NOTA DA FBG SOBRE RANITIDINA

A Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) divulgou nota sobre a proibição da comercialização, pela ANVISA, do Ranitidina importado da Índia, medicamento utilizado para o tratamento de úlceras de estômago ou de duodeno. No documento, a FBG esclarece que o caráter da ação é preventivo.

O Ranitidina teve a comercialização proibida no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pela FBG.

A N-nitrosodimetilamina (NDMA), provável agente cancerígeno humano, foi detectada no fármaco Ranitidina (bloqueador dos receptores H2 da histamina) importado da Índia, levando à determinação de suspensão de sua comercialização pela ANVISA.

A Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) informa que no momento, por falta de literatura baseada em evidências, não se posicionou definitivamente sobre o tema. Assim, uma vez que a decisão da agência tem caráter cautelar e preventivo, sugerimos que informações adicionais sobre o assunto sejam obtidas diretamente com a ANVISA.

Leia na íntegra a nota publicada pela Avisa

Diretoria FBG – Gestão 2019/2020

Compartilhar em: