LAMENTÁVEL SITUAÇÃO NOS CORREDORES DE HOSPITAIS NO CEARÁ

O fato apresentado na reportagem não é incomum em Fortaleza e no Ceará.

“A situação crônica de crise na saúde no Estado nos últimos três anos tornou-se agonizante”, relata Dr Carmelo Silveira Carneiro Leão Filho, presidente da Associação Médica Cearense (AMC).

Em parceria com o Sindicato dos Médicos do Ceará, a Associação Médica Cearense desenvolveu uma medição para identificar os casos de pessoas nos corredores dos hospitais, o CORREDÔMETRO, onde uma ronda é feita, ‘in loco’, para identificar a situação.

“A situação é muito triste nos corredores. São pessoas dormindo no chão, atendimentos feitos em macas, situação muitas vezes agravada pela falta de medicamentos e de insumos, e nós médicos e demais profissionais que atuam nos hospitais não podendo oferecer o atendimento de qualidade que os pacientes merecem, gerando uma situação angustiante e estressante para todos, pacientes, acompanhantes, médicos, enfermeiros, atendentes, enfim, todos mesmo, desabafa Dr Carmelo.

Na quarta-feira (28/03), em apenas quatro hospitais de Fortaleza o CORREDÔMETRO marcava mais de 300 pessoas, o Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital de Messejana (HM), Hospital Geral de Fortaleza (HGF) e Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS).

“Já realizamos denúncias ao Ministério Público, participamos de audiências públicas, mas a situação persiste. Sempre após reportagens como esta, alguma maquiada é dada, mas sem resolver de fato os problemas, que são tanto na esfera estadual quanto municipal” conclui Dr Carmelo.

Assista a matéria sobre a situação do Hospital de Messejana: http://g1.globo.com/ceara/cetv-1dicao/videos/t/edicoes/v/sem-leitos-pacientes-improvisam-e-dormem-no-chao-de-hospital/6616930/

 

Compartilhar em: