AMB, CMBA E CFM ACOMPANHAM DEFESA DA ACUPUNTURA NA CÂMARA

O deputado Hiran Golçalves conquistou o adiamento da votação do relatório final da Comissão de Constituição e Justiça, sobre a regulamentação da acupuntura no país. Na comissão 4 relatórios aceitam a prática por não médicos.

A sessão foi acompanhada por Lincoln Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira, Fernando Genschow, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura e Napoleão Puentes, assessor parlamentar da AMB e CFM.

“Somos contra a prática de acupuntura por profissionais que não tem formação em Medicina. Esse será o meu relatório que defenderei na Comissão de Constituição e Justiça. Junto com o Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura e a Associação Médica Brasileira, vamos convencer os demais membros do colegiado do perigo desse projeto para saúde da população” comenta o deputado Hiran.

Compartilhar em: