Mandetta presidirá a Subcomissão Especial da Carreira Médica na CSSF

O deputado federal Mandetta foi eleito nesta quinta-feira (16/04), presidente da Subcomissão Especial da Carreira Médica (SUBCAMED) na reunião ordinária da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF).

A subcomissão faz parte das prioridades impostas pelos deputados que representam a classe médica e que pretendem debater o aumento no número de instituições que oferecem cursos de graduação em medicina, com o déficit no número de vagas na residência e com a falta de um plano de carreira para a categoria.

Segundo o parlamentar, existe uma preocupação muito grande com a quantidade de faculdades de medicina no país que precarizam o ensino médico e a qualidade da medicina.

Dados do Conselho Federal de Medicina revelam que de 2000 até 2014, a quantidade de faculdades de Medicina no país dobrou. Atualmente, o país possui 216 escolas, número superior à China (150) e Estados Unidos (149), países com população maior que a brasileira. No Brasil, esse crescimento se deve às faculdades particulares, que já são 60% do total. A cada ano, são formados no Brasil, mais de 19 mil médicos.

Para mudar essa situação, Mandetta espera definir na subcomissão uma regulamentação para esse setor, de modo que o governo valorize mais a qualidade do que a quantidade de faculdades.

Outra preocupação apresentada pelo deputado foi o plano de carreira dos médicos. Mandetta criticou a política do governo federal que, em vez de oferecer um plano de carreira para os médicos do Sistema Único de Saúde (SUS), prefere importar médicos de outros países para atuarem com contratos precários nas pequenas cidades.

“Como o governo não quer fazer essa proposta, não quer oferecer concurso, não quer ter a responsabilidade desta gestão, ele encontrou um caminho mais fácil na atenção básica de trazer médicos de Cuba. Mas está deixando médicos brasileiros à mercê da ótica de mercado”, acrescentou.

Mandetta reforçou que a subcomissão exercerá um papel importante no diálogo com o governo e as entidades médicas. “Tenho certeza que vamos fazer um excelente trabalho nessa subcomissão e assim garantir que a carreira médica seja reconhecida como ela realmente merece no nosso país”, finalizou.

A subcomissão conta com 29 deputados federais e o primeiro trabalho será definir três relatores para cada área de atuação da carreira médica: graduação, pós-graduação e mercado de trabalho.

Compartilhar em: