MANIFESTO DO IV CONGRESSO BRASILEIRO DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO

iStock_000018268530_Large

Ao término do IV Congresso Brasileiro do Sistema Nervoso Periférico, após minudentes discussões dos trabalhos apresentados em conferências magistrais, mesas redondas e casos específicos, resolveu a Comissão Organizadora do conclave encaminhar às autoridades brasileiras e aos diversos meios de comunicação as seguintes conclusões e sugestões:

  1. cresce, vertiginosamente, o número de brasileiros acometidos de lesão de nervos periféricos, em acidentes de motocicleta. A morte por acidente de moto aumentou 243% de 2002 a 2012 no Ceará. O Brasil é o 2o país do mundo em mortes por acidente de moto;
  2. 87% são homens na idade mais laborativa, estando o motorista sem capacete (56%), o garupeiro 60% e 42% alcoolizados;
  3. dos acidentados, elevado percentual fica com déficit definitivo. O Dr. Lineu Jucá em sua Dissertação de Mestrado constatou 56 amputações de abril a outubro de 2013;
  4. o custo médio com esses acidentes é alto. O Dr. Arruda Bastos, quando Secretário de Saúde do Estado do Ceará, contratou a Fundação Getúlio Vargas para calcular esses gastos. A Fundação abandonou a pesquisa;
  5. no referido Instituto Dr. José Frota há uma fila de 160 pacientes aguardando procedimento em nervos periféricos. Por outro lado, há 450 pacientes esperando pela colocação de um aparelho que trata fratura de membros inferiores (Ilizarov). Este equipamento custa entre R$15.000,00 e R$25.000,00. Considerando que são operados apenas dois pacientes por semana, com lesões de nervos periféricos, muitos deles não terão, com a procrastinação do ato cirúrgico, possibilidade de serem operados, ficando com lesões irremediáveis, com drásticas consequências sócio-econômico-psiquícas.
  6. 70% dos acidentes de moto ocorrem no interior; 72% das Prefeituras do Estado do Ceará NÃO têm serviço de transito municipalizado;
  7. SUGERIU-SE:
  8. a) o controle maior dos serviços municipais de trânsito quanto ao uso do capacete e controle da velocidade com limitador, como nos ônibus (tacógrafo);
  9. b) seleção mais acurada para cessão das carteiras de condutor de motocicleta, com renovação da carteira de 2 em 2 anos. Rigor 27% maior do que o aplicado à habilitação para dirigir carro, vez que o acidente de moto é 27% mais grave do que o acidente de carro;
  10. c) rigorosa fiscalização nos fins de semana da ingestão de bebida alcoólica, dentre os guiadores de motocicleta;
  11. d) promulgação de Lei que obrigue os fabricantes de motocicleta a fornecerem os capacetes;
  12. e) solicitar à Sociedade Brasileira de Neurocirurgia campanhas de estímulo aos Residentes de Neurocirurgia para terem, como subespecialidade o tratamento das lesões dos nervos periféricos; e, por último,
  13. f) obrigatoriedade do ensino do trânsito nas escolas.

Compartilhar em: