Diretoria da Sociedade Brasileira de Cardiologia tomará posse dia 15 de dezembro

Novo presidente da Sociedade de Cardiologia assume com foco na prevenção cardiovascular e valorização da profissão

 Oscar Dutra será 58° presidente da entidade

             A nova Diretoria da Sociedade Brasileira de Cardiologia – SBC tomará posse na sexta, 15 de dezembro, em cerimônia na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Oscar Dutra será o 58° presidente da entidade, fundada em 1943 e que teve Dante Pazzanese como seu primeiro presidente.

Oscar Dutra defende uma maior valorização da Cardiologia. “Há mais ou menos quatro décadas tem havido uma desconstrução da imagem do médico, sua respeitabilidade está abalada, por conta de inúmeras condições”, explica. Dutra lembra que várias faculdades de Medicina foram abertas sem condições estruturais mínimas, para atender pleito políticos regionais, a formação médica está inadequada, existe um aviltamento na remuneração de serviços médicos, além dos péssimos suportes operacionais ao adequado trabalho profissional, entre tantos outros.

“O resultado é o que vemos todos os dias, a população absolutamente insatisfeita com o atendimento nos postos de saúde, com raras exceções”, completa o novo presidente. Ele adianta que a nova gestão terá uma equipe de Qualidade Assistencial, com participação de todos os segmentos da Cardiologia, no sentido de lutar por melhores condições.

A promoção da saúde cardiovascular terá grande importância na gestão já que as mortes pelas doenças do coração são as principais causas no Brasil. “São mais de 350 mil pessoas que perdem a vida todos os anos por doenças que, muitas vezes, poderiam ser evitáveis”, destaca Oscar Dutra. O coração mata duas vezes mais que todos os tipos de câncer, 2,5 vezes mais que todos os acidentes e mortes decorrentes por violência e 6 vezes mais que as infecções, incluídas as mortes por Aids. A área de Prevenção da SBC promoverá datas temáticas, como o Dia da Hipertensão, Colesterol, Mundial do Coração, Diabetes, utilizará uma plataforma de comunicação com TV, mídias sociais e site com informações confiáveis, além de estruturar programas de Alimentação Saudável, o Movidos pelo Coração, entre outros.

 

Conselhos Consultivo e de Notáveis

 

A nova Diretoria será transparente e democrática. Os sócios da entidade poderão acompanhar as atividades e gastos da gestão mensalmente. Haverá ainda uma consulta mais constante, por meios eletrônicos, aos integrantes do Conselho Consultivo, formado pelos ex-presidentes da SBC, presidentes atuais de Departamentos e presidentes atuais das sociedades regionais e estaduais. “Antes eles se reuniam apenas uma vez ao ano, agora com a tecnologia que temos à disposição, essas consultas serão feitas mais vezes”, afirma Oscar Dutra.

A participação de eminentes e importantes nomes da cardiologia brasileira poderão também fundamentar a Diretoria com ideias e experiências, na condução administrativa e científica da SBC. “Contaremos com um Conselho de Notáveis para nos auxiliar”, informa o presidente com a inédita iniciativa.

 

 

Perfil

Oscar Dutra é gaúcho de Alegrete, formado em Medicina pela Universidade Católica de Pelotas, com residência e especializações no Grupo Hospitalar Conceição e no Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, onde foi chefe da Emergência, do Ambulatório e CTI e diretor médico. O presidente tem longa trajetória na Sociedade Brasileira de Cardiologia. Foi diretor financeiro, vice-presidente e presidente da Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul – Socergs. Foi ainda vice-presidente da SBC e presidiu, em 2011, o 66° Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado em Porto Alegre.

 

Diretoria 2018/2019

Presidente – Oscar Pereira Dutra

Vice-presidente – José Wanderley Neto
Diretor Financeiro – Denilson Campos Albuquerque
Diretor Científico – Dalton Bertolim Précoma
Diretor Administrativo – Wolney de Andrade Martins
Diretor de Qualidade Assistencial – Evandro Tinoco Mesquita
Diretor de Comunicação – Romeu Sérgio Meneghello
Diretor de Tecnologia da Informação – Miguel Antônio Moretti
Diretor de Relações Governamentais – José Carlos Quinaglia e Silva
Diretor de Relações Estaduais e Regionais – Weimar Kunz Sebba Barroso Diretor de Promoção de Saúde Cardiovascular – Fernando Alves da Costa
Diretor de Departamentos Especializados – Audes de Magalhães Feitosa
Diretor de Pesquisa – Fernando Bacal

Presidente do SBC 2018 – Nasser Sarquis

 

Cerimônia de posse

Local: Centro de Eventos do Prodigy Hotel Santos Dumont Airport

Endereço: Av. Almirante Silvio de Noronha, 365 – Centro – Rio de Janeiro – RJ

Data: 15 de dezembro de 2017

Horário: 10 horas

AMB CELEBRA A UNIDADE NO MOVIMENTO MÉDICO NA PLENÁRIA DO CFM

“É unânime que vivemos um momento ímpar nas entidades médicas. Por um lado, temos grandes desafios e riscos a enfrentar pela frente, na luta pelos interesses do movimento médico e da saúde brasileira. Por outro, estamos mais fortes, com a união das nossas entidades. Isso é uma conquista fundamental. Avançaremos muito, temos certeza”, avaliou Lincoln Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira.

Fizeram quórum com o presidente da AMB Jeancarlo Fernandes Cavalcante, conselheiro do CFM pelo Rio Grande do Norte, os presidentes da FMB e da FENAM (Waldir Cardoso e Jorge S. Darze. Na mesma linha, o presidente em exercício do CFM, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, saudou o momento e reforçou a importância de as entidades caminharem juntas.

Lincoln Ferreira também falou sobre a criação do Instituto Brasil de Medicina (IBDM), ocorrida ontem, que dará suporte e acompanhará o trabalho da Frente Parlamentar da Medicina, e sobre a problemática com a tramitação da ozonioterapia no congresso.

Florentino Cardoso , ex presidente da AMB e atual presidente da  Confederação Médico Ibero-Latino-Americana e do Caribe (Confemel), também esteve presente e falou sobre a importância de união: “Quem estiver lutando pela desunião do movimento médico vai perder. Fico contente em ver o alinhamento atual. Não podemos nos perder com interesse pessoais. Precisamos seguir pensando e atuando pela classe médica e pela saúde da população. Agradeço o apoio que tive de todos à frente da AMB e tenho certeza de a nova gestão comandada pelo de Lincoln e seu time farão ainda mais do que conseguimos no passado.”

 

Foto: Rodrigo Aguiar

APOIO ÀS MUDANÇAS NA ATUAL POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE MENTAL

Em sintonia com a Associação Brasileira de Psiquiatria e Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira encaminhou hoje ao Ministro da Saúde e ao Coordenador-Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas, seu posicionamento de apoio às mudanças na atual Política Nacional de Saúde Mental, para a qual divulga o documento abaixo.

 

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO

APOIO ÀS MUDANÇAS NA ATUAL POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE MENTAL

A Associação Médica Brasileira (AMB) vem a público expressar seu integral apoio a necessária e indispensável implementação das mudanças anunciadas na Política Nacional de Saúde Mental , para a melhora do tratamento dos pacientes que apresentam transtornos mentais e dependência ao uso de álcool e outras drogas, bem como de seus familiares.

Recentes relatórios produzidos sob a coordenação do Dr. Quirino Cordeiro Júnior, Coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde, deixaram claro que em gestões anteriores houve o mau uso do dinheiro público, a falta completa de monitoramento das ações da Coordenação, serviços que funcionavam muito aquém de sua capacidade instalada, além de serviços que eram custeados sem sequer existirem.

As falhas na Política Nacional de Saúde ao longo dos últimos anos levaram ao aumento de pacientes com transtornos mentais desassistidos morando nas ruas, presos ou superlotando as emergências médicas à espera de vagas para internação, além das altas e crescentes taxas de suicídio que têm assolado o país.

Diante disso a AMB afirma seu apoio para principais pontos da mudança da atual Política Nacional de Saúde Mental:

  • Criação de Sistema Ambulatorial com Atendimento Multidisciplinar;
  • Qualificação e financiamento mais apropriado de Hospitais Especializados;
  • Estímulo ao processo de Desinstitucionalização, incentivando a saída de moradores de Hospitais Psiquiátricos, porém sem promover o fechamento dos Leitos, mas sim os qualificando para o tratamento de pacientes com quadros clínicos agudos;
  • Estímulo a unidades de Saúde Mental em Hospitais Gerais, com obrigatoriedade de Equipe Multidisciplinar completa;
  • Criação de CAPS especial para áreas de grave consumo de crack e outras drogas, também chamadas “Cracolândias”;
  • Programas de Prevenção ao uso de Álcool e Drogas e Prevenção do Suicídio;
  • Regulamentação adequada das Comunidades Terapêuticas, integrando-as à rede assistencial.

 

São Paulo, 13 de Dezembro de 2017

 ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA

CIGARROS ELETRÔNICOS FORAM TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA ONTEM (12/12)

A AMB tem alertado sobre o uso de dispositivos eletrônicos para entrega da nicotina: cigarro eletrônico e cigarro aquecido, tanto em relação aos riscos relacionados à segurança no manuseio quanto nos efeitos para a saúde no consumo do cigarro eletrônico; e sobre a falta de estudos científicos independentes sobre o cigarro aquecido.

Esses produtos vêm sendo divulgados por seus fabricantes, na mídia e na internet, como menos nocivos ao consumo humano, além do fato de omitirem que o seu consumo torna seus usuários dependentes da nicotina, como qualquer produto derivado do tabaco.

Mais uma vez estivemos presentes nas discussões sobre o tema, desta vez representados pelo pneumologista Alberto José de Araújo, integrante da Comissão de Combate ao Tabagismo da AMB, na audiência pública da Comissão de Seguridade Social e Família, realizada para discutir o impacto dos cigarros eletrônicos na saúde.

 

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SAUDE/550774-CIGARROS-ELETRONICOS-SAO-PORTA-DE-ENTRADA-PARA-O-TABAGISMO,-DIZ-ASSOCIACAO-MEDICA.html

 

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

A UNIÃO DE FORÇAS DA MEDICINA BRASILEIRA SERÁ CONSOLIDADA EM SESSÃO PLENÁRIA DO CFM.

 

O CFM realiza hoje, 13/12, a partir das 09h, em sua sede, 12ª Sessão Plenária Ordinária do Conselho Federal de Medicina do ano de 2017, para a qual foram convidados:

Lincoln Lopes Ferreira (presidente da AMB):

Florentino Cardoso (Presidente da CONFEMEL),

Waldir Cardoso (Presidente da FMB),

Jorge S. Darze (Presidente da FENAM)

O convite e participação ocorrem na sequência do encontro histórico que reunificou forças para ação conjunta em defesa da medicina e da saúde: CFM, AMB, FMB, FENAM. O marco para a retomada do trabalho integrado entre as entidades aconteceu sede do CFM em 6/12.

Na 12ª Sessão Plenária Ordinária do Conselho Federal de Medicina as entidades discutirão encaminhamentos em torno de temas específicos em tramitação em diferentes esferas – no Executivo, no Legislativo e no Judiciário.

O grupo também avaliará a realização de um Encontro Nacional de Entidades Médicas (Enem), em 2018, para e estimular o debate e contribuições para iniciativas  para que contribuirão com a defesa da saúde e da medicina.

INSTITUTO BRASIL DE MEDICINA (IBDM) TEM AMB COMO SÓCIA FUNDADORA

 

Lincoln Lopes Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira, participou da solenidade da Magna Assembleia Geral Especial do IBDM, assinando o livro de sócios fundadores da iniciativa, em conjunto com Federadas e Sociedades de Especialidades.

O IBDM será fundamental para o suporte e operação da recém-lançada (18/10) Frente Parlamentar da Medicina (FPMed), após longo e exitosa negociação do Deputado Mandetta junto aos parlamentares, no Senado e Câmara, apoiado e com suporte e trabalho das entidades médicas, coordenados pelo deputado.

Para Lincoln “a criação da Frente Parlamentar da Medicina é um grande avanço para as demandas dos médicos, da medicina e da saúde, pois é no Congresso que tramitam as decisões sobre estes interesses. A criação do IBDM vai permitir, além do suporte às atividades da FPMed, o acompanhamento de grau de comprometimento dos deputados e senadores com as questões.”

Ainda acrescentou ”Não poderíamos deixar de estar presentes hoje, e incentivarmos as Federadas da AMB e Sociedades de Especialidade a comparecerem como fundadores, já que a AMB teve forte teve participação, tanto para a criação da Frente Parlamentar da Medicina quanto para a criação do Instituto Brasil de Medicina”.

Fotos: Rodrigo Aguiar

60 ANOS DOS CONSELHOS DE MEDICINA FOI PALCO PARA HOMENAGENS

 

A comemoração dos 60 anos dos Conselhos de Medicina também foi palco para homenagem a médicos que se destacaram por suas trajetórias pessoais e profissionais. Eles foram escolhidos dentre 135 indicados pelos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) dos estados onde mantiveram forte atuação, mas o reconhecimento é nacional dada à projeção do trabalho executado.

As cinco comendas foram criadas pela Resolução nº 2.022/2013 do CFM e na edição de 2017, com evento que ocorreu hoje (12/12) às 18h no CFM, foram homenageados:

– Celmo Celeno Porto, de Goiás, que receberá a comenda Fernando Figueira, de Medicina e Ensino Médico;

– Gabriel Wolf Oselka, de São Paulo, agraciado com a Mário Rigatto, de Medicina e Humanidades;

– Iaperi Soares de Araújo, do Rio Grande do Norte, com a Moacyr Scliar, de Medicina, Literatura e Arte;

– José Almir Santana, de Sergipe, recebedor da honraria Zilda Arns Neumann, de Medicina e Responsabilidade Social;

– Roberto Figueira Santos, da Bahia, ganhador da Sérgio Arouca, de Medicina e Saúde Pública.

Lincoln Ferreira, além de representar a AMB como presidente, esteve dentre os admiradores dos escolhidos, para aplaudir seus êxitos.

A lei de regulamentação do Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Medicina, foi assinada em 1957, pelo presidente JUSCELINO KUBITSCHEK, que era médico.

 

Fotos: Rodrigo Aguiar

AMB CONVIDA PARA A MAGNA ASSEMBLEIA GERAL ESPECIAL DO INSTITUTO BRASIL DE MEDICINA, QUE DARÁ SUPORTE ÀS ATIVIDADES DA FRENTE PARLAMENTAR DA MEDICINA.

Para dar suporte à FPMed, em 22 de novembro, fundou-se o Instituto Brasil de Medicina, administrado por um Conselho de Administração, através de um Coordenador, um Coordenador substituto, todos sem remuneração e um Secretário Executivo contratado que é o gestor do IBDM e interlocutor entre o Instituto e o Congresso Nacional.

Um passo importante foi dado no dia 18 de Outubro, Dia do Médico, quando em sessão em homenagem à data foi criada a Frente Parlamentar da Medicina (FPMed), após longo e exitosa negociação do Deputado Mandetta junto aos parlamentares, no Senado e Câmara, apoiado e com suporte e trabalho das entidades médicas, coordenados pelo deputado.

No Congresso que são decididas as principais questões de interesse dos médicos, da Medicina e da Saúde, assim identificou-se como fundamental uma organização de grupo de parlamentares que estejam cientes das demandas e comprometidos com elas, por meio de uma Frente Parlamentar – associação suprapartidária,  constituída por iniciativa de parlamentares que, independentemente de partido político, formam agrupamentos para atuar de forma unificada na defesa de objetivos que aprimorem determinado tema, sendo compostas por pelo menos 178 deputados e 30 senadores

A AMB, que participou ativamente, tanto para a criação da Frente Parlamentar da Medicina quanto para a criação do Instituto Brasil de Medicina, convida a todas as federadas e Sociedades de Especialidade a se fazerem presentes Magna Assembleia Geral Especial do Instituto Brasil de Medicina.

Aguardamos odos lá! Faremos história!

 

Serviço:

Data: 12 de dezembro de 2017.

Horário: 14:00 h

Local: Associação Médica de Brasília – AMBr – Salão 2

Setor de Clubes Esportivos Sul (S.C.E.S) – Trecho 3 – Conj 6

CEP: 70200-003 Brasília – DF

 

Pauta:

1- Abertura da Reunião com a Palavra do Deputado Mandetta

2- Objetivo do Instituto Brasil de Medicina

3- Abertura do Livro de Presenças para lavratura de assinatura dos representantes das entidades médicas que, consoante com o Estatuto do IBDM, dele desejem fazer parte como associadas, sendo consideradas, para todos os efeitos, Sócias Fundadoras.

4- Estipular contribuição social levando-se em conta o orçamento que se pretende para alcançar os objetivos e o número de entidades associadas.

 

Foto Luis Macedo _Câmara dos Deputados 18/10/2017

ENCONTRO HISTÓRICO: MOVIMENTO MÉDICO NACIONAL REUNIFICA FORÇAS PARA AÇÃO CONJUNTA EM DEFESA DA MEDICINA E DA SAÚDE

A reunificação do movimento médico nacional foi acordada durante reunião histórica realizada nesta quarta-feira (6/12), na sede do Conselho Federal de Medicina (CFM), em Brasília. Na oportunidade, algumas das principais lideranças das entidades médicas do País decidiram desenvolver uma atuação conjunta com o objetivo de fortalecer a defesa de temas de interesse dos médicos, da medicina, dos pacientes e da sociedade.

Participaram do encontro histórico, o presidente e o vice-presidente Centro-Oeste da AMB, Lincoln Lopes Ferreira e José Luiz Dantas Mestrinho; o presidente em Exercício do CFM, Mauro Luiz de Britto Ribeiro; o presidente da FMB, Waldir Cardoso; e o presidente e o secretário-Geral da Fenam, Jorge Darze e Mário Antônio Ferrari.

A decisão anunciada permite a retomada do trabalho integrado entre o CFM, a Associação Médica Brasileira (AMB), a Federação Médica Brasileira (FMB) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam).

Para selar essa reaproximação, o CFM já enviou convite para que as outras entidades indiquem representantes para participar de três de suas principais comissões – a de Assuntos Políticos (CAP), a de Saúde Suplementar (Comsu) e a de Defesa do SUS (Pró-SUS).

Os presidentes da AMB, Lincoln Lopes Ferreira; da FMB, Waldir Cardoso; e da Fenam, Jorge Darze, ainda foram convidados a participar da próxima reunião plenária do CFM, no dia 13 de dezembro (quarta-feira), quando serão discutidos encaminhamentos em torno de temas específicos em tramitação em diferentes esferas – no Executivo, no Legislativo e no Judiciário.

O grupo também avaliará a realização de um Encontro Nacional de Entidades Médicas (Enem), em 2018. Se aprovado, na ocasião, representantes estaduais e de outras entidades médicas poderão contribuir com o debate e a formulação de iniciativas que contribuirão com a defesa da saúde e da medicina. A última edição desse fórum aconteceu em agosto de 2013, em Brasília.

Questões como o trabalho com a Frente Parlamentar em Defesa da Medicina (FPMED), lançada em outubro, no Congresso; as mudanças necessárias no Programa Mais Médicos; a abertura indiscriminada de escolas médicas; a obrigatoriedade do exame de revalidação de diplomas de medicina obtidos no exterior; a criação da carreira de Estado para os médicos, entre outras; devem compor uma pauta que será acompanhada, criteriosamente, pelas entidades médicas nacionais.

Com essa reunificação, também será possível desenvolver ações junto às operadoras de planos de saúde, buscando o aperfeiçoamento das regras no segmento, bem como em torno de reinvindicações que assegurem melhoria da oferta de condições de trabalho e de atendimento na rede pública. A preocupação prioritária da AMB, CFM, FMB e Fenam é assegurar respeito, segurança e valorização aos médicos que atuam nos serviços privados e do Sistema Único de Saúde (SUS).

Brasília, 6 de dezembro de 2017

ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

FEDERAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA

FEDERAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS

PRESIDENTE LINCOLN FAZ A PRIMEIRA VISITA DA AMB À FEDERADA DO ACRE.

Dentre os compromissos de campanha de Lincoln Lopes Ferreira, estão a atuação de forma participativa, para que nenhuma realidade seja esquecida, a ampliação do apoio às federadas, incluindo projetos para ampliar o número de sócios.

Com este objetivo Lincoln esteve na Associação Médica do Acre (AMAC), que possui desafios peculiares em diversos setores, inclusive na Medicina e Saúde.

Em reunião de trabalho com a presidente Jene Greyce Oliveira da Cruz e demais diretores da (AMAC), foram traçados os primeiros passos ao encontro do apoio necessário: estabelecimento de amplo canal de comunicação e disponibilização de estrutura jurídica da AMB para a as demandas do Acre. O tema ampliação do quadro de sócios também foi discutido, para priorização ao convite a jovens médicos.

Lincoln também teve a oportunidade de participar do I Fórum de Discussão em Saúde Pública da AMAC, que teve como temática “Deveres e Responsabilidades de Médicos e Enfermeiros na Promoção da Saúde”.

O Fórum teve por objetivo trazer para discussão a judicialização das Políticas Públicas de Saúde no Brasil, a exemplo da Portaria 2488/2011 do Ministério da Saúde e as novas alterações referentes à Política Nacional de Atenção Básica (Portaria no 2.436 de 21 de setembro de 2017 do Ministério da Saúde), e os efeitos na atuação profissional de médicos e enfermeiros na promoção da saúde para os usuários na atenção básica.

Importante salientar que o fórum trouxe para a discussão, além da federada organizadora, a AMB; o CFM e o Conselho Federal de Enfermagem, bem como suas representações no Estado; as secretarias estadual e municipal de Saúde  além de representante do Ministério público do Acre. Todos tiveram a oportunidade de expor sua visão sobre o tema, o que enriqueceu as discussões sobre as  repercussões para o trabalho e promoção da saúde e para Médico do Programa Saúde da Família (PSF);  na composição da equipe multiprofissional e para o Enfermeiro do PSF; e o papel do gestor na resolução dos serviços de atenção básica.