HISTÓRIA DA MEDICINA NACIONAL É TEMA DE CONGRESSO EM SP

Depois de 20 anos, o XXIV Congresso Brasileiro de História da Medicina retornou a São Paulo. O evento ocorreu entre os dias 24 e 27 de outubro e, paralelamente ao congresso, também foi realizado o I Encontro das Academias de Medicina de São Paulo e do Rio Grande do Sul. Os dois eventos foram realizados pela Sociedade Brasileira de História da Medicina (SBHM).

O evento teve a participação do diretor cultural da Associação Médica Brasileira (AMB), Fernando Gomes de Andrade, que também é presidente da Sociedade de Medicina de Alagoas. Ele apresentou a palestra “Cirurgia Plástica no mundo – caminhos e descaminhos para sua construção”. O congresso realizou ações integradas, debates, conferências, apresentação de temas livres, premiações e contou com a presença de médicos, professores, cientistas e estudantes de diversas áreas.

Fernando Gomes de Andrade, que também é professor associado da Universidade Federal de Alagoas, apresentou aos congressistas a história da cirurgia plástica no mundo. “É um evento importante, que congrega um grupo temático muito importante, vinculado a história da medicina como um todo, e nós estamos envolvidos diretamente.”

O diretor cultural da AMB é um estudioso da anatomia e da cirurgia plástica no Brasil e enfatizou a importância da gestão da entidade em relação a história da medicina brasileira. “A AMB tem dado apoio e criado condições para que o médico brasileiro referende essa memória”, destacou. Antes do congresso, o diretor da AMB esteve em vários museus, prestigiando e colocando em prática a política de aprimoramento da história da medicina brasileira.

Já o presidente do congresso, Lybio Martire Junior, reforça que o conhecimento da história da medicina proporciona a compreensão da profissão em sua totalidade, o lado ciência e o lado arte. “O Congresso de História da Medicina faz jorrar uma cascata de cultura e de humanismo, que são elementos vitais no arsenal do médico como verdadeiro artífice da cura nos moldes hipocráticos.”

Sobre o I Encontro das Academias de Medicina de São Paulo e do Rio Grande do Sul, Lybio acredita que o evento é uma parceria muito bem-vinda e frutífera, que enriquece o temário científico do evento. O presidente afirmou que o encontro é uma oportunidade para médicos, estudantes, historiadores e outros profissionais se abeberarem em temas interessantes e úteis, que irão enriquecer suas trajetórias profissionais.

Compartilhar em: