no diagnóstico e tratamento da Aids, da Hepatite C e Blenorragia. Mas, ainda precisamos investir nas regiões mais carentes para reduzir as desigualdades sociais, o que certamente vai refletir no avanço das políticas sanitárias brasileiras”, destaca Salomão.

O FIEM

Além da AMB, representando o Brasil, o fórum é composto por organizações médicas colegiados de Espanha e Portugal, bem como pela América Latina e Caribe Medical Confederation (CONFEMEL), das quais pertencem as organizações médicas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Nicarágua, México, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela. No final do XII FIEM, foi apresentada a “Declaração do México”, assinada por todas as organizações participantes.

Fundado em 2007 com o objetivo de criar um espaço de intercâmbio permanente para discutir, cooperar, comunicar e buscar consenso sobre ética médica e competência profissional, bem como sobre as questões mais urgentes e atuais para médicos latino-americanos e seus sistemas de saúde, o Fórum Ibero-Americano de Entidades Médicas, realiza desde 2008 reuniões anuais que produzem declarações conjuntas que refletem o compromisso das organizações médicas com a medicina de qualidade, melhorando o atendimento aos cidadãos e defendendo a profissão médica em ambos os lados do Atlântico.

Compartilhar em: