NOVA DIRETORIA DA ABRAMEDE TOMA POSSE

Na última sexta-feira (10), a Associação Médica Brasileira (AMB) abriu as portas para realizar a cerimônia de posse da nova diretoria da Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede). Hélio Penna Guimarães é o novo presidente da entidade. O médico é especialista em Medicina de Emergência, Medicina Intensiva e Cardiologia, além de doutor em Ciências da Saúde.

Hélio Penna Guimarães já teve seu primeiro compromisso como presidente da Abramede. Ele e a 1ª secretaria da entidade, Ana Paula da Rocha Freitas, participaram de uma reunião com o presidente da AMB, Lincoln Ferreira. “Foi um encontro importante para tratarmos de assuntos do interesse da especialidade e reforçar que a AMB está à disposição para auxiliá-los nessa trajetória”, destaca Lincoln Ferreira.

Durante o evento de posse também foi realizada a prestação de contas da diretoria anterior. Conheça a nova diretoria de Abramede.

Conheça mais sobre Hélio Penna Guimarães

O novo presidente da Abramede também é professor afiliado do Departamento de Medicina da UNIFESP-EPM e professor titular de Medicina de Emergência da Universidade São Camilo-SP. É coordenador da UTI de Clínica Médica da UNIFESP-EPM e membro das Câmaras Técnicas de Medicina de Emergência do Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

Nova diretoria da Abramede:

Presidente: Hélio Penna Guimarães
Vice-presidente adulto: Maria Aparecida Braga,
Vice-presidente pediatra: João Carlos Batista Santana
1ª Secretaria: Ana Paula da Rocha Freitas,
2ª Secretário: Ivam de Mattos Paiva Filho
1º Tesoureira: Sabrina Corrêa da Costa Ribeiro
2º Tesoureiro: Breno Douglas Dantas de Oliveira

RETROSPECTIVA AMB | DEFESA PROFISSIONAL E CIENTÍFICO JUNTOS

A remuneração médica é um assunto que mobilizou as atenções da AMB em diversas ocasiões em 2019. Prova disso é que, o Conselho Científico e a Comissão de Defesa Profissional da AMB promoveram uma reunião conjunta inteiramente dedicada ao tema.

Para que o médico seja protagonista da própria carreira, o encontro teve o objetivo de apresentar à comunidade médica as mais recentes informações sobre a formação profissional e as mudanças da forma de pagamento na atividade médica.

Alinhados, Carlos Jasmin, presidente da Comissão de Defesa Profissional, e Carlos Palandri Chagas, presidente do Conselho Científico da AMB, reforçaram durante a reunião que é preciso haver simetria de forças, respeito para ambas as partes nos contratos e transparência para que os níveis ideias de confiança sejam alcançados.

NOVA DIRETORIA DA ABRAMET É EMPOSSADA

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) tem uma nova diretoria. Os responsáveis por dirigir a entidade no biênio 2020/2021 tomaram posse neste sábado (11), em solenidade realizada no auditório da Associação Médica Brasileira (AMB), em São Paulo. Antônio Edson Souza Meira Júnior foi eleito presidente da Abramet e fica no cargo até dezembro de 2021.

Lincoln Ferreira, presidente da AMB, e o secretário geral da entidade, Antonio Jorge Salomão, prestigiaram a cerimônia de posse dos novos diretores e do presidente da Abramet.

“Desejo a nova diretoria e ao presidente Antônio Edson muito sucesso. As portas da AMB estarão sempre abertas para o diálogo construtivo sobre pautas de interesse da especialidade e da medicina nacional. Tenho certeza que o novo ciclo que se inicia será de muito crescimento para a entidade”, afirmou Lincoln Ferreira.

Antonio Jorge Salomão também desejou sucesso à nova gestão e disse estar pronto para ajudar a Abramet em questões que envolvam a defesa da vida, o bem-estar, e a saúde no trânsito.

SBACV TEM NOVA DIRETORIA

O cirurgião vascular mineiro Bruno de Lima Naves assume a presidência da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) para o biênio 2020/2021. Fundada em 1952, a entidade congrega os mais de 3 mil especialistas em cirurgia vascular e angiologia atuantes no Brasil. A SBACV promove a educação continuada dos especialistas e é responsável pela concessão de título de especialista em Angiologia, Cirurgia Vascular e Endovascular – este último em parceria com a Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (Sobrice).

A nova gestão vai investir com afinco na defesa profissional, procurando melhorar os honorários médicos defasados e combatendo a invasão da especialidade por profissionais não habilitados a tratar problemas vasculares. “Somos bem formados. O médico é um profissional que estudou e estuda muito e detém um conhecimento com o qual promove a saúde e o tratamento das doenças. Médico tem valor! E como temos. Precisamos resgatar nossa autoestima, lutar com todas as forças para recuperarmos o nosso valor, primeiro dentro de nós e depois junto à população, e exercermos a nossa profissão com a dignidade que ela merece”, afirma Bruno de Lima Naves.

A diretoria vai também dar continuidade aos programas de educação continuada e às avaliações dos serviços e residências credenciadas com muito critério e zelo. “O nosso congresso nacional realizado a cada biênio surpreende. Enfim, somos uma Sociedade científica de ponta e vamos continuar sendo com a participação e colaboração de todos”, diz o novo presidente.

Nova diretoria da SBACV, gestão 2020/2021:

Presidente – Bruno de Lima Naves / MG

Vice-Presidente – Júlio César Peclat de Oliveira / RJ

Secretário-Geral – Francesco Evangelista Botelho / MG

Vice-Secretário – Breno Caiafa / RJ

Tesoureiro-Geral – Daniel Mendes Pinto / MG

Vice-Tesoureiro – Claudio Nhuch / RS

Diretor Científico – Marcelo Rodrigo de Souza Moraes / SP

Vice-Diretor Científico – Ronald José Ribeiro Fidelis / BA

Diretor de Publicações – Marcelo Calil Burihan / SP

Vice-Diretor de Publicações – Eliud Garcia Duarte Junior / ES

Diretor de Patrimônio – Antonio Carlos de Souza / DF

Vice-Diretor de Patrimônio – Cristiane Ferreira de Araújo Gomes / RJ

Diretor de Defesa Profissional – Eraldo Arraes de Lavor / PE

Vice-Diretor de Defesa Profissional – Fabiano Luiz Erzinger / PR

Texto: Ascom SBACV

RETROSPECTIVA AMB | INVESTIGAÇÃO SOBRE ESQUEMAS NA REVALIDAÇÃO

A AMB dedicou alguns meses no início de 2019 para investigar a fundo um esquema irregular na revalidação de diplomas de egressos do exterior. A entidade foi atrás de informações, evidências e dados que ajudassem a entender como operam as universidades e empresas intermediadoras envolvidas no esquema.

O trabalho, coordenado pelo vice-presidente da AMB, Diogo Sampaio, contemplou a análise detalhada da legislação sobre revalidação e dos editais da UFMT; o levantamento de informações sobre o perfil das faculdades conveniadas; avaliação dos canais online de empresas intermediadoras; reunião de materiais para entender como elas operam; e contato direto com as empresas, por meio de pessoas que cooperaram com a investigação, para comprovar a atuação ilícita e ameaçadora para a saúde brasileira.

A investigação levou à compreensão sobre como o esquema bilionário atua para facilitar a revalidação de diplomas de quem não comprovou habilidades para exercer medicina no Brasil. Em maio, o caso foi exposto ao Ministério da Educação e, devido à falta de retorno e atuação do MEC, as denúncias foram levadas ao CFM, à Controladoria Geral da União, a deputados da Frente Parlamentar da Medicina e ao próprio presidente da República, além da imprensa em geral.

A atuação da AMB provocou uma grande discussão nacional sobre a revalidação de diplomas estrangeiros e a capacidade de formação de escolas em países da América Latina.

RETROSPECTIVA AMB | CATEC

Em 2019, o diretor de Defesa Profissional da Associação Médica Brasileira (AMB), Carlos Jasmin, participou ativamente dos debates na Câmara Técnica de Contratualização e Relacionamento com Prestadores (CATEC), da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

A finalidade do grupo foi colher subsídios para a revisão e aprimoramento da regulação setorial sobre contratualização. Alguns dos principais problemas discutidos nos encontros foram as glosas, não-pagamentos, reajustes anuais de contratos e a possibilidade de um novo canal de relacionamento entre prestadores de serviço em saúde e operadoras de planos.

“A instituição da CATEC e o período de discussões se mostraram extremamente eficazes na proposição de normas para o estabelecimento de contratos simétricos, que resguardam o equilíbrio na relação entre operadoras e prestadores”, analisa Jasmin. A Comissão segue na luta para que as novas regras sejam aprovadas pela Diretoria Colegiada da ANS.

RETROSPECTIVA AMB | CONVÊNIO COM MINISTÉRIO DA SAÚDE

Com o intuito de desenvolver novas diretrizes clínicas para utilização no Sistema Único de Saúde (SUS), a AMB, por meio do Conselho Científico da entidade, firmou um convênio com o Ministério da Saúde em dezembro.

O diretor do departamento de Gestão e de Regulação do Trabalho em Saúde do Ministério da Saúde (SEGTS), Alessandro Vasconcelos, esteve presente na última reunião do Conselho de 2019 e anunciou a iniciativa do Governo Federal em realizar a parceria.

O presidente do Conselho Científico da AMB, Carlos Palandri Chagas, relembra que é importante que os temas escolhidos para debate nas reuniões contribuam para a melhoria do atendimento e segurança de pacientes e médicos e reforça que o apoio das Sociedades de Especialidade filiadas à AMB é fundamental para o desenvolvimento do programa, que deve ter início em 2020.

O coordenador do Programa Diretrizes da AMB, Wanderley Bernardo, enviou para avaliação do Ministério da Saúde os temas das diretrizes produzidas pela AMB em conjunto com as Sociedades de Especialidade.

RETROSPECTIVA AMB | RELACIONAMENTO COM A ANS

Para a AMB, a construção de parcerias e o fortalecimento do diálogo podem trazer soluções e inovações para o exercício da medicina. Esta é a tônica dos debates realizados entre a entidade e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Por meio da Comissão de Defesa Profissional, em 2019 a AMB abriu as portas para receber a ANS e também compareceu a diversas reuniões na sede da entidade. Os encontros tiveram como objetivo ampliar e qualificar políticas regulatórias do setor.

Entre os temas discutidos esteve a ampliação do debate sobre a relação entre as operadoras de saúde e os médicos prestadores de serviço. A AMB apresentou reivindicações, como a modificação da Terminologia Unificada de Saúde Suplementar (TUSS); a regulação do setor para evitar e punir casos de glosa; a criação de mecanismos para melhorar a comunicação entre prestadores e ANS; além de mudança na relação contratual entre operadoras e médicos. Em parceria com sociedades especializadas, a AMB também lutou pela desburocratização do processo de inclusão de novas tecnologias no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS.

A proposta para estabelecer padrões a serem observados pelas operadoras de planos privados quanto à aplicação de glosa nos processos de apresentação e pagamento dos faturamentos pelos prestadores de serviços também foi debatida em reunião realizada em dezembro.

Na foto: Leonardo Lessa, presidente da Associação Médica do Espírito Santo; Eduardo Nagib, diretor Relações Internacionais da AMB; Débora Cavalcanti, diretora de Assuntos Parlamentares da AMB; Daniel Meirelles, diretor-adjunto de Desenvolvimento Setorial da ANS; Carlos Jasmin, diretor de Defesa Profissional da AMB; Rodrigo Rodrigues Aguiar, diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS; Maria José Maldonado, diretora acadêmica da AMB; e Jorge Akel, presidente da Associação Médica do Amazonas.

RETROSPECTIVA AMB | DEFESA DO ATO MÉDICO

Em 2019, não foram raros os casos de profissionais de outras áreas que tentaram invadir competências que são específicas dos médicos para realizar diagnósticos, procedimentos e prescrever tratamentos. Muitos, inclusive, eram atividades que requeriam Título de Especialista para serem realizadas.

A AMB apoiou algumas iniciativas para coibir a prática. Um exemplo foi o requerimento protocolado junto com junto com o deputado Hiran Gonçalves, presidente da Frente Parlamentar da Medicina, para que o projeto de lei que facultava o exercício da acupuntura por profissionais não médicos fosse discutido e votado em Plenário, em vez de seguir direto para o Senado.

A entidade também endossou a posição da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica de repudiar uma séria intercorrência ocorrida depois de um dentista realizar um procedimento estético que levou uma paciente à UTI no interior de São Paulo; e apoiou a ação judicial impetrada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, determinante para a suspensão da Resolução do Conselho Federal de Farmácia (CFF) que definia os requisitos técnicos para o exercício do farmacêutico no âmbito da saúde estética.

Em 2020, a defesa do Ato Médico vai ganhar ainda mais força por meio da Comissão Jurídica em Defesa do Ato Médico, criada em agosto e que conta com a participação de 50 órgãos, entre sociedades, associações, colégios e federações.

RETROSPECTIVA AMB | DENÚNCIAS SOBRE REVALIDAÇÃO SÃO APRESENTADAS A DEPUTADOS DA FPMED

Preocupada com os riscos para saúde da população, em setembro, a Associação Médica Brasileira (AMB) apresentou aos deputados da Frente Parlamentar da Medicina (FPMed), os graves problemas de revalidação de diplomas médicos no Brasil. O relatório foi elaborado a partir de uma investigação da AMB, coordenada pelo vice-presidente, Diogo Sampaio.

A apresentação, realizada na sede da Associação Médica de Brasília (AMBr), foi feita pelo diretor de Atendimento ao Associado da AMB, Marcio Fortini e contou com a presença dos deputados da FPMed, representantes de Federadas e Sociedades de Especialidade.

#RetrospectivaAMB #AMB #Retrospectiva2019 #Saude #Medicina #EnsinoMedico #AMB #FPMed