BRASIL À FRENTE DA REDE IBERO-AMERICANA SOBRE GUIAS DE PRÁTICA CLÍNICA

Wanderley Marques Bernardo, coordenador de Diretrizes da AMB, foi escolhido para ser o chairman da Rede Ibero-Americana sobre guias de prática clínica, dentro do Guideline International Network (GIN). A nomeação foi realizada durante reunião virtual que contou com a participação de representantes do Brasil, México, Colômbia, Espanha, Portugal, Estados Unidos, além da presença da Pan American Health Organization (PAHO) e do GIN.

A Rede tem o objetivo de compartilhar os esforços, ferramentas e descobertas de grupos que trabalham em toda a Ibero-América na elaboração de diretrizes. Wanderley Bernardo irá conduzir a entidade por três anos. “A ideia é criar departamentos na Rede Ibero-Americana a exemplo do GIN, com métodos que contribuem para melhorar a qualidade da atenção à saúde, por meio da implantação de diretrizes que promovem uma prática clínica de alta qualidade e estimula um atendimento seguro e eficaz ao paciente”, destaca o coordenador de Diretrizes da AMB.

Wanderley Bernardo pontua que entre as frentes de trabalho na Rede está o engajamento com os jovens médicos. “É preciso trazê-los para participar dos estudos e criação de diretrizes e, assim, difundir cada vez mais a Rede em toda a América Latina, envolvendo todas as especialidades médica”, observa.

Para o  diretor científico da Associação Médica Brasileira (AMB), Antonio Carlos Palandri Chagas,  a escolha do professor Wanderley como chairman da Rede Ibero-Americana representa uma grande conquista para a medicina brasileira. “O trabalho que o professor Wanderley vem desenvolvendo como coordenador de diretrizes da AMB tem sido exemplar e muito o qualifica para a posição internacional que agora passará a ocupar. Em nome da comunidade científica, cumprimento o caro colega por essa conquista significativa para a medicina e a ciência de nosso País”, declara Chagas.

Lincoln Ferreira, presidente da AMB, ressalta que “a nomeação de Wanderley é um reflexo de seu compromisso em produzir e disseminar estudos confiáveis e respeitados que visam a melhoria da saúde dos pacientes. Uma vitória que precisa ser comemorada pela medicina brasileira por ter mais um lugar de destaque frente a saúde mundial.”

Compartilhar em: