“MAIS MÉDICOS DEVERIA SER CHAMADO DE MENOS MÉDICOS”

O 72º Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado em São Paulo, foi o primeiro compromisso público oficial do novo presidente da Associação Médica Brasileira, Lincoln Ferreira, que tomou posse no último dia 31 de outubro.

Na sexta-feira, 3 de novembro, participou da abertura do congresso, quando falou sobre a importância de eventos científicos como o promovido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), “que contribuem sobremaneira para o aperfeiçoamento técnico e profissional da classe médica, um contraponto fundamental no momento e no cenário atual da saúde no Brasil”.

Na palestra e na mesa de debates que participou no sábado, Dr Lincoln salientou a importância da carreira médica de estado para garantir provimento de profissionais para áreas remotas e de difícil acesso: “única alternativa viável e eficiente ao Programa Mais Médicos, cuja qualidade e mesmo a formação dos profissionais até hoje não foi comprovada. Além disso, segundo o TCU, em 49% dos municípios atendidos pelo programa houve diminuição da quantidade de médicos disponíveis para atender a população”.

Também falou sobre a abertura desenfreada de escolas médicas no Brasil e o custo financeiro, social e para a saúde do País: “Formar um médico com ensino de qualidade no Brasil custa muito caro. Formar médicos sem qualidade, custa mais caro ainda para a sociedade como um todo”, declarou Lincoln durante a palestra. “Não há justificativa para que o Brasil tenha mais escolas médicas do que os Estados Unidos, em termos proporcionais. Precisamos é de qualidade, não somente de quantidade”, completou o presidente da AMB.

A importância do associativismo, o engajamento dos médicos nas associações, assim como os honorários médicos e a Frente Parlamentar da Medicina foram outros temas tratados na palestra de Lincoln Ferreira na palestra “Propostas do associativismo médico brasileiro”, que ocorreu dentro Segundo Fórum de Qualidade Assistencial e Defesa Profissional da SBC, no congresso desta sociedade.

Com mais de 8.200 participantes, o congresso deste ano foi o maior da história da cardiologia no País.

FLORENTINO CARDOSO É O NOVO PRESIDENTE DA CONFEMEL

Ex-presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino Cardoso tomou posse nesta quinta-feira, 2 de novembro, em cerimônia realizada em Lima, no Peru. A Confederação Médica Ibero-Latina-Americana e do Caribe (CONFEMEL) é uma entidade privada, não governamental, sem fins lucrativos, com seus próprios recursos e alcance internacional, que representa e é constituída por todas as instituições médicas com representação nacional, as instituições fundadoras e os adeptos dos países de América Latina, Iberoamérica e Caribe.

“O Brasil tem protagonismo mundial quando se fala em saúde ou Medicina. A AMB está representada em diferentes fóruns nacionais e internacionais, sempre com trabalho, dedicação e competência. Assumimos agora a Confemel, sucedendo Jeancarlo Cavalcante, para dar continuidade e evoluir com ideias e projetos, levando a entidade e seus países membros a conquistar ainda mais respeito e que tenhamos saúde e Medicina de qualidade, como também médicos mais envolvidos na assistência, ensino, pesquisa, gestão e entidades associativas.
Esperamos realizar grande trabalho coletivo, irmanados nas boas causas, para que façamos mais e mais pelos nossos pacientes.”

“Confemel representa o mais amplo e importante fórum de discussão e proposição de rumos para a saúde, particularmente para a medicina, no continente americano e na península ibérica. Ao assumir a Presidência da Confemel, Dr. Florentino Cardoso, chancelado por dois brilhantes mandatos na AMB, evidencia o protagonismo da medicina brasileira e certamente, com sua competência e com a proatividade que sempre o caracterizou, ele em muito ampliará o leque de ações da entidade! Sob sua liderança, a prática médica neste continente será ainda mais respeitada, tanto na WMA (Word Medical Association), quanto nos demais fóruns mundiais”, comemora Lincoln Ferreira, presidente da AMB.

Saiba mais sobre a CONFEMEL

A história da CONFEMEL tem como antecedente principal a fundação da Confederação Médica Pan-Americana (CMP), criada em 3 de dezembro de 1946 por decisão do 1º Congresso Pan-Americano de Medicina Social realizado em Havana-Cuba, sob a concepção de ser uma organização de União de todos os médicos do continente.

Em setembro de 1951, o Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS / OMS) adotou a Resolução XVII, que estabeleceu: reconhecer oficialmente a Confederação Médica Pan-Americana (CMP) como organização não governamental representativa das associações médicas do continente, bem como autorizar o Diretor da OPAS a concordar com o CMP sobre como estabelecer relação entre os dois, para que associações médicas tenham oportunidade de apresentar seus pontos de vista diante dos grandes problemas sócio-econômicos que afetam médicos do continente em várias áreas, considerando que a CMP pretende contribuir para avanço das ciências médicas e melhoria do nível de saúde de seus povos.

Até 1964, a sede permanente da CMP era Cuba, em 1971 mudou-se para o Chile, funcionando até 11 de setembro de 1973. No entanto, diante da situação vivida, colegas venezuelanos (sede alternativa) não puderam acessar informações e recursos, levando a CMP cessar sua ação.

Em 1997, a CONFEMEL foi estabelecida em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, reconhecida como a organização contínua da tradição estabelecida pela Confederação Médica Pan-Americana (CMP), que continuamente uniu as associações médicas nacionais da região entre 1946 e 1973. Desde então vem crescendo em países membros e representatividade.

Em 2016 Espanha e Portugal passaram a integrar a entidade. Hoje são 22 países membros.

ANS NÃO INCLUI EXAMES IMPORTANTES EM ROL DE OBRIGATORIEDADE PARA PLANOS

 

A não inclusão de procedimento importantes pela Agência Nacional de Saúde, é motivo de reportagem do Bom Dia Brasil, onde Dr Emilio Cezar Zilli manifesta a posição da AMB.

O novo diretor de Defesa Profissional da AMB, Carlos Alfredo Lobo Jasmin, comenta: “a ANS, desde a sua origem, é gerida por ex-funcionários e diretores de planos de saúde, assim há maiores pressões destas operadoras para barrar a autorização de novos procedimentos que possam encarecer as suas atividades. O que as operadoras querem é diminuir as suas despesas para aumentarem os seus lucros. A AMB condena que a ANS trabalhe para as operadoras e não para o público que é o povo brasileiro que contrata os planos de saúde.”

Assista a matéria com a entrevista do Dr Zilli: https://globoplay.globo.com/v/6260583/programa/

No início deste mês, AMB encaminhou a todos os Senadores e Deputados Federais, em nome de suas 54 Sociedades de Especialidade Médica associadas, bem como das 27 entidades Federadas, que representam os médicos do Brasil, avaliação sobre o projeto de Lei (6.621/2016), que tramita no Congresso Nacional e que modifica a Lei n. 9.986, de 18.07.2000, no que se refere os critérios para nomeação para cargos de Presidente ou o Diretor-Geral ou Diretor-Presidente (CD I) e os demais membros do Conselho Diretor ou da Diretoria (CD II),de agencias reguladoras.

A AMB entende que o que está proposto no PL ainda é insuficiente para que haja subsídio técnico especializado para as indicações, considerando a importância destas no país, que exercem funções regulatórias estratégicas em diversas áreas de interesse nacional, e a existência de duas Agências específicas relacionadas à saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA e a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS.

Hospital de Câncer abre inscrições para o 1º Simpósio de Oncologia

O Núcleo de Integração de Ensino, Pesquisa e Saúde (Nieps) do Hospital de Câncer de Mato Grosso está recebendo inscrições para o 1º Simpósio de Oncologia Tratamento Multimodal. O evento é destinado aos acadêmicos de medicina, residentes e médicos. O primeiro lote vai até dia 31 de outubro, com valores que variam de R$ 80 a R$ 150.

O Simpósio será realizado no dia 25 de novembro e contará com uma programação diferenciada para a área médica e palestrantes de várias regiões do país. Serão tratados temas como: Neoadjuvância no paciente com câncer no reto; Metástases colorretais hepáticas: terapia de conversão; Tópicos no manejo do câncer de colo de útero; Câncer de mama localmente avançado: estado da arte; Tratamento multimodal no câncer de estômago e TEG.

O evento conta com o apoio da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT), Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Médica de Mato Grosso (AMMT), Conselho Regional de Medicina do Estado do Mato Grosso (CRM-MT), Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) e do Hotel Gran Odara.

Além dos apoiadores o evento terá vários patrocinadores, como Roche, Unimed Cuiabá, Elekta, Varian, Oncocenter, Oncomed, Imagens, IMN Medicina Nuclear, Lapat, Oncovida e Unicred.

Para mais informações e inscrições, acesse o site www.hcancer.com.br. Demais informações 3648-7575, ramal 7605.

NOVEMBRO AZUL: SBU EMITE NOTA SOBRE O RASTREAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais comum e a segunda maior causa de óbito oncológico no sexo masculino, com estimativa de 61.200 novos casos em 2016/2017 no Brasil. 20% dos casos ainda são diagnosticados em estágios avançados.

A Sociedade Brasileira de Urologia mantém sua recomendação de que homens a partir de 50 anos devem procurar um profissional especializado, para avaliação individualizada. Aqueles da raça negra ou com parentes de primeiro grau com câncer de próstata devem começar aos 45 anos. O rastreamento deverá ser realizado após ampla discussão de riscos e potenciais benefícios.

Leia a Nota Oficial Sociedade Brasileira de Urologia sobre o Rastreamento do Câncer de Próstata.

http://portaldaurologia.org.br/destaques/nota-oficial-2017-rastreamento-do-cancer-de-prostata/

DR LINCOLN LOPES FERREIRA PARTICIPARÁ DO 72º CONGRESSO BRASILEIRO DE CARDIOLOGIA

Dr Lincoln Lopes Ferreira, presidente da AMB, participará do 72º Congresso Brasileiro de Cardiologia, com a palestra “Propostas do associativismo médico brasileiro”, que ocorrerá no Segundo Fórum de Qualidade Assistencial e Defesa Profissional da SBC, 04/11/2017 / 10:15-11:45 no Auditório 14.

Saiba mais sobre o Congresso, que ocorrerá no São Paulo EXPO de 03 a 05 de novembro:

http://cardio2017.com.br/index.php

O CONSELHO DELIBERATIVO DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA DÁ POSSE A NOVA DIRETORIA

 

 

Lincoln Lopes Ferreira é empossado como presidente da AMB em reunião do Conselho Deliberativo da entidade, ocorrida em Minas Gerais, nesta manhã (31/10/2017).

Dr Lincoln ao assumir faz um agradecimento especial ao presidente Florentino Cardoso “médico competente, homem íntegro e modelo de gestão, ao amigo Florentino só tenho a agradecer pela grande oportunidade de poder fazer parte de sua diretoria à frente da AMB nos últimos anos. Honraremos os ensinamentos e os compromissos da entidade.”

“Agradeço aos colegas, todos os médicos que confiaram em nós com seu voto, aos que nos apoiaram desde o lançamento de nossa candidatura e, de forma especial, aos companheiros da Chapa 1 – AMB Sem Partido com quem tenho a certeza de realização de um trabalho com empenho e dedicação na luta pelos interesses dos médicos, da Medicina e da saúde dos brasileiros.” , complementa Lincoln.

“A vitória não foi só nossa. Foi de todos aqueles que querem uma AMB independente.”, finaliza Lincoln.

 

Foto: Clóvis Campos

JUSTIÇA MANTÉM DECISÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO DA AMB

A Excelentíssima Dra Denise Cavalcante Fortes Martins, juíza da 1ª Vara Cível – Foro Central de São Paulo, que acompanha o caso da eleição da AMB desde agosto, em processo movido pela Associação Paulista de Medicina contra a AMB, proferiu nesta segunda-feira, 30 de outubro, decisão favorável à AMB, mantendo o resultado proclamado pelo Conselho Deliberativo, em reunião realizada em 19 de outubro: “Por ora, não há que se falar em anulação de decisão do Conselho deliberativo da AMB”.

Ao rejeitar o pedido de anulação da reunião do Conselho Deliberativo, a decisão deixa claro que a AMB sempre cumpriu as determinações judiciais, já que em nenhum momento isto foi questionado pela Excelentíssima Juíza.

Assim, em instantes, será dado inicio à reunião do Conselho Deliberativo, que dará posse a Lincoln Lopes Ferreira, como presidente da AMB, e aos demais integrantes da diretoria eleita.

A posse pelo Conselho Deliberativo se dará conforme dispositivos estatutários tendo em vista que a Assembleia de Delegados no último dia 20 teve que ser encerrada de forma prematura, sem que a pauta da reunião fosse cumprida, e a posse fosse dada aos eleitos. O tumulto foi gerado por cerca de 40 médicos de São Paulo, que, capitaneados por Florisval Meinão, presidente da APM, e por Jurandir Ribas, candidato derrotado à presidência da AMB, obstruíram o processo, em total desrespeito à AMB, aos órgãos permanentes da instituição (Conselho Deliberativo e Assembleia de Delegados) e aos os colegas presentes à reunião.

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA REALIZA O PASSEIO CICLÍSTICO OUTUBRO ROSA EM JOÃO PESSOA.

 

A vontade de chamar a atenção sobre a necessidade do diagnóstico do câncer de mama em fases iniciais, reuniu Débora Cavalcanti, presidente da Associação Médica da Paraíba, e Jeane Nogueira, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia/ Regional Paraíba. Idealizaram o passeio ciclístico e buscaram parceiros e apoiadores para sua realização.

Assim as duas entidades realizaram o projeto em parceira com a Planet Bikes. Ainda apoiam o passeio: Conselho Regional de Medicina da Paraíba, Prefeitura de João Pessoa, Instituições de Ensino e Saúde Nova Esperança, OCB – PB, Oncoclínica Dr. Marcos Magalhães, U D Diagnóstico Por Imagem e SICRED.

Para a Dra. Débora Cavalcanti, presidente da Associação Médica da Paraíba, “a realização do passeio é uma forma de chamar atenção para a necessidade do diagnóstico do câncer de mama em fases iniciais, para que mais rapidamente se tenha acesso aos tratamentos disponíveis.” Salienta ainda que só foi possível a realização do evento com as parcerias estabelecidas com outras entidades e empresas.

Os alimentos arrecadados pela contribuição dos participantes serão doados a entidade de idosos Vila Vicentina.

Até hoje já existem 80 participantes, de diversos grupos de João pessoa: Grupo Mocoto, Grupo Pedal 83, Grupo Zona Leste, Grupo Tapioca, Grupo Originais, Grupo Tartaruga, Grupo Cidade Viva e Grupo Pedal do Giro.

Mas ainda há espaço para quem quiser pedalar no domingo. Os interessados podem trocar amanhã os alimentos pela camiseta, no Planet Bikes, ou no domingo no ponto de encontro, no Busto de Tamandaré.

O passeio acontecerá saindo do busto de Tamandaré e seguindo pela Av Epitácio Pessoa, até a Praça da Independência, e de lá retornando.

O trajeto terá as ruas interrompidas e na chegada trio elétrico e a madrinha do passeio, a cantora Renata Arruda.

Serviço:
PASSEIO CICLÍSTICO OUTUBRO ROSA
Data: 29/10/2017
Hora: 07h
Local de saída: Busto Tamandaré, João Pessoa/PB
A camiseta alusiva ao passeio é adquirida pela troca de 2 kg de alimentos não perecíveis.

TUMULTO IMPEDE POSSE DE PRESIDENTE ELEITO DA AMB

A Assembleia de Delegados da Associação Médica Brasileira (AMB), marcada para as 9 horas da manhã dessa sexta-feira, 20 de outubro, no Expo Center Norte, foi encerrada sem que os delegados eleitos e empossados pelo atual presidente da AMB, Florentino Cardoso, pudessem sequer escolher quem deveria presidir a sessão. De forma truculenta e antidemocrática, em consequência disso, também foi impedida a posse do candidato eleito para a presidência da AMB, Lincoln Lopes Ferreira, e da sua diretoria.

Lamentavelmente, mais de 40 médicos do estado de São Paulo tumultuaram a reunião mesmo antes de seu início, quando chegaram ao credenciamento exigindo crachás de “delegados de São Paulo” e foram informados de que a eleição para delegados da AMB, realizada pela Associação Paulista de Medicina (APM), havia sido anulada devido a irregularidades que feriam frontalmente o estatuto e o regimento eleitoral da Associação Médica Brasileira.

A anulação desta eleição foi determinada pelo Conselho Deliberativo da AMB, em reunião ordinária ocorrida na tarde anterior. É o órgão da entidade com a prerrogativa de julgar as eleições da AMB e proclamar os eleitos, conforme determina o Estatuto da Entidade. Este conselho é formado por representantes de 27 Sociedades de Especialidade e pelos presidentes das federadas da AMB. Também fazem parte o representante do CFM, além do presidente e secretário geral da AMB.

Por mais de uma hora, capitaneados por Florisval Meinão, presidente da APM, e por Jurandir Ribas, candidato derrotado à presidência da AMB, obstruíram o credenciamento dos delegados eleitos pelos outros 23 estados que possuem representantes na assembleia de delegados. Também se apropriaram do livro de presença e só o devolveram depois de garantir que todo este grupo o tivesse assinado – de forma irregular, ressalve-se. Por meio de intimidações e ameaças às atendentes do credenciamento conseguiram os referidos crachás da forma que queriam.

Mesmo sem terem direito a voto, foi permitido que todos tivessem acesso à sala onde se realizaria a assembleia e pudessem assistir à reunião, na boa fé de que isso garantiria a maior transparência possível sobre as decisões da reunião. No entanto, o grupo tumultuou ainda mais. E logo após o atual presidente da AMB, Florentino Cardoso, dar posse aos delegados dos demais estados, a grita recomeçou. Os dirigentes da APM, aos quais democraticamente foi dado acesso aos microfones, começaram a protestar contra a decisão do Conselho Deliberativo e a insuflar o grupo.

Não aceitavam a determinação, baseada no estatuto da entidade, de que a escolha para presidir a sessão fosse realizada exclusivamente com os votos dos delegados recém-empossados e dos presidentes das federadas. Queriam que os votos de todos os presentes fossem aceitos, mesmo daqueles que não eram não delegados da entidade. E exigiam que o presidente da APM, Florisval Meinão, assumisse o comando da sessão.

Por mais de uma hora o microfone foi usado para protestos e ataques pessoais aos gestores da AMB. O secretário geral da AMB, Dr. Antônio Jorge Salomão só retomou a palavra quando não havia mais interessados em manifestar-se e reiniciou a chamada dos delegados eleitos, por federada, para escolha do presidente da sessão. Questionado se toda a plateia poderia votar, respondeu que seguiria a determinação do estatuto. O tumulto recomeçou. A gritaria recomeçou. Os insultos recomeçaram. Dr Salomão tentou por diversas vezes acalmar ânimos e iniciar a votação para presidência da assembleia, porém não obteve sucesso. Em dado momento, o presidente da federada paulista subiu ao tablado onde estava a mesa de condução da assembleia e, à revelia do Estatuto, da ética e da educação, se colocou na posição de presidente da sessão. Na sequência, desistiu e desceu.

Sem condições de dar continuidade à assembleia naquele cenário, intimidado pela agressividade do referido grupo, assim como de dirigentes da Associação Paulista de Medicina (APM), buscando evitar que os ânimos exaltados gerassem problemas ainda mais graves, o dr. Antônio Jorge Salomão, secretário geral da AMB, que também secretariava a assembleia, suspendeu a sessão.

Neste momento, os delegados eleitos dos outros estados e os presidentes da maioria das federadas, deixaram a sala da assembleia. Foi quando o presidente da APM voltou a ocupar a mesa, autoproclamando-se presidente da assembleia (que já havia sido encerrada). De forma fantasiosa e teatral, simulou a realização de uma assembleia de delegados – ilegítima, registre-se. O objetivo fica claro no site da própria APM, onde publicam que “Assembleia de Delegados da AMB aclama Jurandir Ribas como novo presidente”.

Vale lembrar que esses delegados sequer eleitos estavam, já que o Conselho Deliberativo anulou este pleito por conta de desobediência às regras estatutárias e regimentais da AMB. Por isso mesmo não foram empossados no início da sessão. Também não há qualquer previsão estatutária que ampare o comportamento do presidente da APM.

Depois disso, parte desse grupo resolveu ir à sede da AMB para que “Jurandir assumisse o controle”, conforme informou a segurança do local. Recebida essa informação, para preservar os funcionários da entidade, como medida preventiva, determinou-se o fim do expediente e o fechamento de todas as salas da entidade.

No início da tarde, dezenas de pessoas do mesmo grupo detalhado acima, juntamente com um diretor da APM e dois seguranças desta federada, ameaçaram invadir a sede da AMB. Alguns integrantes conseguiram entrar no estacionamento e se negaram a sair até a chegada do jurídico da AMB ao local.

Lamentamos que estes médicos se neguem a obedecer à decisão do Conselho Deliberativo. Uma ocorrência triste que ficará marcada na história da AMB, maculando sua trajetória continuamente vitoriosa e representativa da classe médica brasileira, já tão vilipendiada.

Todos estes acontecimentos foram registrados por vídeo, áudio e fotografia.

Todas as decisões judiciais têm sido acatadas pela AMB, como não poderia deixar de ser.