Tag Archives: ministério da saúde

MINISTRO DA SAÚDE VISITA HOSPITAIS DE MANAUS

O ministro da Saúde, Nelson Teich, esteve em Manaus (AM) para vivenciar os desafios enfrentados por gestores e profissionais da saúde, durante a crise instalada na região, no contexto da COVID-19. Teich visitou hospitais e ouviu as principais reivindicações das autoridades e entidades médicas do Amazonas. Jorge Akel, presidente da Associação Médica do Amazonas, filiada à AMB, participou da visita do ministro da Saúde.

“Tenho certeza que a única forma de ajudarmos a sociedade e salvar o maior número de pessoas é trabalharmos todos juntos, de forma estruturada e planejada”, destacou Teich em coletiva de imprensa.

O Brasil Conta Comigo

O Amazonas recebeu um reforço de 267 profissionais de saúde, contratados pelo Ministério da Saúde, para atuar no enfrentamento à Covid-19. Os profissionais vão passar por capacitações que incluem aulas teóricas e simulações práticas. Na segunda-feira (04), eles participaram de palestra com Jorge Akel e o psiquiatra Cleber Naief, sobre os cuidados com a saúde mental. A partir de quinta-feira (7), os profissionais começam o atendimento à população.

“A AMB segue acompanhando para garantir que as condições de trabalho para os médicos que aderiram ao programa “O Brasil Conta Comigo”, sejam cumpridas e que eles possam atender a população com os equipamentos de proteção adequados”, destaca Diogo Sampaio, vice-presidente da AMB.

Os médicos que quiserem fazer parte do programa podem se inscrever pelo site https://registrarh-saude.dataprev.gov.br/cadastro.

LIGAÇÃO DO SUS PARA CHECAR SINTOMAS NA POPULAÇÃO

Em abril, o Ministério da Saúde começou a realizar ligações automáticas para a população numa tentativa de mapear o avanço da COVID-19 no País e de identificar pacientes que precisam de atendimento médico. A ligação é semelhante a uma chamada de telemarketing em que uma gravação se dirige ao interlocutor.

Quem atende ao telefone é questionado se apresenta algum sintoma da doença — dicas e orientações de prevenção também serão repassadas. Para que as pessoas tenham a certeza de que é o SUS que está ligando, e não um trote ou golpe, aparecerá no identificador de chamadas o número 136, ou 00136, do Disque Saúde.

Mas, atenção: o Ministério da Saúde NÃO PEDE DADOS PESSOAIS nem DOAÇÕES ou TRANSFERÊNCIAS EM DINHEIRO.

SUPORTE PSICOLÓGICO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE NA COVID-19

O Ministério da Saúde vai oferecer serviço de atendimento psicológico para profissionais da saúde que estão atuando na linha de frente de combate à Covid-19. O TelePsico COVID-19 funcionará de maio a setembro de 2020. O projeto será realizado em parceria com o Hospital das Clínicas de Porto Alegre e contará com uma central formada por cerca de 30 profissionais da Psicologia e da Psiquiatria, selecionados por edital.

De acordo com a psiquiatra Carmita Abdo, diretora da AMB, a iniciativa é louvável. “Isolamento social, medo de adoecer, incerteza com o futuro, sobrecarga de trabalho, entre outros estressores podem culminar em transtornos como depressão, ansiedade, stress pós-traumático, Síndrome de Burnout e até mesmo levar ao suicídio. Muitos destes profissionais não tinham problemas psíquicos, porém passaram a desenvolver, devido a intensidade e a gravidade da pandemia pela COVID-19. Por isso, é importante oferecer apoio a eles que estão no combate, dia a dia desta crise mundial”, destaca.

Em maio o canal telefônico será divulgado para profissionais que precisem deste atendimento. No primeiro contato, a pessoa escolherá um horário com o terapeuta. Dra Carmita ressalta a importância de estender esse projeto para a população em geral. “No rastro da pandemia vem a descompensação emocional e a população precisará cada vez mais de suporte”, pontua.

Na 10a recomendação das Diretrizes AMB para a Covid-19 , a qual trata do cuidado com a saúde mental, diferentes populações estão contempladas :população geral; idosos; pacientes com transtornos mentais leves; pacientes com transtornos mentais moderados e graves, médicos e demais profissionais de saúde. Acesse aqui.

NA CERIMÔNIA DE POSSE, MINISTRO DA SAÚDE REFORÇA ATUAÇÃO FOCADA NAS PESSOAS

Durante o discurso de posse, o novo ministro da saúde, Nelson Teich, falou que a sua atuação será focada nas pessoas e agradeceu a oportunidade de ajudar milhões de brasileiros. Teich também disse que a pasta trabalhará de forma conjunta com outros ministérios, além de levar em conta indicadores sociais.

Uma das estratégias abordadas pelo ministro será a atuação com estados e municípios para monitorar o avanço da pandemia no País, com informações atualizadas da doença e outros fatores que poderão afetar a rede pública e privada de saúde.

O presidente da AMB, Lincoln Ferreira, esteve presente na cerimônia e reforçou o apoio da classe médica e que confia no perfil técnico e gestor de Teich para liderar o País contra o coronavírus. A entidade participou de todo o processo que culminou na escolha do novo ministro.

“Teich é um colega que reúne toda a capacidade para fazer frente aos desafios que irá encontrar no Ministério da Saúde, principalmente neste momento de pandemia de Covid-19. Foi com muita alegria e orgulho que participamos da cerimônia de posse”, disse Lincoln.

 

MORTES POR CORONAVÍRUS NO BRASIL PASSAM DE MIL

O Brasil registrou mais de mil mortes O Brasil registrou mais de mil mortes pelo novo coronavírus nesta sexta-feira (10) e o número de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 se aproxima dos 20 mil, segundo dados do Ministério da Saúde. pelo novo coronavírus nesta sexta-feira (10) e o número de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 se aproxima dos 20 mil, segundo dados do Ministério da Saúde. Com a atualização das últimas 24 horas, já são 1.056 óbitos e 19.638 casos confirmados da doença em todas as unidades federativas.

São Paulo segue sendo o estado mais afetado, com 8.216 casos e 540 mortes, seguido por Rio de Janeiro (2.464 e 147 óbitos) e Ceará (1.478 e 58 óbitos). Confira aqui matéria publicada no jornal Correio Braziliense.

Levantamento feito pela AMB mostra que, no Brasil, 594 profissionais da saúde foram infectados por coronavírus, 860 com suspeita e 4 óbitos. Foram coletados, até agora, dados do Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Os números reforçam a importância dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à Covid-19. A plataforma da AMB continua recebendo denúncias sobre a falta destes equipamentos em unidades de saúde. Acesse e denuncie amb.org.br/epi.

R$ 50 MILHÕES EM INVESTIMENTOS PARA PESQUISA

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações em conjunto com Ministério da Saúde destinam R$ 50 milhões para projetos científicos sobre o coronavírus. O edital da chamada pública já está disponível e as inscrições podem ser feitas até o dia 27 de abril. Os interessados podem obter mais informações aqui.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO INICIA EM TODO O PAÍS

 

O Ministério da saúde deu início nesta segunda-feira (23) à Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesta primeira etapa os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus. No entanto, em virtude da pandemia de COVID-19, poderá auxiliar profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o coronavírus, já que os sintomas são parecidos.

Fique atento às datas para cada público da campanha e, se fizer parte de um deles, não deixe de tomar a vacina. Em caso de fila, mantenha uma distância de pelo menos 2 metros dos demais, principalmente os idosos. Informe-se se na sua cidade haverá uma estratégia de vacinação diferenciada. Saiba mais em saude.gov.br/vacinabrasil (link na bio).

#AMB #Coronavirus #Covid #Covid-19 #Pandemia #Epidemia #Virus #Contagio #Medicina #Saude #Vacina #Vacinacao

FORÇA-TAREFA CONTRA O COVID-19

A AMB está trabalhando em conjunto com o Ministério da Saúde e o CFM para definir formas de aumentar a força de trabalho disponível para o enfrentamento da pandemia do coronavírus. As duas primeiras reuniões aconteceram terça e quarta-feira desta semana. A preocupação é garantir maior disponibilidade de médicos para o atendimento à população, caso a epidemia se intensifique. “Precisamos garantir condições de trabalho e proteção contra o vírus para os médicos. Isso é fundamental para atrairmos médicos para esta frente de atuação e para proteger os que já estão atuando.

A crise será pior se tivermos médicos contaminados, pois perderemos capacidade de atuação e ainda teremos esses indivíduos contaminando pacientes de outras enfermidades ou que eram apenas suspeitos de estar com o vírus”, alerta Lincoln Ferreira, presidente da AMB.

Dentre as possibilidades que estão sendo discutidas, está a utilização dos alunos de 5º e 6º anos dos cursos de medicina, que já atuam nos internatos, o que aumentaria a força de trabalho em até 40 mil pessoas. “Esses estudantes não podem atuar como médicos, pois não estão formados, mas já atuam nos hospitais, de forma supervisionada, como parte do processo de formação. Agora, sob supervisão e com foco em apoio, podem ser muito importantes para o atendimento dos brasileiros”, explica Diogo Sampaio, vice-presidente da AMB.

Outra forma de aumentar a captação de médicos foi a prorrogação do edital do Programa Mais Médicos, que se encerrava ontem, exclusivo para médicos com CRM. O novo prazo de inscrição vai até às 18h do próximo domingo (22/3) e pretende preencher 5.811 vagas do programa, distribuídos em 1.921 municípios de todo o País, além de 19 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Os interessados devem acessar o endereço eletrônico http://maismedicos.saude.gov.br.

EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA INDIVIDUAIS (EPIs) – Na visão da AMB, a segurança dos profissionais de saúde, para que não se contaminem com o vírus, é fundamental para o êxito deste processo como um todo. Por isso, é crucial que ações extraordinárias sejam desenvolvidas para garantir o fornecimento desses equipamentos para estes profissionais. “É impensável e irresponsável colocar os médicos para atuar sem utilização de máscaras tipo N95 ou PFF2, óculos de proteção, luvas, gorro e capote impermeável”, alerta Diogo Sampaio, vice-presidente da AMB.