USO DE CIGARROS ELETRÔNICOS, DROGAS E ANABOLIZANTES EM PAUTA NO CONSELHO CIENTÍFICO 

Os males do cigarro eletrônico para a saúde, drogas ilícitas e os riscos dos anabolizantes para o sistema cardiovascular foram os temas da reunião do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB), realizada nesta terça-feira (8). Os assuntos representam um grande desafio para a comunidade médica. Lincoln Ferreira, presidente da AMB, participou da abertura do encontro, que foi conduzido pelo diretor Científico da entidade, Antonio Carlos Chagas.

Cigarro Eletrônico: Malefícios para a Saúde 

O tema foi apresentado pela diretora do Programa Ambulatorial de Tratamento ao Tabagismo da Universidade de São Paulo (USP) e cardiologista do Instituto do Coração (INCOR), Jaqueline Scholz.

“Cigarro eletrônico nada mais é que uma nova versão do cigarro antigo com a tecnologia incorporada, mas com a intenção de vender a mesma coisa”, declarou. Durante a apresentação, mostrou os variados tipos de malefícios que o consumo do cigarro provoca nas pessoas.

A cardiologista alertou para o número crescente de jovens que estão consumindo o “Juul”. Nos EUA, casos de pneumonia grave estão sendo associados a utilização do produto. E completou: “não existe prevenção de danos o uso de cigarro eletrônico, prevenção é não utilizar o produto”.

Drogas Ilícitas 

O Conselho Científico também abriu espaço para a discussão sobre um problema que afeta, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 3,5 milhões de pessoas no Brasil: o consumo de drogas. O assunto foi debatido pelo diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, Fernando Costa.

Ele chamou a atenção para o fato de que parte desses usuários tem grandes chances de desenvolver doenças graves, como o infarto do miocárdio, associadas ao uso de drogas. Na avaliação dele, “o consumo de drogas ilícitas tem tido um aumento significativo e o prazer que essas drogas trazem não vem associado com as consequências trágicas que elas podem causar”, afirmou.

Anabolizantes: Risco para o sistema Cardiovascular 

As consequências do uso de anabolizantes foram apresentadas pela cardiologista do INCOR, Janieire Alves. Segundo a médica, alterações na frequência cardíaca, na pressão arterial e na atividade cerebral são alguns dos efeitos da utilização de anabolizantes.  “O uso de doses dessas substâncias podem precipitar tanto doenças isquêmicas e cardíacas, quanto doenças que alteram a estrutura do miocárdio”, afirma Janieire.

Após a apresentação das pautas, a reunião do Conselho Científico abriu espaço para a participação dos presentes no debate, por meio de perguntas aos palestrantes. Stella Martins, membro da Comissão de Combate ao Tabagismo da AMB, foi a mediadora do debate.

Compartilhar em: