MÉDICOS ANGOLANOS PARTICIPAM DE CURSO DA ABRAMEDE SOBRE O COMBATE À COVID-19

Por meio de uma parceria entre a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Associação Médica Angolana (ASMEA), a Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede) disponibilizou um curso para auxiliar médicos emergencistas da Angola no combate à Covid-19.

“O curso repassa conhecimentos sobre como lidar com o primeiro atendimento, a linha do tempo da doença, os tipos de terapia que podem ser utilizadas, as indicações e necessidades de oferta de oxigênio aos pacientes, e os tipos de dispositivos que podem ser usados no combate à pandemia e aqueles que se demonstraram desnecessários. Além de auxiliar em como reconhecer os sintomas de diferentes estágios da Covid-19″, explica Hélio Penna Guimarães, presidente da Abramede.

O curso foi disponibilizado à ASMEA no dia 14 de setembro e os profissionais angolanos terão acesso liberado por 60 dias. A expectativa é que mais de 100 profissionais de saúde sejam capacitados com a aula. “Essa parceria entre as entidades reforça o compromisso da AMB de difundir o conhecimento científico e a expertise da medicina brasileira para outros países. Nos sentimos honrados em poder contribuir com o avanço da medicina e principalmente em colaborar com os médicos angolanos no combate à Covid-19″, destaca o diretor científico da Associação Médica Brasileira (AMB), Antonio Carlos Palandri Chagas.

Chagas ressalta a importância da Abramede na parceria. “Agradecemos a toda a diretoria da entidade pela eficiência e presteza em levar o curso para os médicos angolanos. O conteúdo científico e a didática estão sendo bastante elogiados tanto pelos participantes quanto pela diretoria da ASMEA”, enfatiza.

Em novembro está prevista a realização de um webinar da AMB em parceria com ASMEA. “Vivemos um momento delicado para a saúde mundial devido a pandemia de Covid-19. Esse cenário reforçou ainda mais a importância da troca de experiências e informações entre os países. A AMB está à disposição para colaborar”, pontua Lincoln Ferreira, presidente da AMB.

Compartilhar em: