ENCONTRO COM MINISTÉRIO DA SAÚDE DEBATE MODERNIZAÇÃO DA RADIOTERAPIA NO SUS

O panorama da estrutura de radioterapia no Sistema Único de Saúde (SUS) foi o foco central de uma reunião realizada nesta sexta-feira (10) entre a Associação Médica Brasileira (AMB), o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT).

O encontro foi realizado em Brasília (DF), onde estiveram presentes o presidente da AMB, Lincoln Ferreira; o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; o presidente da SBRT, Arthur Accioly Rosa; o diretor de Radioterapia na unidade de Brasília do Hospital Sírio-Libanês, Rafael Gadia; e o radio-oncologista do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, Bruno Resende.

Como parte do Plano de Expansão da Radioterapia no Sus, lançado em 2012, foram adquiridos 80 equipamentos. Entretanto, apenas 16 estão em funcionamento e somente outros 46 possuem projetos viáveis e em execução. A grande dificuldade é a falta de estrutura para receber as máquinas.

“Tanto a AMB quanto as sociedades de especialidades entendem as necessidades orçamentárias do Ministério da Saúde. Entretanto, não podemos deixar que equipamentos permaneçam parados, se tornando obsoletos, enquanto a população precisa deles”, destaca Lincoln Lopes.

Necessidade de modernização

Atualmente, mais da metade dos equipamentos de radioterapia em operação no Brasil têm mais de 10 anos de uso, segundo dados da Agência Internacional de Energia Atômica. A falta de atualização dos equipamentos aumenta os custos de manutenção, diminui a oferta e, consequentemente, eleva os custos do tratamento. Os gastos federais com radioterapia no Sus chegaram a R$ 454 milhões em 2018, recurso utilizado para tratar 131 mil pessoas.

“Desta forma, o ticket médio repassado pelo Sus é de R$ 3.500 por paciente, sendo que o custo mínimo do tratamento por pessoa é o dobro deste valor. Isso gera uma série de dificuldades operacionais. Porém, apesar dos desafios, a conversa com o ministro foi extremamente produtiva e fortaleceu o canal para discutirmos, de forma mais ampla, alternativas para enfrentar a situação”, avalia Arthur Accioly Rosa, presidente da SBRT.

Estudo conjunto

Na reunião ficou definida, ainda, a criação de um estudo conjunto —entre a Secretaria de Atenção Básica à Saúde (SAS) do Ministério da Saúde e a SBRT, apoiada pela AMB— para que haja modernização e redistribuição dos equipamentos de radioterapia no Brasil.

O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, também ratificou durante o encontro os posicionamentos da entidade sobre a Carreira de Médico de Estado . Além disso, reforçou o convite ao ministro Luiz Henrique Mandetta para participar de reuniões conjuntas com os conselhos Científico e Deliberativo da AMB e a necessidade de manter uma agenda de encontros com o Ministério da Saúde.

Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

Na foto: Rafael Gadia, Bruno Resende, Arthur Accioly, Luiz Henrique Mandetta e Lincoln Lopes.

Compartilhar em: