DIA NACIONAL DE COMBATE À DOENÇA VASCULAR PERIFÉRICA (DAOP)

SBACV alerta sobre a importância do diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento

O Dia Nacional de Prevenção da Doença Vascular Periférica é no próximo sábado, 14 de julho. A doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) acomete as artérias, que são os vasos que levam o sangue do coração para os órgãos e tecidos, principalmente nos membros inferiores.

A aterosclerose é a causa mais comum da DAOP, caracterizada pela dificuldade de passagem de sangue devido a placas de gordura e outros elementos depositados na parede das artérias ou pela própria degeneração da parede do vaso ao longo dos anos. Ela pode causar ainda problemas cardiovasculares como o infarto do miocárdio e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Estimativas apontam uma prevalência de 10 a 25% na população acima de 55 anos, sendo que aumenta com a idade.

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) aproveita a data para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce, visto que o problema pode causar gangrena ou até amputação de membros inferiores. “Os fatores de risco para a Doença Arterial Obstrutiva Periférica são tabagismo, sedentarismo, obesidade, diabetes, hipertensão e colesterol alto. Por isso é importante a avaliação do Angiologista e /ou Cirurgião Vascular, pois com o diagnóstico precoce é possível tratar e evitar complicações”, afirma o presidente da SBACV, Dr. Roberto Sacilotto.

Os pacientes que apresentam a doença arterial obstrutiva periférica iniciam os sintomas queixando-se de dores nas panturrilhas (“barriga da perna”) quando andam determinadas distâncias e que melhoram quando interrompem a marcha, é a chamada claudicação intermitente. A claudicação intermitente é um alerta de que a circulação pode não estar normal.

Em estágio avançado, a pessoa pode sentir dor nos membros inferiores, mesmo em repouso, frialdade nas perna, formigamento e dormência e apresentar lesões necróticas (tecido sem recuperação, escuros) em dedos dos pés.

O presidente da SBACV explica que um exame clínico minucioso feito pelo Cirurgião Vascular e/ou Angiologista e a utilização de exames como o ultrassom Doppler podem confirmar o diagnóstico.

Tratamentos

Na fase em que o paciente apresenta dor quando caminha (claudicação intermitente), medidas clínicas e orientações como suspender o uso de cigarros, controlar a pressão alta, colesterol elevado e diabetes devem ser iniciados de imediato, além de estimular o hábito de caminhar aumentando assim a formação de novos vasos que irão compensar aqueles obstruídos.

“Nos casos de doença avançada, com o aparecimento de necroses nas extremidades dos dedos dos pés, há a necessidade de procedimentos cirúrgicos que podem ser iniciados pela Angioplastia (dilatação do vaso com balões e stents) até cirurgias maiores como a ponte de veia safena, que seria a substituição do local obstruído da artéria por veia safena do próprio paciente fazendo uma derivação em ponte. São procedimentos que cicatrizam as lesões e feridas e o levam ao salvamento da perna”, explica Dr. Sacilotto.
*Há uma imagem no anexo do e-mail sobre os estágios da DOAP.

XXII Congresso Brasileiro de Nutrologia acontece de 27 a 29 de setembro em São Paulo

Conhecimento e integração na promoção da saúde nutrológica

São Paulo recebe o XXII Congresso Brasileiro de Nutrologia nos dias 27, 28 e 29 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca. Principal evento da área realizado pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), certamente serão dias de imersão em temas pautados nas principais tendências, estudos e novidades no âmbito da saúde nutrológica e afins.

Simultaneamente, acontecem ainda o XXII Simpósio de Obesidade e Síndrome Metabólica, XV Simpósio de Nutrição Enteral e Parenteral e III Meeting de Nutroesportiva, realizados anualmente pela ABRAN.

Os nomes de importantes médicos nacionais e internacionais já estão confirmados, assim como a participação de várias empresas parceiras, o que deve tornar o Congresso ainda mais rico em conteúdo, com a apresentação de casos clínicos, estudos, pesquisas e análises de assuntos relevantes para a área médica.

Com uma programação atualizada que inclui palestras e workshops, serão mais de 50 simpósios em que os especialistas irão compartilhar experiências, conhecimentos e, o mais importante, gerar o engajamento e a troca de informação entre os presentes, promovendo a integração dos profissionais em prol da saúde e da Nutrologia.

Durante o evento, acontecem ainda apresentações de trabalhos científicos, para as quais os interessados podem se inscrever pelo site abran.org.br/congresso2018. Serão premiados três trabalhos científicos e todos os aprovados serão publicados no International Journal of Nutrology.

As inscrições para o XXII Congresso Brasileiro de Nutrologia já estão abertas, com valores especiais por tempo limitado. Mais informações pelo site abran.org.br/congresso2018

 

PRESIDENTE DA AMB VISITA A SEDE DA SBA

Hoje (29/06), Lincoln Lopes Ferreira, presidente da AMB, esteve na sede da Sociedade Brasileira de Anestesiologia, para uma reunião com Sérgio Luiz do Logar Mattos, presidente da SBA.
O principal objetivo da reunião foi discutirem as demandas da SBA que contarão com o apoio da AMB.
Na oportunidade Lincoln e Sérgio assinaram títulos de especialista, num ato que simboliza todo o grau de união existente entre a AMB e a SBA.
Lincoln saiu entusiasmado da reunião: “Tive hoje o prazer de conhecer a bela sede da SBA, onde mantive uma excelente e produtiva reunião com o Presidente Sergio Logar.”

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA FAZ CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O VITILIGO

A modelo e universitária Eliane Medeiros, que tem vitiligo, gravou filme para esclarecer e diminuir o preconceito sobre a doença

Eliane Medeiros (21 anos) é modelo profissional, estudante de Direção de Artes e tem vitiligo. Seu depoimento no filme https://youtu.be/6PT9Gu3_Qfw (1”15’) mostra que leva uma vida normal e se aceita como é, com suas manchas. Para ela, a única diferença que existe é que a sua pele é sensível, e precisa de mais cuidados, além de utilizar o filtro solar. A doença, que ainda não tem cura, acomete cerca de 1% da população mundial e 0,5% da brasileira, e não é transmissível.

O vitiligo é facilmente diagnosticado pela presença de manchas brancas em qualquer área da pele, que não têm melanócitos, células responsáveis pela formação da melanina, pigmento que dá cor à pele. Por conta dessas características, pessoas que têm vitiligo costumam enfrentar muito preconceito. Pensando nisso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia aproveitou o dia 25 de junho, Dia Mundial do Vitiligo, para promover uma campanha de conscientização da doença. As ações da SBD têm como objetivo esclarecer e diminuir o preconceito acerca do assunto.

Durante o filme, Eliane Medeiros fala sobre os preconceitos que já passou e faz um alerta para a população. “Ninguém quer ser rejeitado ou deixado de lado por uma característica que é sua. Antes de você se afastar de algo ou praticar algum tipo de atitude pejorativa, você precisa se informar. Vitiligo não passa”, diz ela. O depoimento de superação da modelo também faz parte do filme. “Foi um processo bem doloroso, mas hoje eu consigo me aceitar da forma como eu sou. Eu me acho bonita, eu me acho interessante. Comecei a enxergar o meu trabalho como uma forma de transformação social. Você também pode ser feliz e bonita do jeito que você é, tendo vitiligo ou tendo qualquer outra característica”, afirma.

Os cuidados necessários que as pessoas que possuem vitiligo precisam ter é se proteger do sol, usando medidas fotoprotetoras, evitar roupas apertadas, ou que provoquem atrito ou pressão sobre a pele, e controlar o estresse. Esses fatores podem precipitar o aparecimento de novas lesões e acentuar as já existentes. “As lesões provocadas pela doença, não raro, impactam significativamente na qualidade de vida e na autoestima. Por isso, na maioria dos casos, recomenda-se o acompanhamento psicológico, para prevenir o aparecimento de novas lesões e garantir efeitos positivos nos resultados do tratamento”, explica a Dra. Ivonise Follador, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

É uma doença genética e autoimune, mas nem todos os motivos que desencadeiam a autoimunidade já foram esclarecidos. Além disso, alterações ou traumas emocionais também podem estar entre os fatores que desencadeiam ou agravam a doença. O vitiligo não tem muitos sintomas físicos, e sim psíquicos. “Em alguns casos, os pacientes relatam sentir sensibilidade e coceira na área afetada.  Mas, a grande preocupação dos dermatologistas são os sintomas emocionais que os pacientes podem desenvolver em decorrência da doença. Eles precisam conversar com o médico e psicólogo para não deixar a dermatose virar o centro da sua vida, levar à baixa estima e retração social. A família tem papel fundamental na superação da doença, principalmente na infância”, comenta a dermatologista.

Segundo Dr. Caio Castro, outro médico dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), apesar da doença ainda não ter cura, existem resultados excelentes e satisfatórios no tratamento do vitiligo, que visam controlar a doença, cessando o aumento das lesões (estabilização do quadro) e repigmentando a pele. “O tratamento é individualizado e pode ser realizado a partir da fototerapia com radiação ultravioleta B banda estreita (UVB-nb), fototerapia com ultravioleta A (PUVA), tecnologias como o laser, bem como técnicas cirúrgicas de transplante de melanócitos. Também existem medicamentos em fase de pesquisas e/ou estudos que devem surgir em médio prazo”, conta o médico.

A SBD também alerta para cuidado com medicamentos ditos milagrosos, fórmulas ditas naturais e receitas dadas por leigos. “Esses procedimentos podem levar à frustração e a reações adversas graves” pondera o médico Caio Castro. O dermatologista é o profissional mais indicado para realizar o diagnóstico e tratamento da doença. Além disso, é válido lembrar que o vitiligo não é contagioso. Busque um médico associado à SBD: http://www.sbd.org.br/associados/

CLASSIFICAÇÃO FOGOS: IMPORTANTE CONHECER

No mês de junho, os acidentes com fogos de artifício aumentam consideravelmente, geralmente porque são manuseados de forma equivocada ou irresponsável.

Os acidentes mais comuns com os fogos são queimaduras e mutilações, havendo ainda riscos para audição e riscos de cegueira. Ainda há riscos para casas e florestas atingidas, com princípio de incêndio. Em caso de emergência, deve-se manter a calma e acionar imediatamente os bombeiros.

A produção, armazenamento e a comercialização de fogos exigem registro e fiscalização do Exército Brasileiro.

Fique atento a classificação dos fogos de artifício.

Apesar de poderem ser manuseados por crianças e adolescentes, o uso dos fogos dos tipos A e B precisa ser monitorado por adultos. A venda desses artefatos a menores de 18 anos, fora da classificação de risco A, é expressamente proibida segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90).

Também é essencial seguir as instruções dos fabricantes.

Ao comprar fogos de artifício, observe se os estabelecimentos comerciais que vendem esse tipo de mercadoria possuem licença de funcionamento da prefeitura.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina – CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão – SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde.

VITÓRIA SEDIA REUNIÃO DO CONSELHO DELIBERATIVO DA AMB

Nesta sexta-feira (15) a Associação Médica Brasileira (AMB) realiza Reunião do Conselho Deliberativo com suas Federadas e Sociedades de Especialidade em Vitória, discutindo importantes temas como o Exame Nacional Obrigatório de Proficiência em Medicina para os recém-formados, a moratória de novos cursos de medicina e o Revalida.

No encontro, José Bonamigo, segundo tesoureiro da AMB, apresentará um relatório de vistoria das cidades candidatadas a receberem novas faculdade de medicina.

A Reunião do Conselho Deliberativo da AMB é um espaço para a discussão dos principais assuntos na medicina atual. Pautas como o ENEM (Encontro Nacional das Entidades Médicas); o resultado da reunião realizadas na AMB com os médicos candidatos ao parlamento; Lei do Retorno em 60 dias/Lei Agressão ao Médico; controle de receituários versus autonomia do ato médico e WMA/Confemel (World Medical Association/ Confederação Médica Latino-Ibero-Americana e do Caribe) também estarão em debate.

COPA DO MUNDO SEM ACIDENTES COM FOGOS DE ARTIFÍCIO

Esporte não combina com fogos.

Estamos chegando a mais uma Copa do Mundo, momenta de festa e grandes comemorações, especialmente para os brasileiros.

A Copa do Mundo, bem como grandes eventos esportivos, costumam elevar o número de acidentes com fogos de artifício.

A prevenção é sempre a melhor opção. A recomendação é não fazer uso.

Crianças não devem jamais brincar com este tipo de artifício e, os adultos, se puderem evitar o uso é mais seguro. O recomendado é que somente pessoas treinadas utilizem os fogos de artificio.

As áreas de manuseio de fogos de artifício devem ser isoladas e é muito arriscado o uso em varandas de apartamentos e locais pequenos.

A combinação de bebidas e fogos é sempre perigosa e deve ser banida.

Os ferimentos mais comuns são no rosto e nas mãos, podendo causar queimaduras e mutilações, havendo ainda riscos para audição, riscos de cegueira e até a morte.

Atenção redobrada com as crianças, que nessa época costumam manusear fogos de artifício que não estouraram, mas podem machucar. Não há fogos seguros para crianças, nem mesmo os da classificação A.

Evite acidentes com fogos de artifício!

Faça o uso seguro e mantenham as crianças longe de fogos de artifício.

Essa é uma campanha conjunta do Conselho Federal de Medicina – CFM, da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão – SBCM e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, com o apoio do Ministério da Saúde e Associação Médica Brasileira.

SBACV INVESTE EM COMUNICAÇÃO E AÇÕES SOCIAIS

Sociedade realiza mudanças na identidade visual, cria novos canais e desenvolve ações para tornar a especialidade mais conhecida

No início da gestão, a SBACV apresentou o documento denominado Referencial Estratégico. Com base nesse material, efetuou mudanças na estrutura da comunicação. A revista impressa trimestral foi reestruturada e intitulada “SBACV em pauta”, com foco na Defesa Profissional. A assessoria de Imprensa foi direcionada à atuação específica de captação de mídia espontânea na imprensa e as redes sociais passaram a publicar posts com orientações de profissionais Vasculares de diferente partes do país.

“Estamos melhorando a interação entre o colega que está lá na ponta, atuando em seu consultório, e a nossa Sociedade, trazendo assuntos relevantes e também fornecendo ferramentas para a educação de seus pacientes sobre a relevância da nossa especialidade. Nossa principal missão é fazer com que o associado tome conhecimento de todo o trabalho que a Sociedade realiza. Para isso, estamos atuando com grande articulação com as demais diretorias e com a presidência”, afirma o Diretor de Publicações, Dr. Júlio Peclat.

A SBACV também conta com o SBACV on-line, newsletter com resumo e link das principais notícias da área; Jornal Vascular, tradicional publicação de artigos científicos; Canal de vídeos no YouTube; Facebook , Instagram, Twitter e o site.

Na área social, a entidade tem atuado cada vez mais em ações de esclarecimento à população. Nesses primeiros seis meses da gestão, participou das três edições do Bem Estar Global, ação do programa Bem Estar da TV Globo, em Salvador, Porto Velho e Goiânia. Em maio, lançou o Projeto Circulando Saúde, que já está levando atendimento e esclarecimentos sobre doenças vasculares e a importância do diagnóstico precoce à população. Todos, com envolvimento direto das Regionais.

A primeira ação social do projeto foi realizada no Hospital Universitário da UFMA – Unidade Presidente Dutra, em São Luís (MA). Pacientes que apresentavam fatores de risco e alguma alteração vascular na triagem foram submetidos a exame de Ecodoppler. Ao todo, a SBACV vai percorrer vinte 20 cidades brasileiras com o projeto, que tem apoio da FQM.

“O Circulando Saúde é uma ação social importante que, além do atendimento médico a quem mais precisa, também tem cunho educativo. Durante a avaliação do paciente, nossos associados entregam material informativo, com orientações sobre cuidados, alertas sobre a importância do diagnóstico precoce das principais doenças vasculares e riscos de tratamentos realizados por profissionais não médicos. Sem dúvida, colabora para disseminar o conhecimento a respeito da nossa especialidade”, ressalta o presidente da SBACV, Dr. Roberto Sacilotto

COM A MENSAGEM “ALBINISMO ALÉM DO QUE SE VÊ”, SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA PROMOVE CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A DOENÇA

 
Apenas uma, em cada 20 mil pessoas no mundo, apresenta alguma forma de albinismo, o que torna essa característica algo raro. Atenta a essa situação, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) promove, desde 2015, uma campanha de esclarecimento e conscientização da população brasileira sobre essa doença e alerta aos próprios albinos sobre os riscos que eles correm se não tiverem os cuidados adequados com a pele.
 
albinismo é a incapacidade/deficiência de um indivíduo em produzir melanina, que é um filtro solar natural e que dá cor à pele, pelos, cabelos e olhos. Como uma das principais funções da cor da pele é criar uma barreira contra as radiações solares, o albino não consegue se defender da exposição ao sol e a consequência imediata é a queimadura solar, principalmente na infância, quando o controle é mais difícil. Sem a prevenção, os portadores envelhecem precocemente e podem desenvolver doenças graves, como cânceres da pele agressivos e precoces. 
 
No dia 13 de junho é comemorado o Dia Mundial da Conscientização do Albinismo. A data foi decretada pela Organização das Nações Unidas (ONU) devido a uma série de casos de agressão, bullying, discriminação, e às necessidades especiais dessas pessoas. A proposta de ter um dia para doença é esclarecer a população sobre a doença, e os próprios albinos a tomarem os cuidados exigidos pela sua condição de saúde. A SBD, entre outras entidades, aproveita a data para propagar informações, no Brasil, através de campanha, sobre essa doença rara.
 
Conheça os sintomas, tratamentos, diagnósticos e cuidados do albinismo:
 
Sintomas
NA PELE: Esse é o principal diagnóstico para identificação do albinismo. Apesar disso, pode variar em diferentes tons, do branco ao marrom. Para algumas pessoas com albinismo, a pigmentação da pele não muda nunca. Para outras, no entanto, ela pode aumentar com o passar do tempo, principalmente durante a infância e à adolescência.
 
NO CABELO: A cor varia de tons muito brancos até o castanho – dependendo muito da quantidade de melanina produzida. Pessoas com albinismo e que tenham ascendência africana ou asiática podem apresentar cabelo louro, ruivo ou castanho. A cor do cabelo também pode escurecer com o passar dos anos, conforme aumenta a produção de melanina.
 
NOS OLHOS: A cor dos olhos de uma pessoa com albinismo pode variar do azul muito claro ao castanho e, assim como a cor da pele e do cabelo, também pode mudar conforme a idade. O albinismotambém costuma levar ao surgimento de sinais e sintomas diretamente relacionados à visão, como o movimento rápido e involuntário dos olhos, estrabismo, miopia, hipermetropia, fotofobia e outros.
 
Diagnóstico
Para análise completa é necessário exame físico, oftalmológico minucioso e comparação da pigmentação da pele e do cabelo com a de membros da mesma família. Em geral, é possível determinar um caso de albinismo apenas por meio da observação clínica, uma vez que a maioria dos casos da doença leva ao desenvolvimento de sintomas bastante característicos.
 
Tratamento
Para tratar do albinismo é necessário atendimento oftalmológico e dermatológico adequados. É imprescindível acompanhar os sinais na pele buscando detectar possíveis anormalidades e indícios do surgimento de lesões que possam levar ao câncer da pele – uma das principais complicações do albinismo.
 
Cuidados
Pacientes devem tomar uma série de medidas de autocuidado para evitar complicações decorrentes de albinismo. O uso de filtros solar é essencial para pessoas com albinismo. Além disso, é importante que os pacientes evitem ao máximo a exposição solar de alto risco, sem tomar os cuidados necessários. Se possível, o uso de roupas compridas, que cubram regiões normalmente expostas ao sol, também deve ser priorizado, além de óculos-escuros que contenham proteção contra os raios UVA e UVB.
 
É válido lembrar que o médico responsável por cuidar da pele de um paciente com albinismo é o dermatologista, profissional qualificado e capacitado para realizar o diagnóstico e tratamento dessa doença. Procure um médico associado à Sociedade Brasileira de Dermatologia: www.sbd.org.br.