SOCIEDADES DE ESPECIALIDADE LANÇAM CONSENSO SOBRE SARCOMAS

Diversas Sociedades de Especialidade se uniram para elaborar o primeiro consenso brasileiro sobre diagnóstico e tratamento de sarcomas de partes moles em extremidades. Denominado “Brazilian consensus on the diagnosis and treatment of extremities soft tissue sarcomas”, o estudo foi capitaneado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO). Dr. Alexandre Ferreira Oliveira é o atual Presidente da SBCO e foi um dos autores do Consenso que contou com a participação da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), da Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT) e do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR).

Os sarcomas de tecidos moles são tumores raros. Devido à sua raridade, a maioria dos casos no Brasil não é tratada de acordo com as principais diretrizes internacionais. Desta forma, surgiu a necessidade de orientar os médicos brasileiros sobre os múltiplos tratamentos potencialmente eficazes sobre a doença.

Foi realizada uma reunião com 24 especialistas convidados e os tópicos foram apresentados individualmente com a definição do grau de recomendação, com base nos níveis de evidências científicas. O estudo resultante do trabalho será publicado na edição janeiro/fevereiro do Journal of Surgical Oncology.

De acordo com o presidente da SBCO, Alexandre Ferreira Oliveira, o consenso serve como um manual para que os tratamentos de sarcomas de tecidos moles em extremidades sejam realizados de forma mais eficiente. “Estes raros sarcomas possuem alta taxa de letalidade. Por isso, é importante que o diagnóstico seja feito de forma precoce e, assim, possa ser estabelecido o tratamento de acordo com o tipo, sendo normalmente indicada cirurgia para remoção do sarcoma e, em alguns casos, complementada pela realização de sessões de quimio ou radioterapia”, explica.

O oncologista destaca a importância de todas as especialidades médicas aprofundarem seus estudos na área oncológica. “Queremos oferecer um tratamento especializado e eficiente para o paciente, com médicos treinados e que tenham um conhecimento profundo da patologia. A oncologia deveria ser uma disciplina obrigatória na formação médica para termos um melhor aproveitamento da equipe clínica tanto no diagnóstico precoce, na cirurgia oncológica e no pós-cirúrgico”, orienta Alexandre.

O médico ressalta que a SBCO é uma entidade aberta para receber médicos de todas especialidades e inclusive estudantes de medicina, visando a disseminação do conhecimento. “O câncer é uma das principais causas de morte no Brasil e mundo. Por isso, toda a comunidade médica precisa saber mais sobre a área. A entidade está de portas abertas para incentivar o apoio mútuo, a troca de informações e o desenvolvimento conjunto dos profissionais”, enfatiza.

Para Diogo Sampaio, vice-presidente da AMB, o Consenso demonstra na prática a importância da atuação conjunta para que se consiga, cada vez mais, diretrizes mais adequadas para os diagnósticos e tratamentos. “Parabenizo a todos os participantes do consenso, mas em especial a SBCO pela iniciativa e coordenação do trabalho, que fortalece as diretrizes para o tratamento dos sarcomas e nos dá um belo exemplo de atuação conjunta”, pontua.

Na foto o almoço da primeira reunião para tratar do tema.

Mesmo antes de sua publicação, o consenso pode ser adquirido no aqui.

Compartilhar em: