MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DOS CUIDADOS PALIATIVOS

Com o envelhecimento populacional, há uma tendência natural do aumento de casos de doenças crônicas, sobretudo entre a população idosa. Embora o sofrimento seja, muitas vezes, inevitável, é possível reduzi-lo a partir da aplicação de técnicas e de conhecimentos desenvolvidos no campo da medicina paliativa.

Foi para destacar os parâmetros desses cuidados que a geriatra e integrante da Comissão Permanente de Cuidados Paliativos da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Laiane Dias, apresentou, durante a reunião do Conselho Científico da AMB, a matriz de competências de medicina paliativa para geriatras.

“A ideia é agregar conhecimentos, habilidades e atitudes que sirvam de subsídio e que possam ser melhoradas, adaptadas, estudadas e desenvolvidas para melhorar o desempenho no trabalho dos geriatras”, explica a profissional. O desenvolvimento da matriz foi uma iniciativa interdisciplinar desenvolvida pela Comissão Permanente de Cuidados Paliativos da SBGG em parceria com membros da Academia Nacional de Cuidados Paliativos.

Segundo Laiane, há, hoje, diversas evidências que comprovam a eficiência da medicina paliativa. “Observamos realmente que melhora a qualidade de vida, diminui complicações relacionadas a doenças, na maior parte das vezes, crônicas, e reduz a hospitalização, as agudizações e as exacerbações do processo de adoecimento”. Atualmente, há indicação de cuidados paliativos para todas as doenças crônico-degenerativas, como doença renal crônica, insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica e câncer.

 

Compartilhar em: