Audiência pública debate vírus Ebola e Chikungunya

De acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 25 de outubro, 828 casos de infecção pelo vírus Chikungunya foram diagnosticados no Brasil. Do total, 299 foram transmitidos dentro do próprio país. Outros 39 casos foram importados, ou seja, os pacientes foram infectados durante viagens a outros países. Nas últimas duas semanas, houve um aumento de 491 casos.

Para discutir planos de contenção de novas epidemias, como a febre chikungunya  e o vírus Ebola, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara do Deputados (CSSF)  realiza, dia 13 de novembro, uma audiência pública. O debate foi solicitado pelos deputados Amauri Teixeira (PT-BA), Mandetta (DEM-MS), Eleuses Paiva (PSD-P), Geraldo Resende (PMDB-MS) e Rosane Ferreira (PV-PR).

A Chikungunya é transmitida principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo que espalha o vírus da dengue. Os principais sintomas são febre alta, dor de cabeça, dor nos músculos e nas articulações. O quadro mais agudo chega a durar 10 dias, mas as dores nas articulações podem se estender por até seis meses.

Chikungunya

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, houveram  458 casos de transmissão interna na Bahia, 330 no Amapá e 1 em Minas Gerais. Quanto aos casos importados, foram registrados 17 em São Paulo,  4 no Ceará, 3 no Rio de Janeiro e mais 3 em Roraima. Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal registraram dois casos, cada. Amazonas, Amapá, Goiás, Maranhão, Minas Gerais e Pará tiveram apenas uma notificação de caso importado.

Do total de casos, 155 foram confirmados por exame laboratorial e 673 por critério clínico-epidemiológico. O diagnóstico pode ser feito pela observação dos sintomas, caso o paciente tenha tido contato com outras pessoas infectadas.

Devem participar da audiência pública Paulo Gadelha, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Joaquin Molina, representante da Organização Pan-Americana da Saúde; Luiz Carlos Pereira Júnior, diretor técnico do Instituto de Infectologia e Hospital Emílio Ribas e Paulo Coury , superintendente de Vigilância de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Anvisa.

O encontro acontece a partir das 9h30, quinta-feira (13), no plenário 7 do anexo II da Câmara dos Deputados.

Compartilhar em: