ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA (AMB) PARTICIPA DA ASSEMBLEIA GERAL DA WORLD MEDICAL ASSOCIATION (WMA) em CHICAGO, IL – USA

Dr. Florentino Cardoso, presidente da AMB e membro do Comitê de Planos e Finanças e Comitê de Assuntos Médicos-Sociais da WMA, esteve presente à Assembleia Geral da WMA (11 a 14 de outubro 2017), juntamente com os diretores da AMB: Dr. Miguel Roberto Jorge (Presidente da Comissão de Assuntos Médicos-Sociais da WMA e Membro do Conselho); Dr. Nivio Lemos Moreira Junior (membro dos Comitê de Planos e Finanças, Comitê de Assuntos Médicos-Sociais e  Comitê de Ética Médica da WMA)e Dr. Jeancarlo Cavalcante (do CFM).

Dentre temas discutidos na reunião estavam:

USO DA CANNABIS

Delegados na Assembleia da WMA opuseram-se fortemente ao uso recreativo de cannabis devido graves efeitos adversos para saúde. Estes incluem aumento do risco de psicose, acidentes rodoviários fatais, dependência, bem como danos à aprendizagem verbal, memória e atenção. O uso de cannabis antes dos 18 anos duplicou o risco de transtorno psicótico.

É entendimento da WMA que associações médicas nacionais devem apoiar estratégias para prevenir e reduzir o uso de cannabis recreacional e implementação de medidas efetivas de controle para evitar uso ilícito de cannabis medicinal.

A WMA também diz: leis que regem pesquisa da cannabis devem ser revisadas para permitir mais pesquisas científicas sobre uso para fins medicinais, pois evidências que sustentam esta utilização são inconsistentes e de baixa a moderada qualidade. Nos países onde a cannabis foi legalizada para fins medicinais, a WMA diz que mais regulamentos são necessários.

JURAMENTO HIPOCRÁTICO

Um sucessor moderno do Juramento Hipocrático para médicos em todo mundo foi aprovado pela WMA, que utilizava até então Declaração de Genebra, adotada pela Associação em 1948.

A Declaração revista reorienta o texto para refletir mudanças ao longo das décadas na relação entre médicos e seus pacientes e entre próprios médicos. Como resultado, a nova versão faz referência específica, pela primeira vez, ao respeito da autonomia do paciente.

Também inclui nova obrigação de respeito entre professores, colegas e estudantes. A Declaração de 1948 diz que alunos devem respeitar seus professores, mas não há reciprocidade.

Existe nova obrigação para médicos compartilhar conhecimentos médicos em benefício de seus pacientes e avanço da saúde. Também é adicionado requisito para que médicos atentem à sua própria saúde, bem-estar e habilidades, a fim de cuidar no mais alto padrão.

A atual Declaração de Genebra é utilizada em todo mundo por médicos. Em muitos países, é realmente parte do código profissional médico e em alguns é juridicamente vinculativo. No entanto, em outros países, não é usado ou é adaptado de alguma forma.

A WMA está agora esperando que o documento aprovado, após um processo de revisão de dois anos, incluindo período de consulta pública, torne-se código ético global para todos médicos.

Leia na íntegra: https://www.wma.net/policies-post/wma-declaration-of-geneva/

Compartilhar em: