Comissão Eleitoral é definida

Em reunião da diretoria da Associação Médica Brasileira no último dia 1º, foi aprovada a criação da comissão especial dedicada à realização das eleições para a gestão do triênio 2017-2020, em conformidade com o artigo 73. § 2o do Estatuto.
A Comissão Eleitoral será composta por Aldemir Humberto Soares, Henrique Batista e Silva e Newton Monteiro de Barros.

III CONGRESSO BRASILEIRO DA SOBRAMH e V CONGRESSO MULTIDISPLINAR DA SANTA CASA

A Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar surgiu em 2008 com a necessidade de criar uma entidade para congregar médicos hospitalistas em torno de um grande objetivo: promover a melhora assistencial e segurança ao paciente e, ao mesmo tempo, otimizar recursos e aplicar modelos de gestão eficientes nos núcleos hospitalares. Desde o início, a SOBRAMH, sigla pela qual a Sociedade responde, associou seu trabalho com instituições   renomadas internacionalmente como a Mayo Clinic e American College of Physicians. Essa parceria se mostra em eventos promovidos pela Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar, com a presença de médicos e gestores dos Estados Unidos, promovendo a difusão do conhecimento médico para o contexto de trabalho do médico brasileiro.

A Medicina Hospitalar vem apresentando fascinante crescimento, melhorias expressivas na qualidade da assistência médico-hospitalar, abertura de milhares de postos de trabalho, fato que tem gerado interesse em diversos profissionais.

Essa especialidade apresentou o maior crescimento na história da medicina moderna nos Estados Unidos, contando com mais de 50 mil profissionais. No mesmo ano em que a Society of Hospital Medicine comemora, nos EUA, vinte anos de existência, com consolidação do modelo em todo o seu território, no Brasil impulsiona-se a discussão com o III Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar realizado em parceria com a maior instituição de Saúde do Estado de Alagoas, a Santa Casa de Maceió.

A Santa Casa de Misericórdia de Maceió, maior instituição de saúde do estado de Alagoas, realiza a cada dois anos, o Congresso Multidisiciplinar de Saúde com a finalidade de aprofundar o conhecimento, interagir entre o corpo médico e outras especialidades, na busca constante de conhecimento e aperfeiçoamento dos serviços de saúde. Neste ano de 2017, a Santa Casa realizará o Congresso em conjunto com III Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar.

O congresso será a oportunidade para conhecer detalhadamente sua história e importância. Oportunizará discussões sobre clínica hospitalar, perioperatório e comanejo clínico-cirúrgico, comunicação efetiva e liderança, estratégias para melhora da qualidade assistencial e segurança do paciente, gestão aplicada, entre outros assuntos relevantes. Teremos espaço para discussão de cases de sucesso em medicina hospitalar no Brasil e nos EUA.

Abordaremos situações prevalentes, entendendo que, na assistência ao paciente hospitalizado, devem-se dominar profundamente os aspectos clínicos e valorizarem-se os aspectos de gestão, com um forte trabalho multiprofissional. O III Congresso Brasileiro de Medicina Hospitalar e V Congresso Multidisciplinar da Santa Casa de Maceió ocorrerão no período de 16 a 18 de novembro na encantadora cidade de Maceió/Alagoas, com a expectativa de público de 600 pessoas, entre profissionais médicos, profissionais gestores e profissionais de saúde, além de estudantes de graduação.

Teremos o WorkShop em Gestão Hospitalar , Lições da Mayo Clinic, no dia 16 de novembro, como atividade Pré-Congresso. Nesta oportunidade esperamos reunir esta cerca de 150 profissionais ligados administração e gestão dos maiores hospitais e centros médicos do país.

Mais informações:

http://www.congressomh.com.br/

 

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia completa 60 anos.

No dia 26 de julho de 1957, inicia-se a história vitoriosa de uma associação de médicos neurocirurgiões que, com o passar dos anos, tornou-se uma das sociedades médicas mais importantes do Brasil e uma das cinco sociedades neurocirúrgicas de maior prestígio mundial.

A iniciativa de fundar a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia teve início em Bruxelas, na Bélgica, durante o Primeiro Congresso Internacional de Cirurgia Neurológica, por iniciativa de José Ribe Portugal e José Geraldo Albernaz. Junto com eles, foram também membros fundadores: J. L. Brito e Cunha, Renato Tavares Barbosa, Paulo Niemeyer, Henrique Austregésilo, Aloysio Mattos Pimenta, Carlos Sacramento, Elyseu Paglioli, Zaluar Campos, Manoel Caetano de Barros e Moacir Bernardes. Portugal foi eleito o primeiro presidente e Albernaz secretário provisório e redator dos estatutos e regulamentos.

O Primeiro Congresso da SBN foi realizado em Petrópolis, no Hotel Quitandinha, no período de 18 a 20 de julho de 1958.

Desde então, várias gestões tem contribuído para o engrandecimento da SBN. E, para celebrar essa data tão importante na história da nossa Entidade – 60 anos de vida, a Diretoria da SBN preparou uma série de eventos comemorativos.

– Lançamento do Espaço SBN 60 anos, na Intranet da SBN (Workplace), para que os associados possam postar fotografias e relatos que marcaram a história da Sociedade;
– Sessão Comemorativa no Senado Federal, no dia 04 de agosto de 2017;
– Lançamento de edição especial da Revista SBN HOJE, sobre os 60 anos da SBN, em outubro no CBAN 2017;
– Jantar de Confraternização no dia 13 de outubro de 2017, durante o CBAN 2017, com homenagem aos fundadores da SBN.

A comunidade neurocirúrgica brasileira pode ficar orgulhosa de pertencer a essa grande sociedade, e todos que dela fazem parte estão de parabéns por contribuir com seu sucesso.

último dia  para a submissão de trabalhos do I CONGRESSO INTERNACIONAL DE SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIA – CISBE 2017.

Hoje dia 20/07/17 é o último dia  para a submissão de trabalhos do I CONGRESSO INTERNACIONAL DE SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIA – CISBE 2017.
São aceitos trabalhos nas seguintes áreas temáticas (categorias):
a. Geração da evidência
b. Síntese da evidência
c. Implementação da evidência
Todos os trabalhos aprovados serão publicados na Revista da AMB.
Haverá classificação geral dos trabalhos, sendo agraciado com premiação de Menção Honrosa o 1º, 2º e 3º lugares.
Inscreva-se e saiba mais sobre o CISBE e sobre a submissão de trabalhos acessando: http://cisbe.amb.org.br/

 

EQUÍVOCOS ÉTICOS E LEGAIS NO PROJETO TELEOFTALMO

 

Atendimento à distância sem participação do médico é antiética e ilegal, afirmam entidades

As atividades de telemedicina devem contar com a participação de médicos em todas as pontas, numa relação direta e pessoal com o paciente. Essa posição foi defendida nesta sexta-feira (14) pelas principais entidades científicas e de ética médica do País – Conselho Federal de Medicina (CFM), Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e Associação Médica Brasileira (AMB) –, em referência ao projeto Teleoftalmo – Olhar Gaúcho, lançado essa semana no Rio Grande do Sul.

O projeto, resultado de uma parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Secretaria Estadual da Saúde e a Associação Hospitalar Moinhos de Vento, com apoio do Ministério da Saúde, se propõe a oferecer exames oftalmológicos à distância, sem a participação direta de médicos em todas as fases do processo, contrariando as exigências expressas na Resolução CFM nº 1.643/2002, que normatiza a prática da telemedicina no Brasil.

Os signatários reforçam que “o envolvimento de profissionais não-médicos em processos de diagnóstico e prescrição promove o exercício ilegal da medicina, desrespeita a legislação em vigor e causa imenso prejuízo à população, ao privá-la de atendimento médico adequado”.

Confira abaixo a íntegra do documento:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

EQUÍVOCOS ÉTICOS E LEGAIS NO PROJETO TELEOFTALMO

Em relação ao projeto Teleoftalmo – Olhar Gaúcho (resultado de parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, a Secretaria Estadual da Saúde e a Associação Hospitalar Moinhos de Vento, com apoio do Ministério da Saúde), que se propõe a oferecer exames oftalmológicos à distância, sem a participação direta de médicos em todas as fases do processo, as entidades médicas brasileiras esclarecem que:

1)      Os serviços de telemedicina podem ser realizados apenas com a participação direta de médicos, devida e legalmente habilitados para o exercício profissional, em todas as etapas das atividades previstas;

2)      Essa exigência está inscrita na Resolução CFM nº 1.643/2002, que normatiza a prática da telemedicina no Brasil, especialmente no tocante à obrigatoriedade da presença de médicos nas duas pontas de atendimento;

3)      A regra assim o estabelece como forma de assegurar ao paciente o acesso ao melhor diagnóstico, bem como para preservar informações que são de interesse apenas dessa pessoa e do profissional que o atende;

4)      O atendimento à distância, sem a participação de médico em todas as pontas, numa relação direta e pessoal com o paciente, não é ética, legal e efetiva;

5)      Nesse sentido, o envolvimento de profissionais não-médicos em processos de diagnóstico e prescrição promove o exercício ilegal da medicina, desrespeita a legislação em vigor e causa imenso prejuízo à população, ao privá-la de atendimento médico adequado;

6)      Essas medidas importam prejuízos para a saúde dos pacientes, expostos a diagnósticos imprecisos que podem retardar o início de tratamentos necessários, e para o Estado, que oportunamente poderá ser chamado a cobrir gastos com tratamento de doenças complexas, as quais poderiam ter sido evitadas pelas formas corretas de prevenção e diagnóstico.

Diante dessa situação e para preservar a previsão constitucional de acesso universal, integral e equânime da população a todos os tipos de serviços de saúde oferecidos no País, sempre com qualidade, esgotados os diálogos administrativos prévios e necessários junto às autoridades para a compreensão do fato, serão tomadas as medidas cabíveis para impedir irregularidades e exigir do Estado que cumpra as obrigações que lhe são atribuídas na Carta Magna.

 

ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA (AMB)

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM)

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA (CBO)

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO RIO GRANDE DO SUL (CREMERS)

Alergo Imuno Rio 2017

Será realizado, nos dias 11 e 12 de agosto, no Centro de Convenções CBC Amil – Rio de Janeiro, RJ, o ALERGO IMUNO RIO 2017, promoção da ASBAI-RJ. Nesta edição a programação terá como principais temas: Asma ; Lactente Sibilante ; Rinossinusite; Alergia alimentar; Alergia a medicamentos; Dermatite atópica; Urticária e Angioedema; Imunodeficiências primárias. Médicos associados AMB terão os mesmos descontos nas inscrições que os associados

Ramb está entre as revistas mais acessadas no Scielo

O blog Divulga Ciência, dedicado a valorizar as revistas científicas brasileiras por meio da divulgação, publicou post assinado pela jornalista Carolina Medeiros citando as revistas mais acessadas no Scielo.

A Revista da Associação Médica Brasileira aparece entre as 10 mais acessadas do país na área de ciências da saúde, com mais de 4 milhões de acessos (veja quadro abaixo). Os dados foram coletados de setembro de 2015 a agosto de 2016, a partir do site SciELO Analytics, que divulga as estatísticas de acesso às publicações.
Segundo o blog, “O SciELO tem se configurado como uma importante base de dados que reúne revistas científicas de acesso aberto do Brasil e outros 14 países de língua portuguesa e espanhola. Há 16 anos estabelece critérios de publicação que, apesar de polêmicos, têm mudado consideravelmente o padrão de qualidade das publicações”.

A notícia completa pode acessada por este link: http://www.blogs.ea2.unicamp.br/cienciaemrevista/2016/10/19/ranking-scielo/

AMB endossa declaração contra o Tabagismo

A AMB é signatária da Declaração da 5a Conferência Latino-Americana e do Caribe sobre Tabaco ou Saúde Denuncia Produtos de Tabaco Aromatizados, que apela para que os governos proíbam os produtos de tabacos aromatizados e suas propagandas e promoções associadas.

Este é um documento importante neste momento no qual retornou à pauta do STF, a ADIN 4874, na qual a CNI propõe a suspensão da proibição de aditivos e sabores nos produtos derivados do tabaco, determinada pela RDC ANVISA 014-12. Cerca de 127 organizações de 16 países assinaram o documento que  pode ser visualizado clicando no link abaixo.
 
http://bit.ly/DeclaraçãoOrgs

 

Download da Declaração

MPF recomenda suspensão de compra e distribuição da Asparaginase chinesa. AMB e CFM apoiam a decisão.

Em nome de 4 mil crianças e adolescentes que enfrentam tratamento em busca de cura contra a leucemia linfoide aguda, um dos tipos de câncer que mais afetam essa faixa etária, e dos profissionais que os acompanham o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Médica Brasileira (AMB) expressam seu total apoio à decisão do Ministério Público Federal (MPF) de recomendar ao Ministério da Saúde a suspensão da compra e da distribuição em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) de todos os lotes do medicamento Leuginase, produzido pelo laboratório chinês Beijing. A posição do MPF, em decorrência de suspeitas de falta de segurança e de eficácia no referido medicamento, representa um importante passo na proteção dos direitos individuais no País. Se acatada, a recomendação contribuirá para evitar que esses jovens pacientes sejam expostos, desnecessariamente, a situações de risco de morte e os ajudará em sua jornada em busca da cura. O CFM e a AMB reiteram a importância de que todos os medicamentos só possam ser comercializados e distribuídos no Brasil, após avaliação rigorosa sobre sua qualidade, inclusive pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a partir de evidências científicas irrefutáveis relativas à sua segurança e eficácia. Da mesma forma, considerando o contexto de possível desabastecimento desse princípio ativo, o CFM e a AMB pedem que sejam tomadas todas as providências para que o Governo garanta acesso aos pacientes a frascos da l-asparaginase produzida por laboratórios que, reconhecidamente, cumpram esses requisitos, permitindo a continuidade dos tratamentos.