OUTUBRO ROSA DA SBM FAZ ALERTA SOBRE ACESSO A DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), filiada à Associação Médica Brasileira (AMB), lançou a campanha “+ Acesso + Respeito”, que alerta para a necessidade de ampliação do acesso das mulheres ao diagnóstico precoce e tratamento do câncer de mama.

Antônio Frasson, presidente da SBM, destaca que o Outubro Rosa permite que informações médicas mais adequadas cheguem à população. “Tentamos quebrar os mitos com relação à doença e ao tratamento. Cerca de 60% dos casos de câncer de mama chegam aos consultórios em estágio avançado, principalmente nas pacientes atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e isso deve-se às dificuldades para agendar consultas e mamografias, além da demora para receber o diagnóstico e iniciar o tratamento”, avalia.

A AMB abraça a causa e ressalta a importância de oferecer à população informação, mas também um acesso ágil a um atendimento eficiente e de qualidade. “Há uma lei (nº 11.664/2008) que determina que toda mulher, a partir dos 40 anos, tem direito à mamografia sem necessidade de consulta médica. Para solicitar o exame, bastaria ir a uma unidade de saúde e conseguir o encaminhamento. Porém, não existe disponibilidade de aparelhos suficiente para fazer todos os exames de forma adequada. É preciso que a paciente também tenha fácil acesso a médicos para, em caso de necessidade, dar andamento ao tratamento com celeridade”, afirma Lincoln Ferreira, presidente da AMB.

Um levantamento realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Mastologia e por pesquisadores da SBM indica que apenas 22% das mulheres na faixa etária entre 50 a 69 anos conseguiram fazer a mamografia em 2018. A dificuldade de acesso ao exame impede o aumento do diagnóstico precoce, que ampliam as chances de cura em até 95%.

A Sociedade Brasileira de Mastologia reforça que a mamografia deve ser feita anualmente, a partir dos 40 anos, mesmo sem a ocorrência de sintomas. E reitera a importância do autoexame e da adoção de hábitos saudáveis.

AMB É CENSURADA

Três publicações da AMB que denunciavam irregularidades nos processos de revalidação de diplomas por faculdades privadas foram retiradas do site e das redes sociais da entidade por determinação do Tribunal de Justiça de Rondônia. A liminar foi requerida pelo Centro de Ensino São Lucas Ltda e pela reitora da faculdade, Maria Eliza de Aguiar e Silva, suplente do senador Confúcio Moura, relator da Medida Provisória 890/2019, que acolheu emendas que liberam universidades privadas para atuar no processo de revalidação de diplomas de medicina de escolas estrangeiras.

“Isso é uma verdadeira censura. Inexplicável e indefensável. Querem calar a AMB e abafar as denúncias que a entidade tem feito. Vamos recorrer para garantir o direito dos médicos e da população brasileira de terem acesso a informações públicas sobre temas que são de seu interesse. Represálias como estas não irão nos intimidar e servem apenas para reafirmar que estamos no caminho certo. Obedecemos a decisão judicial e retiramos os conteúdos dos nossos canais de comunicação, mas iremos recorrer onde for possível para fazer valer nosso direito constitucional à liberdade de expressão”, afirmou Diogo Sampaio, vice-presidente da AMB e responsável pela área de comunicação da entidade.

Como o Supremo Tribunal Federal já decidiu, “a Democracia não existirá e a livre participação política não florescerá onde a liberdade de expressão for ceifada, pois esta constitui condição essencial ao pluralismo de ideias, que por sua vez é um valor estruturante para o salutar funcionamento do sistema democrático” (ADI 4.451, rel. min. Alexandre de Moraes, j. 21-6-2018, P, DJE de 6-3-2019).

No pedido feito à Justiça, as autoras sugerem que nada irá mudar na legislação quanto a quem pode ou não atuar nos processos de revalidação. Isso não é verdade, tanto que as emendas acolhidas pelo relator e senador Confúcio Moura apontam a necessidade de mudança na legislação para que as universidades particulares possam participar do processo de revalidação de diplomas. Hoje a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) deixa claramente expresso que a revalidação de diplomas deve ser feita por universidades públicas. O que é extremamente pertinente, pois trata-se de um procedimento de fé pública e, que, portanto, precisa ser exclusivamente de responsabilidade de agentes públicos.

A íntegra da petição e da própria liminar concedida no Processo n. 7041851-44.2019.8.22.0001 são públicas e estão disponíveis no site do Tribunal de Justiça de Rondônia (https://pjepg.tjro.jus.br/login.seam). Também podem ser baixadas do site da AMB .

PETIÇÃO INICIAL – RONDÔNIA

LIMINAR – Rondônia

AMB CRIA COMISSÃO PARA ANALISAR PROBLEMAS CAUSADOS POR ANABOLIZANTES

 

O uso de esteroides anabolizantes e similares (EAS), utilizados por alguns atletas de elite que visam aprimorar o condicionamento físico e por jovens que desejam melhorar a aparência, é um problema que precisa ser enfrentado pela comunidade médica. Por isso, a Associação Médica Brasileira (AMB), em parceria com Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), criou uma comissão para analisar o assunto.

O tema foi abordado durante a reunião do Conselho Científico da AMB, realizada na última terça-feira (8). De acordo com Clayton Macedo, endocrinologista e representante da SBEM, a comissão vai servir de apoio ao estudo e discussão sobre o uso de esteroides e anabolizantes. “O tema é gravíssimo e é pouco abordado como um problema de saúde pública. A ideia é que cada especialidade médica nomeie um representante e que essa comissão comece a trabalhar cientifica e politicamente a questão”.

O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, reforça a importância da participação das sociedades de especialidade: “Como o uso de anabolizantes é um problema que traz impactos negativos para todo o corpo, muitas especialidades podem contribuir com a discussão, entre elas a psiquiatria, cardiologia, endocrinologia, nefrologia, ortopedia, medicina do esporte, pediatria e gastroenterologia”.

Um dos primeiros trabalhos da comissão será a organização de fórum, previsto para ser realizado em 2020, para debater soluções médicas e políticas para o tema. “A ideia é unir forças para combater essa epidemia”, finaliza Clayton Macedo.

#BombaTôFora

Para alertar as pessoas sobre esse grave problema, a SBEM criou o projeto “Bomba Tô Fora”, que tem como base um plano educacional de prevenção ao uso de esteroides anabolizantes e similares.

O programa fornece ferramentas de informação sobre os malefícios da utilização dessas drogas. O programa pode ser acessado no site https://www.bombatofora.com.br.  A campanha tem o apoio da AMB.

CONGRESSO REÚNE PSIQUIATRAS DE VÁRIAS PARTES DO MUNDO NO RJ

Até 12 de outubro, o Rio de Janeiro será sede do mais tradicional evento sobre saúde mental da América Latina: o XXXVII Congresso Brasileiro de Psiquiatria (CBP), promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O tema central desta edição é “A Psiquiatria no Mundo Digital”. Aproximadamente seis mil congressistas, entre especialistas, profissionais da saúde e estudantes, vindos de diversos locais do mundo, vão participar de mais de 300 horas de atividades científicas, divididas em quatro dias de congresso.

Na programação haverá conferências, palestras debates, fóruns, mesas redondas, simpósios nacionais e internacionais, que apresentarão os estudos mais atuais relacionados a especialidade. O presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Lincoln Ferreira, que esteve presente na solenidade de abertura do evento, abordou a evolução da psiquiatria nas últimas décadas.

“O Congresso Brasileiro de Psiquiatria, não só por meio do conteúdo científico, mas também na troca com colegas profissionais, contribui estrategicamente para que a especialidade cresça em excelência em áreas como diagnóstico e tratamento. É um evento realmente muito produtivo para a especialidade”, enfatizou.

A diretora da AMB e presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Carmita Abdo, vai participar de diversos debates sobre temas atuais e relevantes para a saúde, de forma interdisciplinar. Entre os assuntos estão “Como eu trato a mudança de sexo”, “Impacto da doença do médico sobre o paciente das impressões às evidências”, “Do cuidado ao assédio ou pior: essa doença pode matar”, “Das perversões sexuais à despatologização das parafilias” e “Parafilias e Transtornos Parafílicos”.

O XXXVII CBP contará com a presença de 44 palestrantes, que abordarão assuntos como: assistência ao paciente, dependências, diagnóstico e classificação, emergência, epidemiologia, ética na psiquiatria, ensino e estudos sobre a saúde mental, infância e adolescência, intervenções psicossociais, medicina do sono e do trabalho, neurociências, neuroimagem, política de saúde, doenças e transtornos psiquiátricos, entre outros.

ATRAÇÕES CULTURAIS

Está sendo realizada durante o congresso a 7ª Exposição Fotográfica do CBP. Os associados da ABP e familiares estão concorrendo a prêmios pela melhor e mais criativa fotografia. O concurso tem como objetivo promover a cultura fotográfica na comunidade médica. Os curadores da exposição farão a apuração da votação para definir as fotos mais votadas.

A Associação Brasileira de Psiquiatria também realizará o 6º Concurso de Poesias. A iniciativa visa difundir a cultura textual na comunidade médica e agregar psiquiatras e seus familiares durante o CBP.

O Cine Psiquiatria também é uma grande atração do congresso. Neste ano, será exibida o filme Beleza Americana, que tem a direção de Sam Mendes. A obra recebeu o Oscar nas categorias Melhor Filme e Melhor Ator.

1º CONCURSO ABP DE TESES

A novidade do XXXVII CBP será a realização do 1º Concurso ABP de Teses, que vai premiar trabalhos de relevância e contribuição significativa para o debate das questões da Saúde Mental. As teses foram elaboradas por pesquisadores de mestrado e doutorado de todas as áreas de conhecimento. A proposta do concurso é estimular a pesquisa, buscando ampliar e disseminar o conhecimento científico na área da psiquiatria. A cerimônia de premiação ocorrerá no estande da ABP, no XXXVII CBP, no dia 12 de outubro.

USO DE CIGARROS ELETRÔNICOS, DROGAS E ANABOLIZANTES EM PAUTA NO CONSELHO CIENTÍFICO 

Os males do cigarro eletrônico para a saúde, drogas ilícitas e os riscos dos anabolizantes para o sistema cardiovascular foram os temas da reunião do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB), realizada nesta terça-feira (8). Os assuntos representam um grande desafio para a comunidade médica. Lincoln Ferreira, presidente da AMB, participou da abertura do encontro, que foi conduzido pelo diretor Científico da entidade, Antonio Carlos Chagas.

Cigarro Eletrônico: Malefícios para a Saúde 

O tema foi apresentado pela diretora do Programa Ambulatorial de Tratamento ao Tabagismo da Universidade de São Paulo (USP) e cardiologista do Instituto do Coração (INCOR), Jaqueline Scholz.

“Cigarro eletrônico nada mais é que uma nova versão do cigarro antigo com a tecnologia incorporada, mas com a intenção de vender a mesma coisa”, declarou. Durante a apresentação, mostrou os variados tipos de malefícios que o consumo do cigarro provoca nas pessoas.

A cardiologista alertou para o número crescente de jovens que estão consumindo o “Juul”. Nos EUA, casos de pneumonia grave estão sendo associados a utilização do produto. E completou: “não existe prevenção de danos o uso de cigarro eletrônico, prevenção é não utilizar o produto”.

Drogas Ilícitas 

O Conselho Científico também abriu espaço para a discussão sobre um problema que afeta, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 3,5 milhões de pessoas no Brasil: o consumo de drogas. O assunto foi debatido pelo diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, Fernando Costa.

Ele chamou a atenção para o fato de que parte desses usuários tem grandes chances de desenvolver doenças graves, como o infarto do miocárdio, associadas ao uso de drogas. Na avaliação dele, “o consumo de drogas ilícitas tem tido um aumento significativo e o prazer que essas drogas trazem não vem associado com as consequências trágicas que elas podem causar”, afirmou.

Anabolizantes: Risco para o sistema Cardiovascular 

As consequências do uso de anabolizantes foram apresentadas pela cardiologista do INCOR, Janieire Alves. Segundo a médica, alterações na frequência cardíaca, na pressão arterial e na atividade cerebral são alguns dos efeitos da utilização de anabolizantes.  “O uso de doses dessas substâncias podem precipitar tanto doenças isquêmicas e cardíacas, quanto doenças que alteram a estrutura do miocárdio”, afirma Janieire.

Após a apresentação das pautas, a reunião do Conselho Científico abriu espaço para a participação dos presentes no debate, por meio de perguntas aos palestrantes. Stella Martins, membro da Comissão de Combate ao Tabagismo da AMB, foi a mediadora do debate.

E-CIGARRO: ANVISA EMITE ALERTA A MÉDICOS

A Gerência Geral de Produtos de Tabaco (GGTAB) da Anvisa emitiu um alerta solicitando que médicos e instituições de saúde do Brasil enviem à agência relatos de casos de pacientes relacionados ao uso de cigarros eletrônicos.

Para a Anvisa, esta ação deve reduzir os riscos de que aconteça no País o mesmo problema enfrentado pelos Estados Unidos, onde pelo menos 18 pessoas morreram por doenças pulmonares severas relacionados ao cigarro eletrônico.

Os casos suspeitos e o detalhamento dos tratamentos utilizados devem ser notificados por meio de um formulário eletrônico disponibilizado pela Ouvidoria da Anvisa.

Acesse: http://portal.anvisa.gov.br/ouvidoria-atende

Não se deixe enganar, e-cigarro mata!

Confira aqui o documento completo emitido pela ANVISA.

SECRETÁRIO-GERAL DA AMB É CONDECORADO PELO HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS

O jantar comemorativo do Dia dos Médicos do Hospital Sírio-Libanês, realizado no último dia 4, homenageou o secretário-geral da Associação Médica Brasileira (AMB), Antonio Jorge Salomão, pelos 52 anos de dedicação à medicina e aos pacientes.

A honraria é, também, uma maneira de reconhecer a atuação de Salomão dentro da instituição, da qual é integrante do corpo clínico desde 1990, pelas contribuições a consolidação do hospital como centro de referência em saúde no Brasil.

“Fico lisonjeado pela homenagem. O Sírio-Libanês é uma instituição importante, com trabalhos notáveis nas áreas de tecnologia, inovação, responsabilidade social, ensino, pesquisa e conhecimento médico disseminado em seus programas de formação. Um trabalho de pioneirismo e excelência, do qual me orgulho de fazer parte”, afirmou o secretário-geral da AMB.

Salomão é graduado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e tem pós-doutorado na Universidade de São Paulo (USP). É especialista em Ginecologia e Obstetrícia e foi professor da USP durante 40 anos.

Esse é sexto ano que o Sírio-Libanês realiza a cerimônia como forma de reconhecimento aos profissionais que fazem parte da história da entidade. Este ano, a solenidade foi apresentada pelo diretor do serviço de pronto atendimento, Fernando Ganem, e pelo diretor geral do hospital, Paulo Chapchap.

ANAMT EMPOSSA NOVA DIRETORIA PARA O QUADRIÊNIO 2019/2022

 

União de forças: esta é a expressão que marcou a solenidade de posse da nova diretoria da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), realizada no último dia 4 de outubro, na sede da Associação Médica Brasileira (AMB). A nova presidente é Rosylane Nascimento das Mercês Rocha, responsável por conduzir as demandas da entidade até 2022. Na ocasião, também foram apresentados os novos conselheiros fiscais, escolhidos por meio de votação pelos médicos.

O presidente eleito da World Medical Association (WMA) e diretor da AMB, Miguel Jorge, representou a entidade na cerimônia de posse. No discurso, ele reforçou que a AMB está à disposição para trabalhar ao lado da nova diretoria da ANAMT e auxiliar nos desafios futuros.

A nova presidente da ANAMT destacou a importância da união e esforço coletivo para a conquista dos objetivos propostos para o quadriênio 2019/2022. “Nosso trabalho será focado numa gestão progressista e transparente, em prol da valorização da especialidade e da atuação junto aos médicos do trabalho, que veem a ANANT como uma referência para a prática médica”, enfatizou Rosylane.

Conheça a composição completa da nova diretoria e conselho fiscal da ANAMT:

Presidente: Rosylane Nascimento das Mercês Rocha

Vice-presidente Nacional: Rosani Carvalho de Araujo

Vice-presidente Regional Sul: Ricardo Moreira Martins

Vice-presidente Regional Sudeste: Simone Veiga Carvalho Assalie

Vice-presidente Regional Centro-Oeste: Amaury do Lago Prieto

Vice-presidente Regional Nordeste: Pascoal Gomes da Costa Neto

Vice-presidente Regional Norte: Hamilton Ferreira Teixeira

Diretora Administrativa: Gabriella de Oliveira Ribeiro

Diretora Administrativa Adjunta: Gilvana de Jesus do Vale Campos

Diretora Financeira: Joyce Pessoa Ferro

Diretora Financeira Adjunta: Angélle Aragonez Essado Jácomo

Diretor Científico: Francisco Cortes Fernandes

Diretor de Legislação: Josierton Cruz Bezerra

Diretora de Ética e Defesa Profissional: Walneia Cristina de Almeida Moreira

Diretor de Relações Internacionais: Ricardo Antonio Turenko Beça

Diretor de Divulgação: Luis Fernando Gagliardi

Diretor de Título de Especialista: Vinicio Cavalcante Moreira

Diretor de Patrimônio: Alvaro Frigério Paulo

Conselho Fiscal 2019/2022

Titulares:

Paulo Roberto Zetola

Charles Carone Amoury

Valéria de Lima Reis Lobo

Suplentes:

Alfredo Nunes Bandeira Neto

Mara Edwirges Rocha Gândara

Antonio Carlos Gavazza

HABILITAÇÃO EM ULTRASSONOGRAFIA PARA BLOQUEIOS ANESTÉSICOS É APROVADA PELA AMB

 

A AMB votou nesta terça-feira (8) a criação da primeira habilitação aprovada dentro das novas regras, que digitalizam a obtenção de certificados e tornaram o processo mais simples e rápido.

A Comissão de Ensino Médico e Pós-Graduação da entidade aprovou a criação da habilitação em ultrassonografia para bloqueios anestésicos, solicitada pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA).

A reunião foi presidida pela diretora Acadêmica da AMB e membro da comissão, Maria José Maldonado. Também participaram do encontro Antonio Carlos Chagas, diretor científico da AMB, e José Roberto Baratella, membro da comissão.

Eles também discutiram detalhes sobre o evento de Saúde Digital que a AMB organiza e sobre a parceria recém formalizada entre a AMB e a Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) para nacionalizar a prova da entidade.

Certificação aprovada

A habilitação vai certificar o médico anestesista em quatro áreas: acessos vasculares guiados por ultrassonografia; bloqueio de nervos periféricos e neuroeixo guiados por ultrassonografia; avaliação de resíduo gástrico; e avaliação de vias aéreas. O curso e as provas para emissão do certificado serão objeto de proposta específica da SBA para a AMB, avaliadas posteriormente.

A habilitação certifica que o médico especialista possui um conjunto de conhecimentos teóricos e habilidades práticas específicas relacionadas a uma ou mais áreas de atuação ou especialidade médica. Em dezembro, a lista das habilitações e cursos será disponibilizada no site da AMB.

COLÓQUIO FBAM/APMED PROMOVE DEBATES SOBRE ATUAL CENÁRIO DA MEDICINA

Entidades médicas e de ensino na área da saúde se reuniram no III Colóquio da Federação Brasileira de Academias de Medicina (FBAM) e Academia Paraibana de Medicina (APMED) para debaterem o atual cenário da medicina no País. O evento foi realizado entre 3 e 5 de outubro, no Centro de Ciências Médicas da Universidade Federal da Paraíba.

O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, que foi um dos palestrantes, abordou a situação atual e perspectivas da saúde brasileira. “Só será possível vencermos os desafios na assistência primária a saúde no País com a efetivação da carreira médica de Estado. Além disso, a revalidação de diplomas tem que ser tratada com ética e seriedade para garantir atendimento médico de qualidade para a população”, destacou.

Na programação houve, ainda, debates sobre a tecnologia na medicina, pesquisa e o ensino médico, com panoramas e cenários da graduação e pós-graduação no Brasil ao longo do tempo. Também foram discutidos temas relacionados à saúde mental dos médicos e dos estudantes de medicina.

“A área da saúde evolui de forma rápida, com novos métodos, tecnologias, diagnósticos, tratamentos e medicamentos. O colóquio proporcionou uma oportunidade para a classe médica dissertar sobre as novidades do segmento, casos clínicos e trocar experiências com outros colegas que têm interesses em comum. Isso é valioso para a vida profissional”, destaca José Roberto Baratella, presidente da FBAM, que também é membro da Comissão de Ensino Médico e Pós-Graduação da AMB.