11º Congresso Brasileiro Sobre Acidentes e Medicina de Tráfego

Abramet promeverá Congresso para debater Acidente e Medicina do Tráfego, em setembro

 

O 11º Congresso Brasileiro Sobre Acidentes e Medicina de Tráfego ocorrerá de 9 a 13 de setembro de 2015, no Wish Serrano Resort, em Gramado (RS).

Palestrantes de renome internacional irão tratar dos problemas e da prevenção em relação a acidentes de trânsito e estradas do Brasil.

Os organizadores do evento pretendem também envolver a comunidade, com ações sociais, buscando sempre uma maior conscientização. “A participação dos alunos das escolas de Gramado é muito importante”, afirma o presidente do evento Juarez Molinari.

Desde a sua fundação, em 1980, a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) congrega os especialistas em Medicina de Tráfego desenvolvendo ações, estudos e pesquisas visando à prevenção de acidentes decorrentes da mobilidade humana, procurando evitá-los ou mitigar a dor por eles provocada. Por isso, a importância da realização de reuniões de caráter científico, tais como congressos, simpósios e cursos de atualização.

Uma cidade onde o pedestre coloca o pé na faixa de segurança e os motoristas imediatamente param os veículos. Sem nenhum semáforo no município, os cruzamentos de maior movimento são ordenados apenas por rotatórias floridas. Assim é Gramado, no Rio Grande do Sul. E esse é apenas um dos motivos pela escolha deste acolhedor município da Serra Gaúcha para receber o 11º Congresso Brasileiro Sobre Acidentes e Medicina de Tráfego.

Além da disciplina do trânsito, Gramado é reconhecida por sua infraestrutura hoteleira e gastronômica, além de espaços bem equipados para a realização de eventos de todos os portes. E o que dizer do comércio, bastante variado e repleto de produtos que são a cara da cidade, como o chocolate, o couro, o tricô e o artesanato, sem esquecer dos produtos coloniais – preparados com carinho pelos agricultores do município.

A realização do 11º Congresso Brasileiro Sobre Acidentes e Medicina de Tráfego é da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego e organização da Rossi e Zorzanello Feiras e Empreendimentos.  A agência oficial é a Brocker Turismo. Informações pelo telefone (54) 3282.5400 ou, ainda, pelo e-mail brocker@brockerturismo.com.br.

Mais informações sabrina@rossiezorzanello.com.br.

SBIm promove Jornada Nacional de Imunizações em Curitiba

home_arte_grande

Com o tema “Nova era nas imunizações: desafios e oportunidades”, a Sociedade Brasileira de Imunização realiza, em Curitiba, de 30 de setembro a 03 de outubro, a XVII Jornada Nacional de Imunizações. O maior evento do gênero no país reunirá as principais referências em imunização para discutir assuntos que vão da incorporação de novos conceitos imunológicos a questões de mercado que podem comprometer a segurança do paciente.

Nas conferências, simpósios e mesas redondas também serão debatidas estratégias para manter as coberturas vacinais já conquistadas, como a do sarampo. Apesar de o Brasil não registrar transmissão autócne desde 2000, os surtos de casos importados no Ceará e em Pernambuco acenderam o alerta apara a doença.

Os interessados em apresentar temas livres (orais ou pôsteres) devem enviar os trabalhos à comissão científica até às 21 horas de 31 de julho. O material só será analisado se enquadrar-se nas seguintes áreas: Aspectos Éticos e Legais das Imunizações, Controle de Infecção e Vigilância Epidemiológica, Imunizações, e Infecções Preveníveis por Imunizações. Não há limite de trabalhos enviados por autor.

Mais detalhes estão disponíveis no site www.jornadasbim.com.br.

XXVII Congresso Brasileiro de Genética Médica em Ribeirão Preto

logotipo_Genetica2015_NOVO

A Sociedade Brasileira de Genética Médica em parceria com o Departamento de Genética da FMRP-USP realizarão de 3 a 6 de junho de 2015 o XXVII Congresso Brasileiro de Genética Médica, na cidade de Ribeirão Preto SP. A programação cientifica foi desenvolvida pela comissão com cautela para abranger os mais diversos temas dentro da Genética e contará com os renomados colegas nacionais e internacionais como: David Valle, EUA – Henk Blom, Alemanha – Kenneth Lyons Jones, EUA – Miguel del Campo Casanelles, Espanha e Nara Sobreira, EUA. A Genética Médica e Clínica são áreas de intenso desenvolvimento científico com evolução rápida do conhecimento, necessitando de Congressos anuais para atualização do público alvo e maior aproximação e intercâmbio de conhecimento entre os diferentes grupos nacionais e internacionais.

Para mais informações: www.oxfordeventos.com.br/geneticamedica/

Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial manifesta surpresa com a ANS após publicação da Súmula Normativa Nº 26

Entende-se que a publicação estabelece recomposição inflacionária inferior para laboratórios sem certificado de qualidade

 

A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) manifesta sua surpresa com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) sobre a Súmula Normativa Nº 26, publicada no Diário Oficial da União do dia 02 de março de 2015.

 

Na recente publicação da Súmula, a ANS, no item 1.2, determina que será utilizado apenas o valor integral do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para a aplicação do  Fator de Qualidade, não podendo o resultado ser superior ao próprio índice de reajuste.

 

Subentende-se que a maneira que a Súmula foi apresentada não trará um estímulo para o setor laboratorial, que investiu para adequar os seus serviços e melhor atender a população brasileira – lembrando que os exames laboratoriais são responsáveis por 70% das decisões médicas.

 

Além disso, é de entendimento da SBPC/ML que os laboratórios que não tiverem qualificação comprovada receberão reajustes inferiores ao IPCA como referência. “Em um momento de crescente inflação, os laboratórios são impactados, já que são pressionados pela não reposição de seus custos, além da qualidade dos serviços laboratoriais estarem em risco”, avalia Vitor Pariz, diretor de Defesa Profissional da SBPC/ML.

 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação oficial do país, medido pelo IPCA, fechou em 1,24% em janeiro, depois de avançar 0,78% em dezembro de 2014. Ainda, segundo recente pesquisa do Banco Central, o crescimento da economia deve ser zero em 2015, enquanto a inflação deve chegar em 7,15% – considerada a maior em 11 anos.

 

“Acreditamos que a ANS queria valorizar a qualidade dos serviços oferecidos pelos laboratórios clínicos, mas não deveria limitar a aplicação do Fator de Qualidade ao IPCA e, sim, permitir uma vantagem adicional para quem investiu na qualificação. Por outro lado, devemos entender que o laboratório que não tiver qualificação comprovada por certificados de acreditação, terá ajustes inferiores ao índice usado como referência. Como poderão sobreviver? Que serviços devemos esperar que serão oferecidos?”, questiona o diretor.

 

A expectativa da SBPC/ML era de composição de grupo com os representantes do setor de Saúde Suplementar para definir a aplicação do Fator de Qualidade. Apesar do cenário desanimador por conta da inflação, a SBPC/ML elogia a recente Súmula, onde é estabelecido, no item 1.1, que o IPCA será aplicado em seu valor integral para os reajustes que ocorram nos dois primeiros anos de vigência para os profissionais de saúde e, no primeiro ano, para os demais estabelecimentos de saúde.

 

“Nos casos que não houver acordo entre as partes, plano de saúde e prestador, a reposição da inflação, com base no IPCA, fica garantida. Exceto alguns casos, isso deve atender os laboratórios que atuam no sistema suplementar. Isso já é um grande progresso”, diz Vitor Pariz.

 

A Lei 13.003 da ANS, publicada no Diário Oficial da União do dia 11/12/2014, estabelece regras para contratos entre operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços, que incluem laboratórios clínicos, hospitais, clínicas e profissionais de saúde. Após a publicação da RN 364, que regulamentou a Lei 13.003, a SBPC/ML também manifestou sua surpresa pela inclusão da palavra “limitado”, empregada no Artigo 3º da referida Resolução Normativa, que não deixa clara a aplicação de índice de percentual no reajuste para os prestadores que possuem certificação de qualidade.

 

“Para a SBPC/ML, a regulamentação da Lei 13.003 foi um grande progresso por estabelecer igualdade entre prestadores e operadoras, mas deixou uma lacuna no valor para a aplicação do Fator de Qualidade, que seria definido e detalhado nos próximos meses por meio de uma reunião criada pela ANS. Isso prejudica a valorização da rede de prestadores e é extremamente importante que os laboratórios tenham um incentivo por todo o investimento que se propuseram a fazer para se adequarem aos requisitos de qualidade”, finaliza Pariz.

 

Sobre o PALC

Em 1998, a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial criou o Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC). A acreditação é um processo voluntário em que uma instituição, governamental ou não, avalia um laboratório através de auditorias e determina se ele atende a requisitos predeterminados para exercer as tarefas a que se propõe. Dentre vários objetivos esse processo pretende garantir a qualidade dos serviços prestados.

Ameaça cubana aos médicos é absurda e AMB reafirma ajuda aos profissionais

Reportagem da Folha de S. Paulo publicada hoje, 21 de março, revela a ameaça do governo de Cuba de cassar os diplomas dos médicos cujas famílias não retornarem à ilha até o dia 15 de abril. A atitude do governo de Havana é absurda, fere os direitos fundamentais desses profissionais e deveria ser, prontamente, condenada pelas autoridades brasileiras, que deram aos médicos vistos de permanência em nosso país e os acolheram com festa.

Só podemos culpar o Ministério da Saúde e o governo federal pela forma desastrosa e irresponsável com que conduziram a concepção do programa Mais Médicos, colocando os interesses políticos e eleitorais acima do interesse público. Por isso, os profissionais cubanos, que são tratados como mão de obra análoga à escrava, tem seus direitos humanos desrespeitados seguidamente, dentro de nosso próprio território, por um governo estrangeiro.

As pressões e ameaças que vêm sofrendo são inaceitáveis e a AMB reitera o compromisso de auxiliar a todos os médicos que vieram ao nosso país. Além de enfrentar a precariedade de infraestrutura da saúde pública, precisam conviver diariamente com a vigilância dos “agentes de brigada”, com salários menores do que os outros médicos do programa e, agora, nem mesmo o direito à convivência com seus familiares, assegurada em contrato.

Caiado pede investigação sobre Mais Médicos após denúncia de farsa no programa

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) pediu, nesta quinta-feira (19), que se investigue o programa Mais Médicos depois de uma reportagem do Jornal da Band, no dia 17 de março, mostrar uma reunião em que a Organização Pan-americana de Saúde (Opas) e representantes do Ministério da Saúde supostamente combinam a vinda ao Brasil, junto aos médicos, de 50 espiões da ditadura cubana.

Caiado, que também é médico, afirma que o programa é um disfarce para apoiar a ditadura cubana e mandar dinheiro ao país. O senador apontou reportagem da Folha de São Paulo mostrando que o número de médicos no interior do país caiu após o início do Mais Médicos.

Segundo o senador, durante a reunião mostrada pelo Jornal da Band da TV Bandeirantes, a representante da Opas e os representantes do Ministério da Saúde resolvem incluir países do Mercosul e da Unasul no documento “para fingir que o contrato não é apenas com Cuba”. Além disso, a Opas propõe ao governo que, dos 9 mil médicos enviados ao Brasil, sejam incluídos 50 espiões cubanos para tutelar esses médicos.

— O governo brasileiro e a Opas acertaram que 50 espiões da ditadura cubana, que vieram junto com os 9 mil médicos, fossem identificados e credenciados como médicos para entrar no Brasil — afirmou o senador.

Segundo Caiado, na reunião também foi discutido valor do salário dos médicos, em que um representante do governo sugere o pagamento de 60% para Cuba de 40% para os médicos. No entanto, a representante da Opas o interrompe e diz que é um assunto do governo cubano.

— Ou seja, o governo cubano recebe 90% do salário dos médicos e os médicos, no Brasil, recebem 10% do salário. Mas não é o senador Caiado que fala, é o Tribunal de Contas da União. Os médicos cubanos receberam em torno de 117 milhões, enquanto o governo cubano já havia recebido R$ 1,2 bilhão antes da campanha eleitoral — afirmou.

Caiado pediu investigação para saber se parte desse dinheiro também não retornou ao Brasil como aconteceu com o escândalo da Petrobras.

Em aparte, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) falou que a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou, nesta quinta-feira (19), requerimento para convidar o ministro da Saúde e outros convidados para esclarecer esse episódio do Mais Médicos.

O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) também disse que o objetivo do programa Mais Médicos era transferir recursos para Cuba além dos que foram transferidos para obras, como a construção do porto de Mariel.

Câmara aprova em urgência projeto que prevê mamografia a partir dos 40 anos

A Câmara dos Deputados aprovou no dia 17 de março o Projeto de Decreto Legislativo 1442/14 que revoga a determinação do Ministério da Saúde de permitir a realização de mamografia no Sistema Único de Saúde (SUS) apenas para mulheres entre 50 e 69 anos. A autora do projeto, deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), lembra que a Lei 11.664/08 prevê a realização do exame mamográfico para todas as mulheres a partir dos 40 anos.

Segundo a deputada, a portaria do Ministério da Saúde 1.253/13 extrapola o poder regulamentar do órgão. “Não pode uma norma administrativa do Ministério contrariar um direito já expresso em lei”, disse ela. A deputada afirma ainda que, na prática, o artigo 2º da portaria – que o projeto pretende invalidar – “equivale a restringir o acesso das mulheres a esses exames que têm se mostrado efetivos no diagnóstico precoce do câncer de mama”.

O objetivo do regime de urgência é acelerar a análise da proposta. Ainda não há data prevista, no entanto, para a votação do texto em Plenário.

A Sociedade Brasileira de Mastologia prega a realização da mamografia a partir dos 40 anos, já que alguns estudos apontam a redução da mortalidade do câncer de mama em até 35%, além de, através do diagnóstico precoce, as chances de curar poderem chegar a 95% dos casos. O presidente Ruffo de Freitas Junior afirma que tanto a experiência do consultório quanto os inúmeros estudos e acompanhamentos realizados pelos principais mastologistas do Brasil e do exterior comprovam que a idade ideal para o início do trabalho preventivo, via mamografia, é 40 anos. “Diversos são os fatores que contribuem para essa conclusão, um deles o próprio estilo de vida estressante atual, alimentação, entre outros, que contribuem para a manifestação da doença cada vez mais cedo”, afirma o presidente.

Sociedade de Medicina de Alagoas e o Museu de História da Medicina Nise da Silveira

A Sociedade de Medicina de Alagoas e o Museu de História da Medicina Nise da Silveira esta, por meio de um convênio com a pró-reitoria de extensão e pesquisa da Universidade Federal de Alagoas, realizando o tombamento, a catalogação e ordenamento dos instrumentais, digitalização, iconografia e objetos do museu.

Os estudantes envolvidos são: Simone Vicente Dias da Silva; Luís Henrique Alves Salvador Filho; Paulo Victor Vicentin Mata e Anderson Mascarenhas Niccio alunos da Faculdade de Medicina de Alagoas – UFAL e Swellen Karine Correia Cabral aluna da Universidade de Saúde do Estado de Alagoas – UNCISAL. O projeto é coordenado pelo professor da UFAL e presidente da Sociedade de Medicina de Alagoas Fernando Antônio Gomes de Andrade, possui o objetivo de modernizar o museu físico e o de criar um museu.

O Museu de História da Medicina foi criado no dia 26 de junho de 1990, sobre a presidência do médico, pesquisador e historiador Agatângelo Vasconcelos. O museu possui instrumentais representativos do século XIX século XX; uma coleção de retratos dos grandes construtores da medicina do Brasil como os alagoanos: Arthur Ramos, Nise da Silveira, Jorge de Lima, Breno Acioly, Estácio de Lima, Melo Moraes, Virgilio Mauricio, Mário Magalhães da Silveira, Abelardo Duarte, Gilberto de Macedo e muitos outros; uma biblioteca com livros raros e a cronologia da historia da medicina de Alagoas, do Brasil e do mundo.

Recentemente, o museu recebeu da direção da Faculdade de Medicina de Alagoas, representada pelo professor doutor Francisco Passos, o importante quadro do primeiro professor de anatomia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Alagoas, professor Paulo Neto, pintado pelo artista alagoano Miguel Torres.

A história da medicina não é apenas objeto de estudo e interesse para os que são da área, visto que ela possui marcos que dialogam diretamente com a história da humanidade e influenciam as mais diversas sociedades ao longo dos séculos. Nesse contexto, portanto, é possível perceber a importância de que essa história seja preservada, para servir como ensino, esclarecimento e conscientização.

A história de um país, de uma sociedade ou de toda a humanidade é a base imprescindível em que todo homem precisa se apoiar, tanto para entender seu presente, como para melhor construir seu futuro. A história da medicina, como qualquer processo histórico, ajuda o homem a entender mais sobre o seu passado e consequentemente sobre si mesmo; mostra que o indivíduo é produto do meio, e que não se pode avaliá-lo sem levar em conta a época e o contexto em que viveu.

Especialistas internacionais apresentam novas técnicas de oncoplastia

Jornada Brasileira de Oncoplástica, promovida pela SBM, acontece de 10 a 12 de abril, em São Paulo

A cirurgia de reconstrução mamária é atualmente uma das maiores evoluções do tratamento do câncer de mama, porém menos de 10% das pacientes brasileiras submetidas à mastectomia têm acesso à ela, mesmo após o Governo ter sancionado a Lei nº 12.802, que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar cirurgia reparadora em quem retirou a mama devido ao câncer. A maioria das mulheres vive mutilada há anos aguardando, seja por falta de informação, medo, vergonha ou autoestima baixa.

Uma das formas de diminuir as filas é ampliar o número de profissionais disponíveis e treinados para esse tipo de cirurgia. E é para atualizar e aprimorar novas técnicas que a Sociedade Brasileira de Mastologia promove, entre os dias 10 e 12 de abril, em São Paulo, a Jornada Brasileira de Oncoplástica 2015 – Da Reconstrução à Reparação, que apresentará as mais recentes técnicas cirúrgicas e indicações, além de implicações e demonstrações de casos clínicos.

Mastologistas e cirurgiões de mama terão a oportunidade de acompanhar cirurgias ao vivo, assim como assistir aos importantes especialistas internacionais Richard Rainsbury, da Inglaterra; Eduardo Gonzalez, da Argentina; e Mario Rietjens, da Itália.

Os principais pontos que serão destacados no evento serão a utilização das membranas acellulares em reconstrução mamária; a redução das taxas de re-excisões após as cirurgias conservadoras oncológicas e oncoplásticas; a mastectomia preservadora de pele e de pele e mamilo: técnica para evitar complicações; a expansão mamária pós radioterapia; além da reconstrução mamária em sarcomas e reconstrução mamária em pacientes obesas.

O evento, que acontece no Hotel Bourbon Convention Center, em Moema, é voltado para mastologistas, oncologistas, cirurgiões de mama, residentes e estudantes. Dez vagas serão destinadas para acompanhamento presencial no centro cirúrgico com os médicos internacionais. Para se inscrever, basta enviar um email parasecretaria@sbmastologia.com.br ou pelo site da SBM (sbmastologia.com.br). Telefone para contato: (21) 2262-7306.

Anvisa amplia medidas para aumentar a segurança do receptor e do doador de sangue

O Diário Oficial da União publicou dia 18 de março os procedimentos, normas e diretrizes essenciais para as Boas Práticas no Ciclo do Sangue. As regras estão descritas na Instrução Normativa (IN) nº 1, que explicita as reformulações pelas quais está passando o sistema de hemovigilância brasileiro. A norma prevê, ainda, que o detalhamento conceitual e operacional sobre o tema estará descritos no Guia para a Hemovigilância. Este documento já está disponível no site da Anvisa. 

Com a IN, os eventos adversos ocorridos desde a doação até o receptor do sangue deverão ser notificados ao Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) por meio do sistema Notivisa. Esta medida tem o objetivo de subsidiar gestores e demais profissionais de saúde com informações úteis para o planejamento de medidas para reduzir riscos, além de inovar ao estabelecer prazos para a comunicação e a notificação dos eventos adversos.

Até a publicação da Instrução, a vigilância sobre os eventos adversos ao uso do sangue no Brasil estava restrita às reações ocorridas no decorrer ou após as transfusões sanguíneas. Esta ampliação do escopo da hemovigilância brasileira vem sendo discutida, por cerca de três anos, no âmbito da Comissão Permanente de Hemovigilância, que é a instância formalmente constituída para assessorar tecnicamente a Agência nas questões relacionadas ao tema.

A IN estabeleceu, por exemplo, que, em casos de óbito decorrentes de reações transfusionais, o fato deve ser comunicado e notificado ao SNVS em um prazo máximo de 72 horas. Situações como estas eram de notificação obrigatória mesmo antes da norma. No entanto, não havia prazo máximo estabelecido. Uma das inovações da norma é a obrigatoriedade de notificação de reações graves à doação, que devem ser feitas ao SNVS pelo serviço de saúde onde o fato ocorreu até o 15º dia útil do mês subsequente à identificação do evento.

O documento proposto por essa comissão – formada por representantes do Ministério da Saúde, vigilâncias sanitárias dos Estados, serviços de saúde, além de associações de especialistas e pacientes com doenças hematológicas – foi objeto de consulta ampliada a diversos órgãos e entidades relacionadas ao tema.

Os diferentes serviços envolvidos com os processos abordados na IN terão 12 meses a partir da publicação desta norma para se adequarem às suas exigências.