VIII CONGRESSO DA COMUNIDADE MÉDICA DE LÍNGUA PORTUGUESA ACONTECE EM BRASÍLIA

Atualmente, 480 mil profissionais são membros da Comunidade Médica dos Países de Língua Portuguesa (CMLP), distribuídos em quatro continentes, sendo 420 mil brasileiros.

A capital federal, Brasília, recebe de 4 a 6 maio de 2017 o VIII Congresso da Comunidade Médica de Língua Portuguesa, evento gratuito, que tem como tema central do encontro: “Raízes, Realidades e Solidariedade”, com o objetivo de troca de experiências, conhecimentos, responsabilidades e estratégias comuns de cooperação, desenvolvimento e políticas na saúde lusófona, representadas por entidades médicas do Brasil, Portugal, Timor Leste, Macau, Moçambique, Angola e Guiné Bissau.

O evento que acontece no Centro Internacional de Convenções do Brasil, é promovido pela Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP) e conta com o apoio e organização da Associação Médica Brasileira (AMB) e do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Para o presidente da AMB, Florentino Cardoso, o VIII Congresso da CMLP, mostra que apesar das tentativas divisionistas, os médicos lusófonos continuarão unidos em prol do paciente. “Continuaremos a exercer o ético desempenho da medicina, buscando a qualidade no atendimento e a segurança do paciente”, enfatizou.

No primeiro dia do Congresso, o presidente da AMB, Florentino Cardoso participou como conferencista no tema RAÍZES, REALIDADES E SOLIDARIEDADE, tema central do encontro e presidiu a conferência BIOÉTICA DOS PAÍSES LUSÓFONOS.

Fazendo referência ao baixo financiamento do Estado brasileiro, Florentino Cardoso, chamou atenção para os problemas da saúde pública do país e destacou que em cinco anos foram desativados 24,5 mil leitos hospitalares ligados ao SUS. “O povo precisa pressionar e ficar atento para cobrar melhorias para o setor”.

Florentino Cardoso ainda destacou a importância sobre a qualificação das escolas médicas. “ No Brasil já são quase 300 escolas abertas que formam aproximadamente 22 mil médicos por ano. Em pouco tempo chegaremos a quase um milhão de profissionais no país. Não devemos pautar nosso horizonte com quantidade e sim com qualidade”.

Em sessão Solene será comemorado os 10 anos do Convênio CFM e Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, que disponibiliza doutorado em bioética para médicos brasileiros. O evento ainda contará com a cerimônia de entrega de Certificados aos alunos da 6ª turma do Programa Doutoral em Bioética

Para saber mais sobre a programação do VIII Congresso da Comunidade Médica de Língua Portuguesa, acesse: http://bit.ly/VIIICMLP

O evento está sendo transmitido ao vivo: http://bit.ly/cmlppaovivo
Foto: Assessoria do CFM

Resultados da PROVA para obtenção de certificação em área de atuação em Medicina Paliativa

Dia 30 de outubro, ocorreu a PROVA para obtenção de certificação em área de atuação em Medicina Paliativa, conforme previsto no edital. Segue lista de aprovados e gabarito.
EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ÁREA DE ATUAÇÃO EM MEDICINA PALIATIVA – 2015 GABARITO PROVA GERAL
1. C 31. A 2. B 32. A 3. A 33. A 4. D 34. D 5. A 35. C 6. D 36. B 7. A 37. B 8. B 38. B 9. B 39. A 10. C 40. A 11. A 41. D 12. A 42. D 13. B 43. C 14. C 44. C 15. D 45. A 16. C 46. C 17. A 47. A 18. C 48. C 19. B 49. B 20. B 50. C 21. D 51. D 22. D 52. B 23. C 53. D 24. C 54. B 25. A 55. A 26. D 56. A 27. A 57. C 28. B 58. A 29. C 59. B 30. B 60. D
EXAME DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ÁREA DE ATUAÇÃO EM MEDICINA PALIATIVA – 2015 GABARITO PEDIATRIA
1. C 31. A 2. A 32. B 3. C 33. C 4. C 34. C 5. D 35. C 6. D 36. B 7. B 37. A 8. A 38. C 9. D 39. C 10. C 40. D 11. A 41. B 12. A 42. D 13. B 43. A 14. A 44. D 15. D 45. D 16. A 46. A 17. B 47. C 18. D 48. C 19. A 49. C 20. C 50. A 21. D 51. A 22. C 52. C 23. A 53. B 24. A 54. A 25. C 55. D 26. B 56. B 27. C 57. A 28. B 58. A 29. D 59. D 30. B 60. C
APROVADOS NO EXAMES DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DO CERTIFICADO DE ÁREA DE ATUAÇÃO EM MEDICINA PALIATIVA – 30/10/15
Adhemar Dias de Figueiredo Neto
Alexsandra Maria Siqueira Campos de Carvalho
Ana Lucia Frota Vasconcelos
Anelise Carvalho Pulschen
Carlota Vitória Blassioli Moraes
Cristiana Guimarães Paes Savoi
Danielle Soler Lopes
Fabiano Moraes Pereira
Julieta Carriconde Fripp
Laiane Moraes Dias
Lizana Arend Henrique
Luciana Louzada Farias
Manuela Vasconcelos de Castro Sales
Maria Perez Soares D’Alessandro
Mariana Bohns Michalowski
Milena dos Reis Bezerra de Souza
Neulânio Francisco de Oliveira
Rita Zambonato
Sara Krasilcic
Thais de Deus Vieira Boaventura
Tiago Pugliese Branco
Washington Aspilicueta Pinto Filho

 

Sociedades que representam os cardiologistas protestam contra a violência que, em 5 meses, roubou a vida de dois de seus pares

manifesto     

   O covarde assassinato do cardiologista Jorge de Paula Guimarães, na avenida Brasil, no Rio de Janeiro, levou a Sociedade Brasileira de Cardiologia e a Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro a protestarem às autoridades. As entidades lembraram que a Segurança está contemplada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, definida pela ONU e da qual o Brasil é signatário, e que o Estado está faltando com seu dever de garantir a segurança dos seus cidadãos.

         Falando em nome de 14.000 cardiologistas brasileiros, o diretor administrativo da SBC, Emilio Cesar Zilli, lembrou que o artigo 3º da Carta da ONU declara que ‘todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal’. O Brasil não está garantindo esses direitos.

         “O Rio de Janeiro não garante o direito à segurança, à medida que a tragédia que enluta os cardiologistas se repete com cinco meses de intervalo”, afirma o médico. Ele se refere ao assassinato do também cardiologista Jaime Gold, morto em maio, na Lagoa, quando foi esfaqueado por bandidos que queriam roubar sua bicicleta, tragédia à qual se soma agora um segundo assassinato de profissional da mesma área.

         O médico agora assassinado, Jorge de Paula Guimarães, pretendia deixar o Rio de Janeiro, pois ainda recentemente teve seu carro roubado em Niterói, o que o levou a buscar emprego fora do Estado. Mas foi alcançado por outros criminosos, antes que conseguisse se mudar com a mulher e os filhos, um dos quais também é médico.

         Para as entidades que representam os médicos, que se dedicam a salvar vidas humanas, as autoridades policiais tem missão similar, de evitar mortes, por isso o Estado falha quando permite que o preço pago por um médico por fazer ciclismo numa área especialmente destinada a essa prática, seja a própria vida.

O Estado falhou lamentavelmente mais uma vez, quando o preço pago por outro cardiologista por aceitar um plantão matinal – para salvar vidas – no Hospital Rocha Faria, foi igualmente a perda da própria vida.

         Para a SBC e a Socerj, a perda dos dois cardiologistas é mais significativa ainda, quando se sabe que escolheram a especialidade por saberem que as doenças cardiovasculares lideram o número de mortes no Brasil, causando 350 mil óbitos por ano.

O prejuízo das duas mortes afeta toda a sociedade brasileira, pois o Brasil investe pesadamente durante pelo menos nove anos para formar um cardiologista, seis anos de Faculdade e mais três de especialização. Pela incapacidade do Estado de prover a segurança, esse profissional com capacitação tão alta como a dos especialistas do primeiro mundo, é morto para que seja roubado o seu automóvel ou uma simples bicicleta.

         Emílio Zilli reitera a difícil e demorada formação do profissional da Cardiologia, lembrando que Jorge de Paula Guimarães cursou a Universidade Gama Filho por seis anos, especializou-se em Cardiologia pela Universidade Federal Fluminense e prestou serviços tão relevantes à sociedade. Ele recebeu o título de ‘Benemérito do Estado do Rio de Janeiro’. O diretor administrativo da SBC, em nome de todos os cardiologistas brasileiros, compartilha o pesar da família enlutada basicamente porque o Estado não garante a segurança de seus cidadãos.

Nota Oficial da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

 Science research

A reportagem “Certificado Digital facilita os Laudos Laboratoriais”, publicada no site da empresa Certisign, em 08/10/2015, cita a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial – SBPC/ML com a intenção de “avalizar” a certificação digital na forma que ela é estabelecida pela RDC ANVISA 30/2015, e pretende utilizar este “aval” em benefício da própria empresa Certisign.

A referida reportagem utiliza declarações de membros e ex-membros da diretoria da SBPC/ML que foram retiradas do contexto e, ainda por cima, estão desatualizadas, pois estas foram publicadas em setembro de 2012, quando o cenário existente no país sobre este assunto era completamente diferente. Ademais, essas declarações referiam-se a um serviço prestado, naquela ocasião, por outra empresa, então parceira da SBPC/ML, que não era a Certisign.

Em nenhum momento a SBPC/ML foi procurada pela Certisign ou por qualquer pessoa e/ou jornalista que tenha se apresentado em seu nome para opinar sobre RDC 30/2015. A SBPC/ML repudia esse tipo de manipulação de informações, e destaca que elas atentam contra a ética jornalística.

A SBPC/ML reconhece a importância da necessidade de autenticação dos laudos laboratoriais por modelos de certificação digital e ressalta que os principais Sistemas de Informação Laboratorial (LIS) disponíveis são ferramentas seguras para esta prática.

Em relação às questões apontadas na RDC ANVISA 30/2015, a SBPC/ML posiciona-se com preocupação, uma vez que é uníssono o entendimento acerca da impossibilidade de atendimento das novas regras exigidas no curto prazo estipulado. Esta posição da SBPC/ML tem sido amplamente divulgada em seus veículos de comunicação e em outros veículos de imprensa, bem como apresentada em público e em reuniões realizadas com representantes de outras instituições do setor de diagnóstico laboratorial e da própria ANVISA.

I CONGRESSO REGIONAL DO CENTRO-OESTE DA ABMLPM-DF

VETTA

1° Congresso Regional do Centro Oeste da ABMLPM-DF é um evento científico idealizado pela Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas Regional DF- ABMLPM-DF com o apoio da Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas Nacional – ABMLPM, a ser realizado no período de 26 a 28 de novembro de 2015, na Associação Médica de Brasília, localizada no SCES trecho 3 Cj 6 – Brasília/DF.

A realização deste congresso justifica-se a partir do novo paradigma e desafio para a Medicina Pericial dos dias atuais: a sua consolidação como uma especialidade médica.
Dentro desta perspectiva, inova-se uma proposta de integralidade do foco da atividade médico pericial, com o fortalecimento dos protocolos e da visão do perito como especialista. Este congresso gerará mais que uma carta de intenção: uma ação presente na agenda positiva do Distrito Federal e, sobretudo, nas discussões entre Médicos Peritos que estarão reunidos neste Congresso entender  os desafios futuros.

I Simpósio Internacional de Gestão de ​​Projetos, Processos e Inovação na área d​a Saúde​​​​​​​​

​​​​​​​​São Paulo – Morumbi 12 e 13 de novembro de 2015

LOCAL: Auditório Moise Safra CESAS
DATA DO EVENTO12 e 13 de novembro de 2015
INSCRIÇÕES Consulte os pacotes

Sobre o evento

Este é o primeiro evento que aborda, conjuntamente, a gestão de projetos, processos e inovação como ferramentas de apoio à gestão no âmbito da saúde no Brasil. Em um contexto de competitividade, exigente e com recursos cada vez mais limitados, a implementação de programas estruturados para a gestão de projetos, para a melhoria dos processos e inovação passa de ser uma oportunidade a ser uma necessidade para as diferentes instituições que fazem parte do sistema de saúde no país. A busca constante da qualidade e de melhores resultados (custo-efetividade) para os atores envolvidos é uma discussão atual que merece a atenção e a participação de todos. Além de palestras e cases para apresentação de exemplos de boas práticas, serão oferecidos durante o evento cursos de introdução e atualização nos temas relacionados (melhoria de processos, gerenciamento de projetos e inovação). O evento contará também com pitchs de startups inovadoras na área da Saúde.

Público-alvo

Profissionais da área de Melhoria de Processos, Qualidade, Gerenciamento de Projetos, Inovação e gestores de instituições de saúde.

Inscrições

Inscrições até 09 de novembro de 2015.


Pontuação

  • Programa de Educação Continuada do Hospital Israelita Albert Einstein
  • Programa de Educação Médica Continuada do Hospital Israelita Albert Einstein

Programa de Boas Práticas Clínicas em Cardiologia foi lançado em São Paulo com participação da American Heart Association  

         Com a presença dos investigadores das seis Universidades que participarão do programa, foi realizado no auditório do Hospital do Coração, de São Paulo, o lançamento do programa ‘Boas Práticas Clínicas em Cardiologia’. O programa envolve a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a American Heart Association, o PROADI-SUS, do Ministério da Saúde e o Hospital do Coração.

         O objetivo da primeira fase do programa, que vai funcionar como projeto-piloto, é avaliar e posteriormente incrementar as taxas de adesão às diretrizes assistenciais da SBC nas áreas de insuficiência cardíaca, fibrilação atrial e síndrome coronariana aguda. As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil, em torno de 350 mil óbitos anuais, explica o presidente da entidade, Angelo de Paola.

Ele acrescenta que o projeto se baseia no GWTG norte-americano, abreviatura de Get With The Guidelines, devidamente adaptado para as condições brasileiras. O programa demandou um ano de trabalho, para a adaptação, a busca de financiamento e para conseguir o envolvimento do gestor público, o Ministério da Saúde. A fundamentação do trabalho é a subutilização dos recursos efetivos no atendimento aos pacientes, estimado entre 30% e 40% dos pacientes, enquanto 20% dos cuidados prestados são desnecessários e eventualmente até prejudiciais.

Se for possível fazer com que os hospitais que atendem a pacientes com cardiopatias sigam corretamente as orientações das Diretrizes da SBC, o número de óbitos por eventos cardíacos será sensivelmente reduzido, acreditam os médicos brasileiros e norte-americanos envolvidos no projeto. Para isso os investigadores avaliarão a situação antes e depois da implementação do programa em hospitais pré-selecionados do SUS.

Universidades participantes

 

Na primeira fase do projeto, agora iniciada, participam seis centros de pesquisa de grandes hospitais brasileiros, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, na reunião representada pela equipe de Denilson Albuquerque, o Hospital do Coração de Messejana, de Fortaleza, tendo à frente da equipe João Davide, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, com Luis Rohde, o PROCAPE – Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco, cuja equipe no projeto fica subordinada a Sérgio Montenegro, a Universidade Federal de Minas Gerais, pela qual responde no projeto Antonio Pinho e a Escola Paulista de Medicina, representada pelo presidente da SBC e professor da Unifesp, Angelo de Paola.

         O projeto vai enfocar a adesão às diretrizes assistenciais em três áreas, Insuficiência Cardíaca, Fibrilação Atrial e Síndrome Coronariana Aguda. A expectativa é que o melhore a taxa de adesão dos hospitais às Diretrizes da SBC em pelo menos 10%. Angelo de Paola lembra que o sucesso do projeto ora iniciado permitirá sua ampliação para outros Estados e áreas do País, com o que os benefícios esperados poderão atingir a uma população muito maior que a agora envolvida.

Sociedade Brasileira de Pediatria e Datagenno unidas para a melhor atualização profissional

Parceria exclusiva da SBP com Datagenno leva ao 37º Congresso Brasileiro de Pediatria pacote com duas plataformas médicas online e prontuário eletrônico 

 Ao visitar o estande da Sociedade Brasileira de Pediatria no 37º Congresso Brasileiro da especialidade, de 12 a 16 de outubro, no Riocentro, Rio de Janeiro, os pediatras terão a oportunidade de conhecer e assinar a plataforma interativa com conteúdos de genética Scientific Pediatric Databaseque inclui agora, com exclusividade, a plataforma ClinicalKey e seu amplo conteúdo científico de pediatria. O novo pacote de dados auxilia a pesquisa clínica, o desenvolvimento científico, o relacionamento entre médicos e, também, o gerenciamento de pacientes por meio de um Prontuário Eletrônico com multiacesso.  

Para o Presidente da SBP, Dr. Eduardo Vaz, esse é mais um benefício que a Sociedade oferece ao pediatra brasileiro para ter fácil acesso a livros,  periódicos e outras informações científicas online, constantemente atualizados. “Esperamos que a parceria frutifique e que, com mais conhecimento científico de qualidade, os pediatras aumentem sua participação no cenário internacional da ciência”, afirma.

Na opinião de Marcelo Coutinho, sócio-fundador da Datagenno, a parceria é “bastante coerente” com o mundo atual. “Os pediatras podem acessar uma biblioteca completa (ClinicalKey), de qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo móvel, e se aprofundar com opiniões diversas e atualizadas sobre temas do seu interesse. “Incluímos no Scientific Pediatric Database um eficiente prontuário eletrônico, também com multiacesso. É um grande diferencial para a prática clínica na pediatria”, destaca.

Cuidado mais qualificado e seguro

Plataforma médica online desenvolvida pela Elsevier, ClinicalKey pode ser acessada a partir do computador do consultório, tablet ou smartphone.Oferece 28 renomados títulos de livros de pediatria disponíveis para download, 15 de neonatologia e 10 de genética médica, entre eles Goldman-Cecil, Nelson Textbook, Netter´s Pediatrics, Fanaroff and Martin’s Neonatal-Perinatal Medicine e Thompson & Thompson, além de 13 periódicos internacionais atualizados diariamente, 519 consultas sobre procedimentos, 4500 guidelines, Medline indexada, vídeos e imagens e 2.958 monografias de drogas. A ferramenta pensa e trabalha como os médicos fazem, tornando mais fácil encontrar e aplicar o conhecimento relevante. As respostas são concisas e rápidas e o acesso aprofundado às evidências científicas melhoram a qualidade do cuidado.

Dr. Dennis Burns, Diretor Científico da Sociedade Brasileira de Pediatria e usuário da plataforma, declara: “Temos toda a literatura médica sobre pediatria disponível e ainda podemos trocar informações com os colegas, com os diversos aplicativos que a ferramenta tem”.

Segundo Dr. Ercio Amaro Filho, Diretor de Cursos, Eventos e Promoções da SBP,  “o acesso à informação mais recente e sempre atualizadatambém deixa o pediatra mais seguro com o diagnóstico e o tratamento, o que reflete na confiança e segurança do paciente”.

A assinatura das plataformas Scientific Pediatric Database e Clinicalkey é feita pelo www.datagenno.com/plans.

SERVIÇO
Lançamento Scientific Pediatric Database com Clinical Key
Data: de 12 a 16 de outubro
Local: Riocentro – Av. Salvador Allende 6.555, estande da Sociedade Brasileira de Pediatria – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Assessoria de Imprensa

Dedicata Comunicação: (21) 3852-7922 / (21) 98121-2474
Jaciara Rodrigues – jaci.rodrigues@dedicatacomunicacao.com.br

 SOBRE A SBP:
A Sociedade Brasileira de Pediatria é uma instituição que defende os interesses dos médicos de crianças e adolescentes, de seus pacientes e famílias. Centenária, vem crescendo em tamanho, atuação e importância social.  Reúne atualmente cerca de 22 mil associados e é considerada a maior sociedade médica de especialidade do Brasil e a segunda maior entidade pediátrica do mundo.


SOBRE A DATAGENNO INTERACTIVE RESEARCH:

A Datagenno é uma empresa que tem a missão de facilitar a troca de informações sobre doenças genéticas raras entre especialistas, de modo a ajudar no diagnóstico diferencial por meio de um database com aproximadamente 10 mil sinais, sintomas e mutações identificadas, capaz de analisar e propor soluções na qual tenha como alvo a raiz do problema, diferentemente de tratar somente sintomas.

SOBRE A ELSEVIER:
Líder mundial em publicações de Saúde, Ciência e Tecnologia, a Elsevier responde por 25% de todo o conteúdo científico publicado no mundo e atende a uma comunidade demais de 30 milhões de cientistas, estudantes e profissionais de informação e saúde. A editora publica ainda mais de 2.000 periódicos e cerca de 20.000 livros e enciclopédias de selos como Mosby, Saunders e Churchill Livingstone.