MBA EM MARKETING E GESTÃO DA SAÚDE AMB/ESPM TEM INSCRIÇÕES ATÉ DIA 28/02

Da parceria entre a Associação Médica Brasileira (AMB) e a ESPM nasceu a Academia de Marketing e Gestão da Saúde AMB/ESPM, que lançou seu primeiro MBA EM MARKETING E GESTÃO DA SAÚDE, que iniciará as aulas em 9 de março de 2018, às sextas-feiras, das 19h30 às 22h30 e aos sábados das 8h às 13h, no campus Joaquim Távora da ESPM, na capital paulista.

Associados da AMB têm 30% de desconto. Se você ainda não é sócio da AMB, associe-se e usufrua deste benefício.

Saiba mais:

https://amb.org.br/noticias/mba_amb_espm/

PRIMEIRO MBA DA ACADEMIA DE GESTÃO DE SAÚDE DA AMB/ESPM TEM INSCRIÇÕES ABERTAS

Inovação, Gestão e Marketing serão as áreas centrais da academia, que nasce com um MBA em Marketing e Gestão da Saúde

A Associação Médica Brasileira (AMB) e a ESPM iniciaram uma parceria para criação da Academia de Marketing e Gestão da Saúde AMB/ESPM. Com objetivo de oferecer aprimoramento dos médicos, a academia vai desenvolver diversos cursos, priorizando dar foco em inovação, incluindo tecnologia da informação. O primeiro, o MBA em Marketing e Gestão da Saúde AMB/ESPM, terá início em março e as inscrições já foram abertas.

“Para a ESPM é uma honra criar esta academia com uma das mais importantes entidades de classe médica do Brasil. Vamos unir nossos conhecimentos, capacidade técnica e científica para aprimoramento e desenvolvimento das melhores práticas de gestão e inovação que podem ser aplicadas no desenvolvimento dos médicos e, consequentemente, contribuir para a qualidade da saúde da população brasileira”, comemorou o presidente da ESPM, Dalton Pastore.

“Saúde é área que exige cada vez mais geração e sistematização de conhecimento. No segmento da gestão da saúde, esta necessidade é ainda maior. A academia de Gestão de Saúde será uma fonte valiosa para disseminar conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à gestão e a inovação.”, afirma Lincoln Lopes Ferreira, presidente da AMB.

O primeiro resultado, fruto da Academia de Gestão da Saúde é o MBA AMB / ESPM em Marketing e Gestão da Saúde, que começa em março de 2018. “A área médica precisa de outra visão de inovação e gestão, por esse motivo montamos a grade deste curso com um núcleo de 120 horas”, ressalta o coordenador da academia, professor Gilmar Marques. No total, este MBA terá 420 horas, divididas em três núcleos, sendo os outros dois em negócios e gestão estratégica na saúde e diferenciação no setor de saúde. “Esse MBA é apenas o começo desta parceria, porque estamos desenvolvendo excelente série de outras atividades dentro da academia”, completa.

“O primeiro passo está dado e os associados da AMB contarão com desconto de 30% no MBA em Marketing e Gestão da Saúde”, conclui Lincoln.

MBA em Marketing e Gestão da Saúde AMB/ESPM

Disciplinas do curso:

Núcleo Negócios e Gestão Estratégica na Saúde (180h):

  • Fundamentos de Marketing – Educação a Distância – (EAD) (36h)
  • Fundamentos da Gestão Financeira – Educação a Distância – (EAD) (36h)
  • Estratégias de Negócios no Setor de Saúde (24h)
  • Liderança e Gestão de Equipes na área da Saúde (24h)
  • Gestão de Processos e Operações na área da Saúde (24h)
  • Trabalho de Conclusão /TCC (orientação, bancas e elaboração) (36h)

Núcleo Diferenciação no Setor de Saúde (120h):

  • A Cadeia de Valor em Saúde (24h)
  • Ética Médica, Dilemas e Reflexões (24h)
  • Negociação Aplicada ao Desenvolvimento de Negócios na Saúde (24h)
  • Marketing de Relacionamento e CRM (24h)
  • Branding e CIM (Comunicação Integrada de Marketing) (24h)

Núcleo Inovação (120h):

  • Inovação e Desenvolvimento de Serviços na área da Saúde (24h)
  • Redes e Mídias Digitais (24h)
  • Relações Públicas e Media Training para a área de Saúde (24h)
  • Recursos Digitais Aplicados à Gestão na Área de Saúde (24h)
  • Inteligência Competitiva e Construção de Cenários (24h)

Módulo Internacional

A ESPM desenvolve parcerias internacionais com instituições renomadas acreditadas internacionalmente em suas áreas de atuação, com o objetivo de proporcionar aos estudantes experiências com profissionais da área, bem como visitas técnicas e culturais a empresas e instituições internacionais. É uma excelente oportunidade de aprendizagem e networking. As aulas ocorrem em tempo integral, por um período aproximado de 15 dias. Em janeiro os programas serão com as seguintes instituições: EADA (Barcelona – Espanha) e IÉSEG (Paris – França).

Observação: 1- As escolas parceiras podem ser alteradas dependendo de acordos acadêmicos; 2- Módulo não obrigatório e não incluso no valor do curso.

 

Serviço: MBA em Marketing e Gestão da Saúde AMB/ESPM

(sócios da AMB tem desconto de 30%)

 

Inscrição:  até 28 de fevereiro de 2018

Carga horária: 420 horas – 18 a 20 meses

Início das aulas: 9 de março de 2018

Periodicidade: Aulas serão às sextas-feiras, das 19h30 às 22h30 e aos sábados das 8h às 13h, com intervalos entre as disciplinas.

Local do curso: campus Joaquim Távora – Vila Mariana

Mensalidade:

Central de Relacionamento com aluno: (11) 5081-8200 (opção 1) ou e-mail:

relacionamentojt@espm.br

http://www2.espm.br/cursos/espm-sao-paulo/mba-em-marketing-e-gestao-da-saude-associacao-medica-brasileira-amb/espm

POSSE NA ASSOCIAÇÃO MÉDICA DO MATO GROSSO DO SUL

 

A nova diretoria da Associação Médica do Mato Grosso do Sul, eleita para o triênio 2018/2020, que tem a Dra. Maria José Martins Maldonado como presidente, tomou posse ontem (24/1), na sede da entidade, em Campo Grande. A solenidade contou com a presença de médicos associados, e muitas autoridades locais, como o Prefeito de Campo Grande, Marcos Marcello Trad, vereadores, secretário de saúde, representante do Governador, além do Deputado Federal Luiz Henrique Mandetta, o vice-presidente Conselho Federal de Medicina, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, o presidente da AMB, Lincoln Lopes Ferreira e o vice-presidente da entidade, Diogo Leite Sampaio. Também estiveram presentes presidentes de outras entidades importantes no associativismo médico regional, como o CRM-MS, Dr. Celso Rafael Gonçalves Codorniz, diversas sociedades de especialidades, SinMed-MS e a AEMED-MS.

“É importante saber que podemos contar com o apoio destas entidades para seguir desenvolvendo o trabalho que começamos na primeira gestão. Estamos resgatando a imagem da AMMS como entidade associativa importante para a defesa do médico, da medicina e da saúde, tanto no âmbito regional, quanto nacional. Estou muito feliz pelo que já fizemos e confiante no que podemos fazer, com o apoio de tanta gente que estamos recebendo”, comemora Maldonado.

Dentre as realizações da primeira gestão de Maria José, os destaques foram a reestruturação financeira, a inauguração de um centro de convenções com três anfiteatros, a conquista de parceria com 15 sociedades de especialidades, o início das provas de residência médica em parceria com a federada do Rio Grande do Sul (AMRIGS), a realização do Primeiro Simpósio Médico-Jurídico e a participação para o lançamento da Frente Parlamentar da Medicina dentre outras.

Dra Maria José dará continuidade ao trabalho desenvolvido anteriormente e já tem claro qual o foco da gestão que se inicia: “Nossas prioridades serão a defesa do Ato Médico, para a qual já nos preparamos com a reestruturação do jurídico da AMMS, e o lançamento da Revista Científica da AMMS”.

Recentemente a Dra Maria José também foi empossada como Diretora Acadêmica da AMB, na gestão de Lincoln Lopes Ferreira, que durante o evento de ontem reforçou a honra de contar sempre com seu forte apoio.  “Maria José sempre brilha, pela sua competência e capacidade de coordenação de sua diretoria. A federada do Mato Grosso do Sul conta com o apoio da AMB para todos os seus desafios de gestão. Na AMB contaremos com sua energia na busca da melhoria do ensino médico no Brasil, com prioridade para combater a abertura de novas escolas médicas e propor ajustes necessários nas que hoje não atendem às necessidades mínimas para a formação de profissionais”.

 

Conheça a Diretoria da AMMS – Gestão 2018/2020

 

Presidente: Maria José Martins Maldonado

1º Vice-presidente: Marcelino Chehoud Ibrahim

2º Vice-presidente: Justiniano B. Vavas

1º Secretário: Sergio Luis R. Furlani

2º Secretário: Vitor G. de Oliveira

1º Tesoureiro: Fabio dos S. Magalhães

2º Tesoureiro: Nelson N. de Farias

Científico: Renata Bochi Portella

Defesa Profissional: Valdir S. Shiroma

Sociocultural: Rita de Cássia S. S. Tavares

Esportes: Nicola Rosa

Acadêmico: Kléber F. M. Vargas

OPERAÇÃO “LAMA CIRÚRGICA” no Espírito Santo

OPERAÇÃO “LAMA CIRÚRGICA” no ES: Empresários suspeitos de fornecerem material descartável reutilizado são presos.

A Associação Médica Brasileira (AMB) acompanha pela imprensa e em contato com a sua federada do Espírito Santo, o desenrolar da denúncia que gerou a operação “Lama Cirúrgica” do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp).

“O crime é uma afronta à sociedade, aos pacientes e à medicina. Tratamentos que podem não ter gerado o resultado total esperado ou podem ter havido intercorrências em função da utilização de materiais que são categorizados como descartáveis, mas que foram reaproveitados” diz Lincoln Lopes Ferreira, presidente da AMB.

O presidente da Associação Médica do Espírito Santo (AMES), Leonardo Lessa Arantes, em entrevista ao jornal A Crítica, disse que a reutilização destes materiais representa um risco para todos. “O médico é vítima, o hospital é vítima, a sociedade sai prejudicada como um todo, pois há risco de infecções e resultados ruins. Destes materiais a maior parte é utilizada na Ortopedia, mas alguns são de uso comum, como o fio de sutura cirúrgica.”

A AMB parabeniza a ação da Secretaria de Segurança Pública do Estado frente à denúncia recebida, se solidariza com a população do Espírito Santo e se coloca à disposição das autoridades para contribuir para que o resultado das investigações ocorra com a maior brevidade.

http://g1.globo.com/espirito-santo/bom-dia-es/videos/v/pacientes-com-cancer-no-es-foram-tratados-com-material-descartavel-usado-diz-policia/6427024/

POSSE DA DIRETORIA NA FEDERADA DA PARAÍBA

A solenidade de Posse da diretoria eleita, para o triênio 2017/2020, da Associação Médica da Paraíba (AMPB), aconteceu na última quarta-feira (10), em João Pessoa.

Dra Débora Nóbrega Cavalcanti, reeleita como presidente da AMPB, tem confiança no trabalho à frente, “os desafios são grandes para o próximo triênio, mas me sinto confortável e fortalecida, com o apoio dos pares da diretoria na Paraíba e da Associação Médica Brasileira (AMB), onde tenho honra de ser a Diretora de Assuntos Parlamentares.”

Dr Lincoln Lopes Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira esteve presente na solenidade, parabenizando a todos os eleitos e destacando a participação de Débora à frente da AMPB na gestão passada e na AMB, na Comissão de Assuntos Políticos e, agora, no comando da Diretoria de Assuntos Parlamentares. “Juntos faremos mais e melhor”, reitera Lincoln, pois assim como Débora acredita no trabalho conjunto da AMB com as Federadas e Sociedades de Especialidades.

Presidentes e representantes de entidades Médicas da Região, médicos e familiares estiveram presentes para cumprimentar e parabenizar os empossados.

 Confira os nomes da Diretoria da AMPB:

Presidente  –  Débora Eugênia Braga Nóbrega Cavalcanti
Vice-presidente –  Ronald de Lucena Farias
Secretário-geral  –   Valdir Delmiro Neves
1ª Secretária – Cristiana Ribeiro Coutinho Furtado
1º Tesoureiro –  Islan da Penha Nascimento
2º Tesoureiro  – Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes
Defesa Profissional – Silvana Soraya Gouveia Henriques Martins
Científico   –  Eurípedes Sebastião Mendonça de Souza
Departamento de Convênios  –  Fábio Antônio da Rocha de Souza
Social e Marketing   – Roosevelt de Carvalho Wanderley
Arte e Cultura  –  Antônio Augusto Fraga de Andrade
Patrimônio  –  José Calixto da Silva Filho
Informática  –  Denise de Albuquerque Andrade
Ações Institucionais de Saúde Pública  – Sebastião de Oliveira Costa

MÉDICOS ANESTESISTAS ESTÃO HÁ OITO MESES SEM RECEBER NO TOCANTINS

Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas do Tocantins (COOPANEST), que presta serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS) no Tocantins, não recebe do Governo do estado há oito meses.

Sem ter como pagar os profissionais, a entidade tem sofrido com a baixa no número de cooperados, sendo que muitos até mudaram de estado.

Dr Diogo Leite Sampaio, vice-presidente da Associação Médica Brasileira (AMB) relata que: “Este não é um caso isolado no Brasil. Profissionais médicos têm sido negligenciados pelos estados e prefeituras em seus pagamentos. A AMB tem acompanhado os casos e apoia os movimentos e ações para que se reestabeleçam os pagamentos, pois esses profissionais, como qualquer cidadão, têm direito às suas remunerações, com as quais cumprem suas obrigações financeiras e não pode ser exigido que eles paguem a conta da má gestão da saúde no Brasil.”

Dr Lincoln Lopes Ferreira, presidente da AMB, complementa “ apesar da magnitude da situação a COOPANEST, preocupada com o grande prejuízo que poderia ser causado à sociedade tocantinense, continuou exercendo o seu importante trabalho. Encaminhamos hoje ofício ao Governo do Estado do Tocantins, reforçando nosso apoio aos anestesiologistas e solicitando o empenho para a resolução do caso e informações sobre as medidas que estão sendo tomadas para que sejam efetuados os pagamentos dos valores em atraso o mais rápido possível e restabelecida a regularidade dos futuros pagamentos.”

Foi publicado nos jornais do Tocantins, no final de dezembro, comunicado à sociedade tocantinense, assinado do Dr Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira, presidente da SAETO – Sociedade Tocantinense de Anestesiologista, sobre “o sério risco de ocorrer um colapso no serviço de atendimento de urgência e emergência do Estado por falta de anestesistas nas principais cidades do interior do Estado”.

Dr Roberto ainda salienta: “No caso do atraso do pagamento dos salários dos anestesistas da COOPANEST-TO, a situação se torna ainda mais grave e complexa visto que estamos lutando pelo recebimento de nossos 6º, 7º, 8º, 9º, 10º, 11º e 12º salários.

Este quadro vem obrigando muitos anestesistas a  deixarem o Tocantins em busca de novos mercados de trabalho e de condições dignas de sustentar as suas famílias.”

 

Leia a nota da COOPANEST (08/01/2018) e o comunicado da SAETO (24/12/2017) 

 

Nota da COOPANEST (08/01/2018)

Os anestesistas do Estado do Tocantins, cientes de suas responsabilidades e preocupados com o grande prejuízo que poderia ser causado a sociedade tocantinense, decidiram ontem, dia 08/01/2018, em Assembleia Geral realizada na sede da Cooperativa de Anestesiologia do Estado do TO (COOPANEST), Palmas, a continuarem exercendo o seu importante trabalho, mesmo estando há mais de 7 meses sem receber os seus honorários do governo do Estado. Temos certeza que o bom senso prevalecerá nestas negociações e em breve poderemos exercer com dignidade e em paz o nosso ofício.

 

Comunicado da SAETO (24/12/2017)

Como presidente em exercício da SAETO – Sociedade Tocantinense de Anestesiologista do Estado do Tocantins – sinto-me no dever e na obrigação de fazer um grave alerta à sociedade tocantinense: existe um sério risco de ocorrer um colapso no serviço de atendimento de urgência e emergência do Estado por falta de anestesistas nas principais cidades do interior do Estado.

Os anestesistas da COOPANEST-TO, que desde 14/02/95 vem atendendo com profissionalismo e competência a sociedade deste Estado, estão passando por sérios e graves problemas financeiros fruto de mais de sete meses de atraso salarial.

Cientes das graves consequências que uma paralisação no atendimento poderia ocasionar aos pacientes que necessitam de atendimento nos hospitais públicos deste Estado, optamos por não suspender os serviços mesmo estando há vários meses sem receber os nossos honorários.

Recentemente, um número significativo de servidores do Estado do TO pode experimentar a dor ocasionada pelo não recebimento de seu 13º salário. Não existe nada mais doloroso e humilhante para um pai de família do que trabalhar arduamente sem poder honrar com os seus compromissos familiares básicos. Essa dor se torna ainda mais intensa nestes dias que antecedem as datas comemorativas de final de ano.

No caso do atraso do pagamento dos salários dos anestesistas da COOPANEST-TO, a situação se torna ainda mais grave e complexa visto que estamos lutando pelo recebimento de nossos 6º, 7º, 8º, 9º, 10º, 11º e 12º salários.

Este quadro  vem obrigando  muitos anestesistas a  deixarem o Tocantins em busca de novos mercados de trabalho e de condições dignas de sustentar as suas famílias.

Após o vencimento de nosso último contrato de trabalho, ocorrido no final do mês de Setembro, o governo realizou uma licitação pública  para contratar profissionais anestesistas para todo o TO.

Para não deixarmos a população do TO desassistida e acreditando nas promessas de pagamento da divida do contrato anterior, aceitamos participar desta licitação, sendo os únicos participantes da mesma. Vencemos e continuamos sendo os únicos  responsáveis pela prestação do serviço de anestesia neste Estado.

O contrato atual possui cláusulas que obriga a COOPANEST – TO a suprir todos os municípios tocantinenses com anestesistas, sob pena de rescisão contratual, pagamento de multa e proibição de participação em novas licitações por cinco anos.

Ao protelar o pagamento desses honorários atrasados, judicializando-se o processo, o então Excelentíssimo Senhor Secretário de Saúde, Dr. Marcos Esner Mosafir, está praticamente decretando a extinção do grupo de anestesia que há mais de 22 anos atende com eficiência e competência as diversas cidades do TO. Mais do que isto, está condenando os anestesistas do Estado a mais cruel e desumana sentença: trabalhar sob um sistema “ANÁLOGO AO TRABALHO ESCRAVO”.

A COOPANEST – TO, de mãos atadas, não mais consegue repor as vagas disponíveis existentes nas cidades onde houve o êxodo destes profissionais endividados, que necessitando de recursos para alimentar e sustentar as suas famílias, foram obrigados a deixar os seus antigos postos de trabalho.

Quem teria a coragem de se aventurar a trabalhar no interior de uma cidade do Norte do país sem a garantia do recebimento de seus honorários? Quem, além do anestesista que já está há décadas radicado no Estado e ainda acredita na potencialidade do mesmo?

Como podemos verificar, a situação é grave e necessita ser resolvida com presteza e muita boa vontade, caso contrário, uma catástrofe de proporção descomunal se abaterá sobre o SUS do Estado do TO e sobre a população mais humilde que depende exclusivamente  deste serviço.

Necessário também se faz comunicar à Sociedade Brasileira de Anestesiologia-SBA, à OAB, o Ministério Público Estadual e Federal, à Associação dos Magistrados do TO, o CRM, o CFM, o Sindicato dos Médicos do Tocantins, à AMB (Associação Médica Brasileira), à Assembléia Legislativa do Estado do TO e outros órgãos representativos da sociedade civil organizada sobre os graves fatos acima relatados, como forma de resguardar os profissionais desta cooperativa de alguma possível tragédia que porventura venha a se abater sobre o mesmo.

Sem mais para o momento, agradeço antecipadamente a atenção de todos.

Araguaína, 24 de dezembro de 2017.

Dr. Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Presidente da SAETO

JANEIRO ROXO #TodosContraaHanseníase

O mês janeiro para a maior conscientização sobre a hanseníase passou a ser utilizado  a partir de 2017. Neste mês a SBH-Sociedade Brasileira de Hansenologia, reforça sua campanha Todos Contra a Hanseníase, pois o Brasil é o segundo país com mais casos da doença, atrás da Índia.

 

A SBH desenvolveu cartilha e vídeo para auxiliar na conscientização sobre a doença, que por ano registra perto de 30 mil novos casos, nos vários estados brasileiros e dentre as várias classes sociais, incluindo adultos e crianças.

 

O presidente da SBH, médico Cláudio Salgado, alerta que a luta contra o crescimento silencioso da doença depende muito de uma soma de esforços do poder público com a sociedade civil. Para isso a SBH tem formado parcerias com diversas entidades e empresas para a divulgação e conscientização sobre a doença.

 

Conheça abaixo a cartilha desenvolvida e assista o vídeo em nosso Facebook.

 

Fator de Qualidade ano base 2017

Seguem abaixo as orientações para o Fator de Qualidade ano base 2017.

Atualmente o Fator de Qualidade é aplicado ao índice de reajuste da Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS, o IPCA, quando não houver acordo do reajuste, nos 90 dias iniciais de cada ano, entre prestador de serviço de saúde e a operadora de plano de saúde, com contrato de livre negociação.

A Associação Médica Brasileira AMB vem lutando para que a aplicabilidade do Fator de Qualidade seja expandida e que valorize o ato médico qualificado e de qualidade, pleiteando assim sua aplicação também para a remuneração dos serviços médicos e todos os contratos.

Assim os formulários disponibilizados de 08/01/2018 a 09/03/2018 nos links abaixo, devem ser preenchidos pelos serviços conforme seu enquadramento:

  1. Clínicas ambulatoriais (não SADT)

QUANDO SE TRATAR DE CLÍNICA, PESSOA JURÍDICA, COM VÁRIOS PROFISSIONAIS DA MESMA E/OU DIVERSAS ESPECIALIDADES MÉDICAS.

Clique Aqui

  1. Profissionais de saúde (consultórios isolados):

Clique Aqui

QUANDO SE TRATAR DE PROFISSIONAL MÉDICO, CREDENCIADO DIRETAMENTE COM A OPERADORA. OS DADOS SÃO REFERENTES À SUA FORMAÇÃO/QUALIFICAÇÃO.

  1. SADT:

Clique Aqui

QUANDO FOR SADT NO TIPO DE ESTABELECIMENTO DE SAÚDE – CNES, COMO CLÍNICA DE FISIOTERAPIA, ENDOSCOPIA, HEMOTERAPIA, LABORATÓRIO DE PATOLOGIA, LABORATÓRIO DE PATOLOGIA CLÍNICA/ANÁLISES CLÍNICAS, ONCOLOGIA, RADIOLOGIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM, RADIOTERAPIA, TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA, OUTROS.

4. Hospitais, Hospitais-dia e Maternidades:

Clique Aqui

Quando o serviço tiver o CNES deste tipo de estabelecimento.

Para saber mais, acesse CNES http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/cnes/NT_Estabelecimentos.htm

Aos serviços de Radiologia, Patologia e Patologia Clínica recomendamos acessar o respectivo link disponibilizado no site de cada Sociedade:

https://cbr.org.br/

http://www.sbp.org.br/AssuntosProfissionais/default.aspx

http://www.sbpc.org.br/

PRESIDENTE LINCOLN FAZ A PRIMEIRA VISITA DA AMB À FEDERADA DO ACRE.

Dentre os compromissos de campanha de Lincoln Lopes Ferreira, estão a atuação de forma participativa, para que nenhuma realidade seja esquecida, a ampliação do apoio às federadas, incluindo projetos para ampliar o número de sócios.

Com este objetivo Lincoln esteve na Associação Médica do Acre (AMAC), que possui desafios peculiares em diversos setores, inclusive na Medicina e Saúde.

Em reunião de trabalho com a presidente Jene Greyce Oliveira da Cruz e demais diretores da (AMAC), foram traçados os primeiros passos ao encontro do apoio necessário: estabelecimento de amplo canal de comunicação e disponibilização de estrutura jurídica da AMB para a as demandas do Acre. O tema ampliação do quadro de sócios também foi discutido, para priorização ao convite a jovens médicos.

Lincoln também teve a oportunidade de participar do I Fórum de Discussão em Saúde Pública da AMAC, que teve como temática “Deveres e Responsabilidades de Médicos e Enfermeiros na Promoção da Saúde”.

O Fórum teve por objetivo trazer para discussão a judicialização das Políticas Públicas de Saúde no Brasil, a exemplo da Portaria 2488/2011 do Ministério da Saúde e as novas alterações referentes à Política Nacional de Atenção Básica (Portaria no 2.436 de 21 de setembro de 2017 do Ministério da Saúde), e os efeitos na atuação profissional de médicos e enfermeiros na promoção da saúde para os usuários na atenção básica.

Importante salientar que o fórum trouxe para a discussão, além da federada organizadora, a AMB; o CFM e o Conselho Federal de Enfermagem, bem como suas representações no Estado; as secretarias estadual e municipal de Saúde  além de representante do Ministério público do Acre. Todos tiveram a oportunidade de expor sua visão sobre o tema, o que enriqueceu as discussões sobre as  repercussões para o trabalho e promoção da saúde e para Médico do Programa Saúde da Família (PSF);  na composição da equipe multiprofissional e para o Enfermeiro do PSF; e o papel do gestor na resolução dos serviços de atenção básica.

75 ANOS DA ASSOCIAÇÃO BAHIANA DE MEDICINA

Os 75 anos da Associação Bahiana de Medicina (ABM) serão comemorados na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) com uma sessão especial, proposta pela deputada Fabíola Mansur. O evento será no dia 13 de dezembro, às 9h30, no Plenário da Casa.

Fundada em 11 de outubro de 1942, a ABM atua na promoção dos interesses profissionais dos seus associados, em todos os campos, ético, científico e econômico. “Uma trajetória de 75 anos, construída com muito respeito e credibilidade entre seus filiados e a sociedade baiana, com uma atuação de destaque nos movimentos e ações em prol da categoria e em defesa da saúde pública de qualidade, por isso, apresentamos a proposição, que contou o apoio dos meus pares”, disse a parlamentar, médica de profissão.

Na justificativa do projeto, Fabíola destacou que “Durante a sua existência, a ABM vem cumprindo os objetivos do seu Estatuto, destacando-se o fiel cumprimento dos preceitos éticos da Medicina, a promoção da união da categoria médica, o apoio aos seus associados no exercício profissional, as contribuições para a qualidade do ensino e aprimoramento das políticas de saúde pública e a constante atuação em prol da remuneração digna e compatível com o desempenho do médico”.